domingo, 1 de maio de 2011

Dúvida de dia da mãe

Os descendentes e filhos de casais homossexuais chamam mãe a qual das partes?

Eu, consumidora

Eu gosto de fazer compras, admito. Mesmo aquelas rotineiras, obrigatórias que enchem a despensa e frigorífico cá de casa. Mas sou um bocado esquisita quanto à hora a que as faço e com quem. Tenho hábitos: mesmo quando não tenho uma lista de items, sei sempre o que quero e vou directa às estantes e escaparates. É raríssimo desviar-me do meu percurso, pois detesto deambular pelos corredores a observar a paisagem que não me interessa. Ora, quando eu vou às compras com o mais-que-tudo e com o petiz, é certo e sabido que há chatices. Por isso, evito as compras em família ao fim-de-semana. O petiz pára e fica na secção de brinquedos e confio que não sai de lá sem olhar tudo com as mãos. É que não sai mesmo! A não ser quando o chamamos e temos quase que o puxar por uma orelha para se vir embora. Sendo esta uma das razões da chatice. O mais-que-tudo desvia-se do estritamente necessário, pára onde eu habitualmente não páro, olha e volta a olhar e compara preços, características e faz-me esperar uma eternidade antes de se decidir por alguma coisa. Ora, eu não tenho paciência para este ritmo irritantemente lento do "pára arranca" dentro duma grande superfície comercial. Daí tentar sempre ir sozinha e a horas de pouco afluxo. Sim, porque muita gente à minha volta, mesmo que num espaço airoso, faz-me sentir incómoda e claustrofóbica. Começo a sentir-me tensa, farta de ali estar, querendo chegar à caixa rápido e que resolvamos tudo o mais rapidamente possível para sairmos daquele antro.
Ora, ontem, como já tinha escrito, fomos pela primeira vez ao IKEA. E senti exactamente o mesmo. Sabíamos o que queríamos e comprámos o que queríamos, depois de passar por todos os quartos e cozinhas e escritórios e mais não sei o quê (tal como a planta da loja nos obriga), o que, a juntar às pessoas a quem tínhamos que pedir "com licença" e "desculpe" frequentemente, me causou uma dor tremenda de cabeça e nas pernas. O petiz acabou o "passeio" de uma hora com fome, com vontade de afiambrar um "hot dog". O mais-que-tudo ficou adepto da organização sueca e deliciou-se hoje de manhã a montar o seu "lego" de adulto.

Haja paciência para a bricolage, que eu pouca tenho!