segunda-feira, 29 de abril de 2013

Doces lá da minha terra

Para acompanhar o café

Detalhes cá da casa - VIII


Detalhes cá da casa - VII


Detalhes cá da casa - VI


As minhas preces foram ouvidas!

Bem, eu ia colocar aqui mais uns disparates e uma imagem alusiva ao termo de pesquisa "sexo badalhoco", pois finalmente alguém aqui veio à conta de tal (não sei o que terá encontrado, contudo). Mas depois de pesquisar imagens e ver mais do que aquilo que queria, achei por bem estar quietinha e não mexer em mais nada. Há cada aberração! Uma pessoa está sempre a aprender!

domingo, 28 de abril de 2013

Vocês vão dar-me um tiro...

...mas isto de ter arranjado uma maneira de o pessoal escrever e ser eu a publicar o vosso trabalho neste antro é uma maravilha e dá-me imenso gozo, proporcionalmente inverso ao trabalho que me deu. Venham mais!

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Com a breca!

Não é que hoje ganhei um mustache? (Ainda não há link, porque não sei se vale a pena; logo, entendem como quiserem :P)

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Tenho uma reclamação a fazer

Sabem aqueles posts ocasionais que alguns bloggers escrevem, partilhando os termos de pesquisa que permitiram encontrar os tascos dos ditos-cujos? Pois eu não posso fazer um post desse género, porque não aparecem palavras, expressões, termos minimamente interessantes. Nadinha, mesmo! É só "queijadinhas", "pseudoblog"."histórias do lobo mau". Bolas, porra! Ao menos uma palavrinha porca, algo a que me possa agarrar e óspois escrever uns disparates!

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Olhó texto fresquinho! Quem foi, quem foi?

As regras são exactamente iguais às anteriores:
  • cada pessoa pode participar mencionando dois nomes para o autor/a;
  • a primeira pessoa a adivinhar deverá contactar os bloggers que desejar, de modo a continuar esta iniciativa;
  • os bloggers a contactar não devem saber dos outros contactados;
  • e pronto...
 
As mulheres da nossa vida

A mulher Barbie
 Apresenta-se impecavelmente vestida e cuidada, o cabelo geralmente esticado, parece passado a ferro com tanta goma que nem esvoaça ao vento. As unhas de gel enormes e de cores chamativas são um sinal evidente de que nem um ovo é capaz de estrelar, não vá a casca arranhar a pintura. Quando fala limita-se a conversa de roupas, perfumes e aplicações fashion para andróide.

A mulher Premium
É uma Barbie mas para o pior. A Barbie aplica grande parte do seu tempo para valorizar o seu aspeto. A Premium aproveita-se da figura geralmente atrativa com que a natureza a dotou para se valorizar através dos outros. Tem figura de modelo, quase sempre com a medida do busto bem acima do 86, cabelo comprido e habitualmente pintado de loiro e entra em qualquer automóvel de estrela, rodinhas ou quartos de círculo azuis e brancos cuja porta lhe abram. Conhece todos os nomes de discotecas de Vigo até Salou, incluindo as Baleares. Machu Picchu foi um famoso pokémon.

A mulher Big Shot
Está sempre presente nas reuniões de administração, é quase diretora, estando na linha da frente para quando abrirem novos cargos. Conhece todos os restaurantes importantes, está presente nos melhores congressos do ramo e tem reuniões importantes no ministério. Está a par das novidades de aquisições e fusões e o mundo gira em torno da alta finança. Quando tem filhos, são os melhores alunos do colégio privado onde estudam. São o rei-sol, secando tudo o que está à volta.

A mulher capricho
Teve um grande amor na vida que foi reprimido pela família própria ou alheia. Vive na recordação do passado e quem vier a seguir é continuamente comparado com o modelo perdido. É egocêntrica e não cede um milímetro nas suas aspirações, quem não está por si está contra si. Tende a espezinhar o mundo à volta. Quando percebe que pode ficar irremediavelmente sozinha escolhe uma vítima que se por ela se apaixone e puxa ou larga a corda em função dos seus interesses.

A mulher mistério
Está sempre calada e ouvir-lhe uma palavra é mais difícil do que arrancar-lhe um dente. Se não tem interesse no interlocutor diz que tem que ir à casa de banho e desaparece. Quando tem interesse ouve-o atentamente e responde com monossílabos às perguntas que o pobre coitado vai fazendo para avaliar a sua intenção. É insegura e desconfiada mas pode ser uma descoberta gradual e surpreendente para quem pretender investir na relação, que é o objetivo final desta mulher. É tão mais calada quanto mais recear ser apenas mais uma marca na coronha do pistoleiro. Quando se convence que encontrou quem procura, agarra-lhe a mão e segue em frente sem hesitar.

