terça-feira, 27 de maio de 2014

A. P. F. - 26 de Maio

É estranho não saber descrever o que sinto após a notícia que me foi dada há quase 2 horas. Nunca se saberá porquê. Porquês há muitos. Mas qual deles foi o fatal? Agora já não interessa, pois é irremediável. É estranho. Mais estranho é quando é com alguém que conhecemos. 

Ganas de esbofetear gente

Fosse a GalpOn uma pessoa e não uma entidade demasiado abstracta, demasiado burocrata e demasiado estúpida e eu estava de cu alapado numa cela, a viver à vossa conta, por ofensas corporais e, diria mesmo, por tentativa de homicídio.

Descabelo-me a tentar resolver um assunto há meses e, de cada vez que tento pôr um ponto final na coisa, é como se me estivessem a ouvir pela primeira vez. Há fotos, emails, mensagens, chamadas gravadas, reclamação no livro vermelho. 
A incompetência agride-me a figadeira.



#umdiaaindaapareçonatviaenxovalharagalp