segunda-feira, 29 de abril de 2013

Detalhes cá da casa - VIII


13 comentários:

  1. aaaah bom! :)
    Mas cassestes, daqueles de musica, aposto que não vais mostrar! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje, realmente, não mostro. Dá-me uma semana, sim? :)

      Eliminar
    2. Dou pois...
      Lembro-me de ha 15 anos (ooooooh god estou tão velho... snif snif), quando tinha 14, passava tarde a gravar cassetes com a minha irmã, mas conosco a cantar! O rádio, tinha um microfone na coluna, então metiamos um cd dos metallica a tocar, cassete a gravar, e vá de cantar as canções todas!! :D
      Opá, belos tempos! :)

      Eliminar
  2. Kamasutra? Hum. E não querias postar imagens de sexo badalhoco :-b

    R.

    ResponderEliminar
  3. Aquilo não é sexo badalhoco, é muito instrutivo. Já o que eu vi nas minhas pesquisas anteriores é....olha, estou "wordless" de tão chocada que ainda me sinto :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagino que sim, Virgem Maria :-b

      R.

      Eliminar
  4. OLha, faz o que eu fiz e óspois vem cá contar ok. Googla imagens de "sexo em pocilgas", "sexo entre porcos", "sexo badalhoco" :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Will do :-). Mas só sexo badalhoco, porque dos outros não tinhas ainda falado :-b

      R.

      Eliminar
  5. Aproveita e aprende com os outros termos.
    Há limites :)

    ResponderEliminar
  6. Deixa-me adivinhar, o leitor de VHS já não está ligado, certo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ness, já nem existe nesta casa. :) E o dos DVDs deve ir pelo mesmo caminho um destes dias...

      Enquanto a curiosidade infantil não virar os olhos para ali, aquela estante não arreda pé :P

      Eliminar
  7. Kamasutra ao lado de Matrix... até merecia ser renomeado de Metrix! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eros, só tu :P
      Logo espreito-te pelo buraquinho da fechadura :)

      Eliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.