A mulher segura
Nunca aparece quando se procura mas esbarra-se com ela nas alturas menos convenientes. É discreta, muito atenta e impenetrável. Procura homens decididos, educados e cultos. Não o admite, mas derrete-se quando lhe abrem a porta para entrar ou a levam a um restaurante de classe. Resiste facilmente à conversa fácil de engatatão mas estremece quando lhe fazem um elogio discreto no meio de uma conversa séria. Responde com prudência e recato às primeiras solicitações, depois vai acompanhando as conversas, mostrando-se à altura. Quando não se sente muito à-vontade não dá parte de fraca e na primeira oportunidade estuda o assunto em causa e responde, quando ele menos espera, ao que ficou no ar. Gosta do jogo de sedução, que joga na perfeição. Proporciona momentos a dois que ficarão suspensos no limbo da eternidade.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Vale sempre a pena

Assistir a uma prova de Trial 4x4 é:
  • esperar uma eternidade que os jipes cheguem ao local 
  • enfardar uma bifana enquanto se desespera e se ouve música brasileira pimba
  • observar a multidão, este ano bastante bem apessoada, por sinal
  • calcar caca de cão e sei lá que mais por entre as ervas e ver os sapatos a mudarem de cor num ápice
  • ouvir um rugir acompanhados pela poeiraça castanha-amarelada que já se entranhava em tudo quanto era lado
  • olhar para as viaturas que, de tão porquinhas que estavam, metiam dó só de pensar na despesa de limpeza e manutenção
  • ver viaturas de diversas dimensões a abanarem dum lado para o outro, nos trilhos abertos para o efeito, como se estivessem a ser manobradas por joystick num jogo de PC
  • ver jipes a atolarem no "lago", depois de 3 ou 4 tentativas para saírem
  • ver esses mesmos jipes a serem rebocados por uma escavadora que fazia pi-pi-pi-pi quando metia a marcha-à-ré
  • ver outros jipes enfiarem-se num buraco escavado na vertical, mais alto e mais comprido que qualquer um deles, e sairem deles sem ajuda da "máquina", quase sem mossas
  • ver o Padre a ir à lama, depois de tentar sair dum jipe atolado e bastante recheado dela, a ponto da viatura escorrer lama quando as portas finalmente se abriram
  • conhecer o Cigano e ouvir o Pregão " Segundas Espinho, Quartas Carvalhos e Domingos Canidelo"
  • ouvir linguagem de homem de barba rija: "ó caralho, tira-me essa merda do buraco", "vai-te foder, seu filho da puta", exemplos do que foi dito acompanhados por sorrisos e gargalhadas sonoras
  • concluir que ainda bem que não é o nosso jipe que anda ali, no meio de gente tola

Já que ninguém acertou, agora vão ficar todos a dizer "ahhhhhhhhh!" durante dez segundos

Quando li o texto que o Inocentinho me enviou para publicar aqui e ser adivinhado por vós, sinceramente nunca pensei que ninguém conseguisse chegar lá. De facto, admito que adivinhar o autor não fosse tarefa fácil, sendo ele novo na blogosfera e sendo lido ainda por um grupo bem restricto de malta boa gente. Mas estava mesmo à espera que alguém desse grupo pequenino acertasse. 
Quanto à imagem que ele associou ao texto, ou melhor, que lhe serviu de inspiração, ela pode ser rapidamente adivinhada se pensarmos nos nomes próprios referidos no seu original e se não esquecermos que o Inocentinho partilha os seus gostos literários, musicais, artísticos e relacionados com pintura, acrescentando-lhes sempre um carácter informativo e uma pitada de humor.
Deixo novamente o texto, na esperança que me digam que o meu título até faz sentido. Quanto à imagem, vão admirá-la no blogue dele, vão...e digam novamente "ahhhhhhhhh".
Bem hajam!


