terça-feira, 29 de maio de 2007

Só Gajos que me atormentam...

Vamos lá ver se pomos as coisas em pratos limpos, sim?
Isto porque o joão, ali na caixa de comentários dum post qualquer em baixo, faz a seguinte pergunta, importantíssima para a existência deste blog - "afinal qual de Nossas Brochelências é O Gajo." - , enquanto socializava animadamente na blogosfera com O Gajo, que por sua vez também se revelou bastante amistoso para com este meu leitor / comentador. Toda a gente, menos tu, pelos vistos, sabe quem é O Gajo! Senão, pergunta aí ao pessoal, ver o que eles dizem....
Para quem já me vem acompanhando há tanto tempo, este teu desconhecimento desilude-me imenso. Também não sou eu que te vou esclarecer sobre tal questão virtual. Podes, contudo, continuar a acompanhar-me, aqui e onde mais te aprouver, e quando descobrires a resposta à tua dúvida, vem cá dizer-me e aO Gajo, se faz favor.

E agora vou dormir, que amanhã é dia de festa ali p'rós lados do Gerês e desconfio que vou apanhar uma molha descomunal. Benditas botas, que finalmente vão ser usadas!

E isto, já agora?

quinta-feira, 24 de maio de 2007

O Poliglota

É verdade matemática
Que ninguém podi negá
Que essa história de gramática
Só serve pra atrapaiá
Inda vem língua estrangera
Ajudá a compricá
Meió nóis cabá cum isso
Pra todos podê falá

Na Ingraterra ouví dizê
Que um pé de sapato é xu
Desde logo já se vê
Dois pé de sapato é xuxu
Xuxu pra nois é legume
É verdade e não boato
O ingrês que lá se arrume
Mas nóis num come sapato

Ná Itália ouví dizê
Eu não sei por que razão
Que manteiga lá é burro
Lá se passa burro no pão
Desse jeito pra mim chega
Sarve o povo do sertão
Onde manteiga é manteiga
Nóis num come burro não

Na Argentina aprendi
Que lá saco é paletó
Lá se o gringo toma chuva
Tem que pô o saco no só
E se acaso o dito encóie
A muié diz o pió:
Teu saco é muito pequeno
Vê se arranja um saco maió

Na América corpo é bódi
Veja que bódi vai dá
Conhecí uma americana
Doida pro bódi entregá
Fiquei meio atrapaiado
E disse pra me escapá
Óia moça eu não sou cabra
Chega seu bódi pra lá

No Chile cueca é dança
Pra se dançá e bailá
Lá se dança e baila cueca
Até a noite acabá
Mas se um dia um chileno
Vié pro Basil dançá
Tente mostrá a cueca
Pra vê onde vai pará

Uma gravata esquisita
Um certo francês me deu
Perguntei onde se bota
Acho que num entendeu
Me danei com a resposta
Isso é coisa que eu não faço
Seu francês mal educado
Mete a gravata no seu.

quinta-feira, 17 de maio de 2007

Nada como dar às crianças todas as informações úteis sobre a proveniência e propriedades do leite - parte II

Ora, então depois de eu própria seguir o meu conselho anterior, finalmente consigo partilhar convosco esta pérola fabulosa, tão rica em imaginação e também informação comprovada. Escreveu assim o miúdo:

Composição

O leite

O leite é muito bom para a saúde. Eu gosto muito de leite.
As vacas dão leite e as cabras também. O meu pai diz que à cabras de duas pernas à noite no parque Eduardo cétimo de Lisboa, mas não dão leite dão outra coiza que ele disse mas eu não percebi.
As ovelhas também dão leite e mais outros animais que tem mamas.
O senhor prior cá da aldeia também dá leite aos pobres mas é em pó

O aluno
Jusé Seara Matias
Feira 27 de Marco de 2003

sexta-feira, 11 de maio de 2007

Nada como dar às crianças todas as informações úteis sobre a proveniência e propriedades do leite

(aumenta a coisa)

Vá, bebam muito dele que vos faz muito bem.

P.S.: Que progenitor é que não se sentiria orgulhoso dum filho assim, não é Zezito? (obrigada)

quarta-feira, 9 de maio de 2007

Lá vai o primeiro

Tenho um filho desdentado. Lá terei que alargar os cordões à bolsa durante a noite. Tudo porque hoje à tarde andou "a jogar à porrada" (palavras dele) e mordeu um colega.

terça-feira, 8 de maio de 2007

Ainda bem que há alguém que o faz...

Um destes dias, o sr_antonio informou-me que me tinha agraciado com um daqueles prémios que de vez em quando invadem a blogosfera. Prémio esse que destaca blogs que façam pensar quem os lê. Ora, no meu caso, a primeira coisa que me ocorreu foi: "sr_antonio, o meu blog fá-lo pensar exactamente em quê?" É que eu própria nunca me considerei uma grande pensadora, uma daquelas pessoas cuja mente está sempre a divagar sobre algo, a tentar encontrar os porquês para as grandes dúvidas existenciais que assolam a humanidade. Não sendo eu filósofa nem "discursora" por aí além, nunca tendo tido em mente fazer pensar quem quer que seja, tendo um blog apenas para alimentar o meu ego narcisista e não um daqueles blogs de política e crítica a tudo e mais alguma coisa onde também se opina por tudo e por nada, este prémio, que encaro como um acto de cortesia e apreço pelas horas passadas a seu lado (isto não é para ler literalmente) aquando das suas constipações invernais, é aceite e aqui partilhado convosco.

