quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Mudemos o registo e o tema e as autoras. Reclamem com quem deixou poesia na caixa do correio...

Geme…


E será isso importante

Se se limita, numa cadência constante

A arrastar os seus dedos

No corpo dela, relaxado

Num ritmo amorfo, sem alma, cansado

Onde se reflectem todos os seus medos?


Geme…


Mas porque será que os seus gemidos

O levam, egoísta a insistir no erro,

Lhe toldam todos os sentidos

E destapam apenas o seu próprio desespero?


(Autor Anónimo conhecido)

Pergunto-me sempre

Se o povo que deseja os bons dias e/ou as boas noites no Facebook, blogue, Instagram, Twitter e tudo o mais que haja  de redes sociais, espera que haja resposta.

E é que há sempre!