O Contrato

“Esta é Lisa.” Foi assim que o marido dela a apresentou. Ele observou-a devagar, com o seu olhar acutilante. No rosto sumptuoso dela intuiu uma luz extraordinária. A pele cor de marfim, os negros cabelos, o trajar discreto e elegante. O coração dele saltou, mas não o deu a entender. Acalmou a voz, disfarçou o tremor das mãos, das suas mãos habitualmente firmes e inclinou ligeiramente a cabeça. Ela com ar grave, distante, replicou o gesto dele. Combinaram os termos e condições das visitas. Uma vez por semana, sempre no mesmo local, sempre à mesma hora, sempre a mesma duração. Ele cumpriu o contrato, profissional, religiosamente, como faria com qualquer outro cliente. A distância, o ar alheado dela, faziam-lhe doer o coração. Sofria em silêncio, mas não se denunciava. Gradualmente as suas mãos foram deixando de trair o que o coração sentia. Um dia, ela aproximou-se dele e disse-lhe, baixinho: “Quero-te. Quero-muito. Mas só poderá agora. Poderemos continuar o contrato, mas nunca mais acontecerá.” Ele percebeu então. Ela partilhava os seus sentimentos. E partilhava as suas angústias. Aproximou-se dela e beijou-a, quase como uma brisa a tocar uma flor. Nos braços um do outro, uma gota de suor brilhava ainda no rosto dela, enquanto se encontrava com uma lágrima. Ele nunca soube se a lágrima era ainda de êxtase ou já de saudade. E então, um sorriso como ele nunca tinha visto, suave como uma onda, misterioso como os pensamentos dela, desenhou-se-lhe nos lábios. Ela disse-lhe simplesmente. “Francesco chegará em breve.” O contrato tinha que continuar, haveria de chegar ao fim. Mas o sorriso, aquele sorriso, ele assim o decidiu naquela altura, não podia acabar. Nunca poderia ser esquecido. Tinha que ser eterno. Ele sabia como fazê-lo. E assim o fez.

E como não há 2 sem 3, aqui vai o seguinte "cozinhado", de autor/a a adivinhar por vós

Desta vez, as regras são as seguintes:
  • cada pessoa pode participar mencionando dois nomes para o autor/a;
  • a primeira pessoa a adivinhar deverá contactar os bloggers que desejar, de modo a continuar esta iniciativa;
  • os bloggers a contactar não devem saber dos outros contactados;
  • e pronto...penso que desta vez será mais fácil.
Mais logo, divulgo as respostas relacionadas com a iniciativa anterior.

Homens nas nossa vidas...


Homens / Rambos
Os músculos devem ser os suficientes para me apertarem num  abraço, pegarem ao colo ou ajudarem com as compras. Não gosto de trolhas com biceps a saltarem das mangas da t shirt, de porteiros de discoteca com ar de gorilas urbanos, de homens armários de corpinho em V, viciados em ginásios e mistelas modeladoras.

Homens / Frangos
Um homem tem voz grossa, pêlos no peito, nas pernas, e barba. Arranham-nos a cara, e deixam-nos com os lábios a arder quando nos beijam ao fim do dia. Agora impingem-nos que a moda são os homens metrossexuais, quase assexuados, sem pêlos e a cheirar a pó de talco.

Homens / Recordes
O livro do Guiness está na moda. Eu abomino recordes.Eu faço isto, e aquilo, e mais isto...Uma vez conheci um idiota que uma das coisas que me disse durante um jantar rodeado de gente, foi - eu dou três seguidas sem pausas, nunca descanso. Folgo em saber que és idiota e interesso-me muito mais em saber que além de idiota és mentiroso. Não me importa se fazes o pino, se dás mortais encarpados e aterras de flick-flack à retaguarda, para mim é simples, artigo que precisa de muita publicidade é porque não vende.

Homens / Carros
Homens tuning têm um carrinho mais ou menos, mas que faz sempre coisas fantásticas e é mesmo o melhor do mundo. Dá no mínimo 250 km à hora, vai dos 0 aos 100 km em 3s e tem 200 cavalos, e tudo isto nas subidas porque a descer uiiiiiii o que aquilo anda. Depois ainda explicam que tem ABS, ESP, cruise control, aquecimento de bancos, sensor automático de luzes, como se eu quisesse saber na integra o manual do carro, ou fosse compradora num stand da marca.

Homens / Azeiteiros
Gostam de futebol.... (Ui esta vai gerar polémica.) Lêem a Bola, o Record. São treinadores de bancada, adiam uma saída porque joga o seu clube ou escolhem um restaurante que tenha ecrã gigante e sentam-se estrategicamente de frente para poderem ver o jogo.Falam dos jogadores, da melhor defesa, do melhor ataque e aborrecem-me de morte.Um gajo que lê jornais desportivos deve acompanhar com uma beleza que lê a Vip ou a Corazon.