Supostamente, eu teria que nomear mais cinco blogs que me fizessem usar a minha massa encefálica. Mas como poderão saber, sou pouco dada a etiquetas, faço o que me dá na real gana, até porque o blog é para ME agradar. Vai daí não há cá nomeações para ninguém, até porque agradam-me pouco estas coisas em cadeia, sejam e-mails sejam posts. Não é que não haja blogs do género, são é mais do que cinco, por isso teria bastante dificuldade em escolher os meus eleitos
(mentira, eu sei bem que escolheria :P).

E pronto: depois de mais uma amostra de que só olho para o meu próprio umbigo, e que sou extremamente simpática, aqui está o dito cujo prémio.


sr_antónio, muito obrigada. Agradecia que respondesse à pergunta que lhe dirijo :)


segunda-feira, 7 de maio de 2007

Fomos à bola

...algo que nunca tínhamos feito juntos, os três, isto é. Já fui à bola com o mais-que-tudo algumas vezes, inclusivé já vi um Braga-Benfica ao vivo, do qual guardo recordações como um resultado final de 2-1 para os da casa e de ter ficado com o cu gelado por ter passado 2 horas sentada nas bancadas de pedra, de noite e em pleno Inverno. Lembro-me também de na altura me questionar para que raio é que as outras pessoas traziam uma espécie de almofada. Agora já sei...mas isto já lá vão uns anitos, ainda nem sequer se falava do Euro 2004 e da Pedreira que entretanto construiram ali na zona de Real, ainda nem era casada e ficava na vadiagem até às tantas. Bons tempos! Adiante...

Bem , como disse, ontem fomos à bola. Fomos ver o derby local lá da terrinha, cuja equipa foi promovida de Divisão há 2 semanas atrás. Portanto, este jogo foi somente para cumprir calendário.

O que me apraz partilhar convosco?
Ver um jogo ao vivo não tem nada a ver com os da TV. Fiquei fula que nem uma barata por não ter estado atenta ao primeiro golo da minha equipa. E claro, repetição...nem pensar...duhh. Depois, desconsolou-me ver o nosso treinador - que por acaso é bom cumó milho - fora do banco, visto estar castigado por ter chamado um nome ao árbitro há cerca de um mês atrás. Digam lá, acham "palhaço" um termo assim tão ofensivo? Eu cá não acho que é motivo para tanto, mas ele - "o palhaço" - é que sabe. O campo era de terra batida, então era poeira por todo o lado, a juntar ao calorzinho agradável de ontem...que sucedeu? fiquei pegajosa e asquerosa em tudo quanto era lado. Um excelente motivo para tomar uma banhoca revigorante de seguida.

Falemos de linguagem. Um jogo destes é um excelente incentivo à prática do nosso linguajar, tão rico em vernáculo futebolístico. Ouvem-se pérolas de muitas bocas, como ****-** e ******* e ainda *** ***** da ****. Ora, o nosso catraio estava mesmo ali ao nosso lado. Por acaso, mas só por acaso, é que não repetiu uma destas. Porque se repetisse, acho que me vinha logo embora, de trombas e chateada com ele que afinal não tinha culpa nenhuma. Lá ficaria com a tarde estragada e sem ter apreciado devidamente os 22 pares de pernas que teimavam em bailaricar ali mesmo à minha frente. Quem ficou a ganhar foi ele, o miúdo, que pediu um cachecol da equipa e sem qualquer hesitação lá demos uma nota de 10 euritos por um trapo de enrolar ao pescoço. Enfim...coisas de pais.

Estes jogos da terrinha são um bom motivo para re-vermos pessoas que já não víamos há anos: vizinhos, amigos dos pais, antigos namoricos, paixonetas platónicas do passado...estavam lá todos. Umas mais velhas, outras mais barrigudas, eles bem mais pançudos...um verdadeiro retorno às origens e também uma fogueira das vaidades rural. Inclusivé dei duas de treta com um rapazito com quem andei engalfinhada quando tinha 15 ou 16 anos. Que cega que eu era na altura, irra! E que mau gosto!!

Bem, foi uma tarde diferente, de facto, passada a socializar. Resultado final: 2-1 para os da casa e um jantar, ao qual já não assisti, que sei que consistiu em leitão assado e respectivo acompanhamento. E para aqueles que ainda não sabiam, as minhas origens são na Bairrada, mas não ligo nenhuma ao porco. Babo-me sim por um Arroz à Malandro do Restaurante Pompeu. Uma vez por mês lá estamos nós a marcar o ponto.

E pronto, foi isto...logo ainda tenho que agradecer a uma pessoa; pode ser que ainda disparate mais por aqui.

beijinhos, beijocas.

sexta-feira, 4 de maio de 2007

E a Linda de Suza que não me sai da cabeça

Pois é, hoje já dei duas, logo à tarde vou dar três e agora vou ali aviar as malas que tenho mais que fazer e aonde ir. Domingo à noite há mais, se não for antes.

Hasta la vista, babies!