sábado, 28 de outubro de 2006

Das abóboras

Isto de importarmos tradições culturais que em nada favorecem a nossa própria cultura nacional só resulta em merda; por outras palavras, estes hábitos estrangeiros apenas servem para assaltar a bolsa dos papás e mamãs que não conseguem dizer "NÃO" aos garotos e para adulterar a festividade secular original. Quero ver quantos anos mais é que eu e o dito cujo vamos resistir a tais ataques persistentes do nosso herdeiro.

Mas porque hoje é sexta-feira, quase véspera de festa pagã anglicano-americana, aqui vos deixo desejos de um excelente fim-de-semana e com abóboras de qualidade, como estas duas.

Nota1: De repente lembrei-me que a minha falecida mãe tinha o hábito de fazer as primeiras papas de abóbora carregadas de canela no dia 1 de Novembro de cada ano, sem falha! As minhas ainda não chegam aos calcanhares das dela, mas pelo menos já posso dizer que já não me mete asco mexer nas entranhas duma abóbora.

Nota2: Eu nem seria a Pseudo, se não fizesse referência a comida, não é, Sr. DG?