Homens / Carreira
Fazem MBA, mestrado, pós graduações, estágios profissionais no estrangeiro, especializações, ou comissões de serviço em cenários de guerra, possuem uma inteligência acima da média, são arrogantes, ambiciosos, demasiado competitivos, insatisfeitos e raramente são felizes.Trocam-nos pela carreira, abdicam de tudo pela adrenalina do sucesso, do poder que é alcançar objectivos, de vencer contra todas as expectativas. Às vezes arrependem-se, mas geralmente é tarde .

domingo, 21 de abril de 2013

Enquanto não houver vencedor/a, não há nada pra ninguém - acho que vem a propósito, mesmo que brevemente haja


Vamos embora Manel !!! E não há fumos pra ninguém
Não há mulheres pa ninguém
Não há homens pra ninguém
Não há nada pra ninguém
Vamos embora manel!!
Aqui não há nada pra ninguém!!

Certo dia em Lagos ao passar de caminho

Para o Parque de Campismo gritei ‘Ai Toninho !!! `'

Qual não era o meu espanto

Que ao meu lado direito

Julgava estar a ver mal

Belisquei-me, estava feito

Um Parque de Campismo Especial de Corrida para os Senhores Militares, é

inacreditavel !!!


E não há fumos pra ninguém
Não há mulheres pa ninguém
Não há homens pra ninguém
Não há nada pra ninguém
é uma alegria!!
Não há nada pra ninguém!!


Em Lagos não há Piscinas, Parques Culturais
E todas as tentativas são cortadas pelos tais
Se dormires na praia, vem o Cabo do Mar
Se cantares na rua à Esquadra vais dançar (o Vira )
Bate baixo a bolinha bate bate pianinho se por cá queres andar
Que a Judite anda doidinha por te pôr a pata em cima e por te agarrar

E não há fumos pra ninguém
Não há mulheres pa ninguém
Não há homens pra ninguém
Não há nada pra ninguém
é uma alegria!!
Não há nada pra ninguém!!


Se jogam contigo, joga duro com eles
Se te batem de forte, dá-lhes mais forte ainda
E aplica-lhes a táctica, do papel higiénico
Rasga por todos os lados, menos pelo picotado
Paga-lhes na mesma moeda, meio tostão furado e uma volta ao bilhar grande
Joga-lhes na mesma moeda, meio tostão furado e uma volta ao bilhar grande

E não há fumos pra ninguém
Não há mulheres pa ninguém
Não há homens pra ninguém
Não há nada pra ninguém
Vamos embora manel!!
Não há nada pra ninguém!!

E não há fumos pra ninguém
Não há mulheres pa ninguém
Não há homens pra ninguém
Não há nada pra ninguém
é uma alegria!!
Não há nada pra ninguém!!

E não há fumos pra ninguém!!
!

sexta-feira, 19 de abril de 2013

O prato mais recente

Uma das pessoas que participou mais discretamente enviou o seguinte texto para outro desafio, a que se associa um bónus, digamos. As regras são semelhantes às do anterior, pois vou alterá-las ligeiramente e acrescentar mais uma:
  • Quem primeiro adivinhar quem é o/a autora e a imagem que lhe serviu de inspiração ficará incumbido de publicar no seu blog outro texto de outro/a autor/a "desconhecido/a", a ser também adivinhado.
  • Cada participante pode mencionar 2 nomes para a pessoa que escreveu, num mesmo comentário, ou noutro posterior e deve sempre fazer referência a uma imagem apenas.
  • A primeira pessoa a adivinhar o/a autor/a + a imagem aludida verá a sua resposta confirmada por mim na caixa de comentários.
  • De seguida, o/a vencedor/a terá que contactar os seus bloggers,  (tal como recentemente fiz com alguns de vós que me lêem e comentam) e informar do que se pretende. Esses bloggers não podem saber quem são os outros contactados.
  • E assim por diante.
Mais uma vez, divirtam-se que é para isso que cá andamos e a vida pode tornar-se demasiado curta enquanto o diabo esfrega um olho.


O Contrato

“Esta é Lisa.” Foi assim que o marido dela a apresentou. Ele observou-a devagar, com o seu olhar acutilante. No rosto sumptuoso dela intuiu uma luz extraordinária. A pele cor de marfim, os negros cabelos, o trajar discreto e elegante. O coração dele saltou, mas não o deu a entender. Acalmou a voz, disfarçou o tremor das mãos, das suas mãos habitualmente firmes e inclinou ligeiramente a cabeça. Ela com ar grave, distante, replicou o gesto dele. Combinaram os termos e condições das visitas. Uma vez por semana, sempre no mesmo local, sempre à mesma hora, sempre a mesma duração. Ele cumpriu o contrato, profissional, religiosamente, como faria com qualquer outro cliente. A distância, o ar alheado dela, faziam-lhe doer o coração. Sofria em silêncio, mas não se denunciava. Gradualmente as suas mãos foram deixando de trair o que o coração sentia. Um dia, ela aproximou-se dele e disse-lhe, baixinho: “Quero-te. Quero-muito. Mas só poderá agora. Poderemos continuar o contrato, mas nunca mais acontecerá.” Ele percebeu então. Ela partilhava os seus sentimentos. E partilhava as suas angústias. Aproximou-se dela e beijou-a, quase como uma brisa a tocar uma flor. Nos braços um do outro, uma gota de suor brilhava ainda no rosto dela, enquanto se encontrava com uma lágrima. Ele nunca soube se a lágrima era ainda de êxtase ou já de saudade. E então, um sorriso como ele nunca tinha visto, suave como uma onda, misterioso como os pensamentos dela, desenhou-se-lhe nos lábios. Ela disse-lhe simplesmente. “Francesco chegará em breve.” O contrato tinha que continuar, haveria de chegar ao fim. Mas o sorriso, aquele sorriso, ele assim o decidiu naquela altura, não podia acabar. Nunca poderia ser esquecido. Tinha que ser eterno. Ele sabia como fazê-lo. E assim o fez.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

"Está a sair já já!"

Está para breve um outro "prato" semelhante ao anterior, com mais um condimento bastante atraente.
A minha primeira iniciativa foi muito bem acolhida e desde já agradeço a todas as pessoas que nela participaram, quer visivelmente, quer mais discretamente. Vocês são uns queridos e queridas, todos e todas sem excepção!

Vamos conjugar um verbo? - II

Titilar

Eu titilo
Tu titilas
Ele / ela titila
Nós titilamos
Vós titilais
Eles / elas titilam

Vamos conjugar um verbo? - I

PIPILAR

Eu pipilo
Tu pipilas
Ele / ela pipila
Nós pipilamos
Vós pipilais
Eles / elas pipilam

Ora digam lá que não é um dos verbos com uma sonoridade bem engraçada!

quarta-feira, 17 de abril de 2013

O meu cozinhado que não é meu

Gostaria que quem tivesse disponibilidade e vontade participasse na seguinte iniciativa, que consta em, não só adivinhar quem é o/a autor/a do seguinte texto, que é a mesma pessoa que enviou a imagem a acompanhar, como também aliciar / seduzir /  assediar/ propor a  outros bloggers a participarem na brincadeira (mais uma corrente, se quiserem chamar assim). 
E os passos são os seguintes:
  • Quem primeiro adivinhar quem é o/a autora, ficará incumbido de publicar no seu blog outro texto de outro autor "desconhecido", a ser também adivinhado.
  • A primeira pessoa a adivinhar teria que contactar os seus bloggers,  (tal como recentemente fiz com alguns de vós que me lêem e comentam) e informar do que se pretende. Esses bloggers não podem saber quem são os outros contactados.
  • E assim por diante.
Confuso? Talvez, por isso requer uma segunda leitura, pois na minha mente parece-me simples, desde que as regras se cumpram. A caixa de comentários está aberta e mal alguém adivinhe o/a autor/a, confirmo a resposta certa, também na caixa de comentários. A partir daí, a continuação do "cozinhado" depende somente de quem quiser continuar a adivinhar.

Posto isto, deixo-vos o prato, cozinhado em parceria com alguém "conhecido". E mais não digo! Divirtam-se :)

"Anoitecera numa angústia estranha e amanhecera inquieta. Sabia que a porta por onde acedia àqueles encontros tinha estado apenas entreaberta das últimas vezes. Passar para o outro lado era mais e mais difícil e parecia-lhe que estava a ser afastada sem que lhe explicassem porquê.
Como de costume, vestiu-se de branco, e percorreu o longo caminho até lá em passos breves.
A porta estava fechada."

ps2.jpg

(ADENDA: Não se deixem enganar pelo género do adjectivo "conhecido". Foi apenas um lapso, porventura enganador, de minha parte. Há 50% de probabilidades de acertarem no sexo da pessoa.)

Só p'ra dizer

...que hoje sairá o prato! Mais logo!

terça-feira, 16 de abril de 2013

Mas gosto do Barney!

No bar habitual:
...
Barney: O meu pénis é mágico, concede desejos.
Loira: Sim? Sai de lá um mágico?
Barney: Só se esfregares muito.
....
----------------------
E pronto, é isto. Sou tão básica que até meto dó a mim mesma!

Ahhhh...esqueci-me...

...de acrescentar: também não gosto de chá. Pronto.

Pronto, já sei que nunca mais cá voltam! É a vida!

Eu não gosto de cerveja.
Nunca gostei e não consigo gostar. Já bebi algumas, contudo, que me deixaram algo..."fora de mim".


O que será? - perguntam vocês

Estou, desde ontem ao final do dia, a cozinhar um prato altamente apetecível!

Amanhã mostro!

segunda-feira, 15 de abril de 2013

As I Wish

Ask Me What I Want


 
I fantasize that one day

you would look into my eyes and say

“Baby, I will do anything to please you.

What do you want?”

 And I would say

“For you to explore my body

and find my spots.

All of them.

 And to be caressed so lightly

that only the tips of my hairs

knew that you had touched me.

 For you to take your time.

Hours.

Making sure that my every pore

had been anointed

dipped in your juice.

  That you would lick me

and rub the head of  your dick

right on my love knot

until I couldn’t stand it anymore

and beg to be relieved.

 And then, for just a split second

linger there

hovering

at my gate

and s-l-o-w-l-y inside.

Glide.

Workin’ it, baby.”

Today, that is.

Ask me again tomorrow.

My moods change. 
 

Mais um daqueles obscuros

domingo, 14 de abril de 2013

Disclaimer

Malditos óculos!
Esta semana não me responsabilizo pelo que poderei ler mal nos vossos blogues.
Esta semana não me responsabilizo pelos comentários que deixarei por aí.
Esta semana não me responsabilizo pelo que escreverei neste tasco.
Esta semana não me responsabilizo pelo que responderei a quem me comenta.
Tenho dito!

sábado, 13 de abril de 2013

O Zé da Tripa


Hoje andei por aqui. Mas não foi aqui que comprei a tripa de ovos moles que adoro. Estava fechado e duas pessoas a tratarem do que me pareceu ser a limpeza ou manutenção do tasco. Longe vão os tempos em que se formava fila nesta banca para comprar bolacha americana ou tripas recheadas, de ovos moles ou chocolates. A concorrência aumentou e foi na concorrência que adquiri a minha e a do mais-que-tudo. Estava deliciosa e mole, com os ovos moles a alojarem-se por entre os meus dedos e eu a lambuzar-me toda, como sempre. Mas confesso que me senti traidora. Foram anos e anos a ir buscá-las ao Zé.

 

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Vou abusar de ti

Vou abusar de ti.
Olhar para ti com olhos de esfomeada,
Mirar-te de alto a baixo, 
Lamber os meus lábios carnudos, 
Salivar de antecipação
E parar os olhos nos teus sítios apetecíveis
Vou cheirar-te intensamente
Gozar do aroma tão natural em ti
Que me provoca os sentidos 
E me faz querer tocar-te avidamente,
Saborear a tua pele saborosa e salgada
Trincar todos os poros da tua pele
Chuchar-te até ao tutano
Até não restar nada de ti
Sentir-me plenamente satisfeita
Saciada do teu corpo
Terminando com um sorriso nos lábios...

(Pronto, isto é o que eu escreveria se este fosse um blog erótico. Como não é, é somente a descrição do meu acto de comer e adorar comer frango à churrasco com as mãos. Isto ainda é um cantinho respeitável.)


Vou chibar-me (quase) toda

Durante estes anos de blogosfera, li bloggers de toda a espécie e feitio, tal como qualquer um de nós que aqui ande há mais de meia dúzia de dias. As nossas ideias pessoais e os nossos gostos levam-nos a empatizar mais com umas pessoas do que com outras, a comentar mais umas do que outras, a brincar mais com umas e a não tocar assuntos com outras. Verdade à "la Pallisse", certo?
Vai daí, eu, admitindo que sou uma cusca terrível, tenho ousado dirigir-me, via e-mail a quem o tem disponível no blog, a certas pessoas, a quem acabo por fazer um montão de perguntas e com quem tenho tido conversas bastante interessantes e esclarecedoras. Não me lembro de alguma vez me ter arrependido de ter tomado essa iniciativa. Nunca correu mal e tenho tido feedback bastante satisfatório. Gosto de conhecer mais das pessoas assim, entrando-lhes "pela casa dentro" e sentindo que não sou mal recebida, tendo consciência do que significa privacidade e de que o que é dito num lado nem sempre deve ser referenciado no outro. Não sou, de certeza absoluta, caso único na blogosfera, pois não?
E agora questionam-se vossas excelências (eu, pelo menos, questionar-me-ia, se lesse este texto noutro blog): "afinal quem são os e as correspondentes virtuais a quem ela se refere?". E agora respondo eu: "Isso agora..."!

A número 1 dos meus 20s

Dunas, são como divãs,
Biombos indiscretos de alcatrão sujo
Rasgados por cactos e hortelãs,
Deitados nas Dunas, alheios a tudo,
Olhos penetrantes,
Pensamentos lavados.

Bebemos dos lábios, refrescos gelados (refrão)
Selamos segredos,
Saltamos rochedos,
Em camara lenta como na TV,
Palavras a mais na idade dos "PORQUÊ"
Dunas, como que são divãs
Quem nos visse deitados de cabelos molhados bastante enrolados
Sacos camas salgados,
Nas Dunas, roendo maçãs
A ver garrafas de óleo boiando vazias nas ondas da manhã
Bebemos dos lábios, refrescos gelados,
nas dunas!
Em camara lenta como na TV,
Nas dunas..
Nas dunas..
Naasss duunas...
Naasss duunas..
Refrescos gelados...
Como na Tv.
Nas duunas..

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Destaque do Dia

A minha única avó, bisavó do meu filho e não só, (já falei dela aqui) com a bela idade de 81 anos, acabou de me informar por telefone, que, por altura das noivas de santo antónio, pretende casar-se com um companheiro da instituição social onde ambos residem, cuja idade é 101 anos e ainda é bastante concorrido por outros espécimens femininos.
Não sei se acredite...

terça-feira, 9 de abril de 2013

Lembrei-me, não sei porquê e acabei de ouvir

Não tenho recordação nenhuma do filme ("Les uns et les autres") visto antes dos meus 12, 13 anos. Mas lembro-me que foi nele que ouvi pela primeira vez o Bolero. A minha mente associa, inevitavelmente, o seu ritmo lento, em contínuo crescendo, ao climax dum acto sexual prolongado e hedonista, a dois.

Dúvida repentina

Sou só eu a achar que o actual treinador da Académica esbanja charme à medida que envelhece? Será mais um a juntar à lista do vinho do Porto?

Para que não haja dúvidas nem obrigações post-mortem

Quero ser cremada e depositada em terreno fértil, com uma árvore plantada ao lado. Esta era uma dúvida que já me assaltava há muito tempo e o Sacana ajudou-me a encontrar a resposta. Obrigada.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Eu mostro a minha. E tu, mostras a tua?

Sempre tive bastante curiosidade em relação à letra das outras pessoas. Um texto escrito com uma letra gatafunhada, irregular e imperceptível é meio caminho andado para eu perder a vontade de o ler. Já uma caligrafia bonita, desenhada, por vezes regularmente inclinada, é meio caminho andado para ler com prazer. A minha profissão permite-me ler de tudo. Haja quem à mão escreva!

No que toca a comer e a beber, eu sou de gostos fixos

Não sou gorda, não sou magra, sou de estatura mediana e compleição física normal. Só não digo o peso que acompanha os meus 164 cms porque sei que estou com peso a mais e não quero ninguém aqui a chatear-me. Eu tenho espelho em casa e não sendo cega, gosto do que lá vejo. Adiante...
Gosto de comer, comer muito, comer bem, comer em boa companhia e comer comida saborosa. Há lugares por esse país fora, uns visitados uma ou duas vezes, outros com mais frequência, outros fazem mesmo parte dos meus hábitos semanais. Tudo isto para dizer que, se quero comer Polvo à Lagareiro, vou ao restaurante A. Se quero comida chinesa acompanhada de Mateus Rosé, vou ao restaurante B. Se quero Posta Mirandesa antecedida duma alheira, não há hipótese: vou ao restaurante C. Se quero embebedar-me de carne vermelha e vinto tinto, vou ao restaurante E. Se quero bacalhau com natas, vou ao restaurante F. You get the picture, right? Nem que para isso tenha que andar 2 horas de carro, 100 Kms ou mais e perguntar pelo caminho. Não farei a legenda, porque não é isso que interessa agora, mas posso dizer que estas 6 iniciais abarcam uma área geográfica que começa no Nordeste Transmontano e termina no Mondego. A verdade é que o mais-que-tudo sempre me acompanhou neste meu gosto; ou eu a ele, vá, já nem sei dizer, pois nesse aspecto somos "lé com cré", um diz mata, o outro diz esfola. Fossemos assim em tudo e já tinhamos morrido de tédio e felicíssimos da vida. Mas não somos. Adiante...
Gosto de conhecer restaurantes novos, gosto da novidade, mas já resisto a degustar coisas novas que não sejam portuguesas. Sou fã quase incondicional da nossa comida tradicional; deve haver pouca coisa de que não goste; assim de repente, lembro-me de carapau cozido, morcela e papas de sarrabulho.
De resto, marcha tudo, desde que nacional.  


Detalhes cá da casa - V


domingo, 7 de abril de 2013

Cromos da bola e não só

O petiz gosta de coleccionar cromos. Neste momento anda a completar a sua quinta caderneta temática e praticamente todos os dias consegue trocar os repetidos com colegas na escola. Nada de anormal até aqui, pois possivelmente todos nós fizemos colecção e troca de qualquer coisa quando tínhamos a idade dele.
O que eu já acho estranho mas bastante divertido é haver pela cidade de Braga pontos de troca de cromos, especialmente concorridos ao fim-de-semana, nas manhãs de sábado e domingo: quiosques de venda de jornais, revistas e afins, cercados por miúdos e graúdos; surpreendentemente a presença destes é maior do que a daqueles. Mais homens do que mulheres, muitos na casa dos 50 e, rodeados de pais, mães, criançada, a perguntarem por números, a trocarem papéis, a darem maços altos de cromos uns aos outros, sempre num ambiente acolhedor, descontraído mas organizado, de convívio, onde não só se troca, como se dá e recebe mais do que se recebe e se dá, sem que alguém fique a perder e onde a manhã termina com um "até sábado que vem". É a velhinha transação comercial directa, a provar que ainda há negócios transparentes que não exploram ninguém. É giro de se ver. Para a próxima tiro foto dos intervenientes!

Detalhes cá da casa - IV


sábado, 6 de abril de 2013

Parvoíces e sugestões

Há por aí tantos blogs gastronómicos e com nomes que incluem comida que hoje a minha mente lembrou-se assim de mais uns nomes catitas. E que tal?
  • A laranja mais azeda
  • O limão mais ácido
  • A cola mais socialista
  • As oreos sem creme
  • O pepino mais fino do mundo
  • O azeite amarelo
  • O chocolate indigesto
  • As maças podres
  • A melancia gostosa
  • O caril torrado
  • A malagueta inofensiva 
  • Aceitam-se sugestões
  • Etc

sexta-feira, 5 de abril de 2013

escrever

usar palavras brincar com letras atirar ideias abusar das figuras de estilo trocar a pontuação cruzar  sílabas não fazer parágrafos desobedecer às regras errar os acentos de propósito iniciar desenvolver concluir sintetizar trocar antónimos analepsar prolepsar desabafar recordar ficcionar fantasiar explorar a mente auto-comiserar-me castigar-me argumentar opinar concordar discordar usar a razão aniquilar emoções berrar por escrito raciocinar reflectir decidir expurgar a alma... apetece-me!

Algo belo, para o fim-de-semana que se aproxima

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Inquérito meta-bloguístico

Vocês, prezados leitores, acham que os meus posts são obscuros, de difícil compreensão, com intenções que não as óbvias e descritas pelas palavras que escolho usar? Estou deveras curiosa!

terça-feira, 2 de abril de 2013

Já sei o que pedir ao pai natal

Hoje era um excelente dia para publicar e partilhar aqui qualquer coisa fútil, gaija-style: estou bem disposta e fui arranjar as unhas que estão lindérrimas, do tamanho e forma adequadas aos meus dedos pintados de cor rosa e com um toque suave, silk-like. Dá vontade até de coçar e arranhar costas. Rais' parta lá a máquina e o ambiente escuro que não ajudam nadinha!

Semana do Cinema: dia 1

  • Trainspotting: nojento, asqueroso, de mau gosto, violento, cínico, um murro no estômago, revoltante, cru, cruel, alucinante, repugnante, cómico, hilariante. Gostei dos minutos da ressaca, das referências ao (Z)iggy Pop e da banda sonora. O "Perfect Day" de Lou Reed está perfeito!
  • The boy in the striped pyjamas: mau, vil, inocente, injusto, muito emotivo, amargo, desconfortável, trágico e fez-me chorar. Prefiro o livro - que li há alguns meses atrás -  ao filme, já que aquele é bastante mais pormenorizado e cinzento do que este, logo, mais adequado aos contrastes dos 2 povos em causa.
  • La Vita é Bella: ternurento, divertido, fantasioso, algo patético, perturbador, inocente, irrealista, bonito e também me fez chorar. De salientar a capacidade quase infinita do pai do miúdo de se manterem em jogo quase até ao fim, mostrando que os dias podem mesmo ser belos.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Até parece mentira, mas não é!

Hoje é segunda-feira, 1 de Abril, dia das mentiras e eu acordei bem disposta. Dia único no ano! Pena o ano não ser bissexto.

Não digo que não

No dia em que este blog atingir os 100 seguidores, acaba-se com ele!