domingo, 29 de abril de 2007

Robots

É a nova coqueluche cá de casa, enquanto o puto está de castigo, o que já dura há uns dias. Não há cá prendas nem prendinhas nem moedinhas de 1euro para ninguém!

Mas não foi isto que me cá trouxe...

Não sei se convosco, pais, tios/as, familiares e etc, acontece o mesmo, mas dou por mim a pensar, quando compro um Dvd infantil - sim, porque cá em casa não entra muita pirataria, só alguma, vá... - que o puto vai achar um piadão ao dito cujo. A verdade é que no início nem acha muita piada. Eu e o puto grande achamos mais, normalmente. É que aquelas referências cinéfilas e as músicas escolhidas não são para "puto perceber". É ver-nos todos malucos a rir-mo-nos à mesa e a comentar isto, aquilo e aqueloutro enquanto o puto pequeno está vidrado no ecrã. Já viram o Shrek 2, certamente. Acham mesmo que aquilo é exclusivamente para a pequenada? Pos, eu também não! E como este, o tal do título...que nem foi comprado, chegou-nos a casa como brinde duma pizzaria qualquer que não publicitarei. O tal que tem sido visto repetidamente, religiosamente e diariamente e com o qual o puto já dá umas gargalhadas valentes. Mas coitado...ainda é muito novo para perceber um "Singing in the rain" robótico. Deixá-lo crescer...

Ah, como é bom ser criança!!

sexta-feira, 27 de abril de 2007

Quinhentos vocábulos a multiplicar por quinhentas palavras que se expôem desavergonhadamente por quinhentos posts visitados por quinhentos visitantes mais os restantes quinhentos que aqui caem de paraquedas a quererem bisbilhotar os quinhentos meandros do meu cérebro em busca de quinhentas palavras e pensamentos partilhados que reflectem os meus quinhentos estados de espírito ao longo de mais de quinhentos dias comentados por quinhentos e tantos outros que me acompanham...Foda-se, sou uma blogger babada!

quinta-feira, 26 de abril de 2007

Sabem...

...o que me apetecia mesmo, mesmo, mesmo? Não sabem, pois não? Pois também não vos digo :P

(É verdade: só falta mais um para os 500. Alguma sugestão?)

terça-feira, 24 de abril de 2007

Desde já muito obrigada pelos vossos esclarecimentos e partilha de ideias sobre o assunto dos últimos dois posts. Ainda estou na fase de pesquisa de informação, mas está cá a parecer-me que o papagaio vai de vela...

Sendo assim, o que acham destas duas opções?
Este...

ou este?

Não, o cavalo não é opção, especialmente depois de ter enviado a alguns de vós um certo vídeo digamos que...sui generis.

O bicho

Pois então vou partilhar com o mundo, vossas excelências incluídas, o "porquê" do papagaio...talvez eu própria entenda o "para quê".

Nunca tive qualquer bichinho de estimação, daqueles aos quais nos afeiçoamos, com quem brincamos e não reparamos que o tempo voa, a quem tratamos como elemento da família - mas sei que gostaria de ter tido um, quando era catraia. Contudo, os meus pais não eram nada abonados e nem sequer tinham uma casa com condições para alojar o bicharoco. Eu apenas convivia com os bicharocos alheios, a quem achava imensa piada fazer umas festinhas de vez em quando. Lembro-me do Sultão, um pastor alemão ternurento com quem passava parte dos meus verões na Charneca da Caparica....lindo! Desapareceu...

Sempre que pensava neste assunto, imaginava-me como dona de um belíssimo São Bernardo, imponente e pachorrento ao mesmo tempo, peludo, de olhar meigo, com quem pudesse rebolar na Serra da Estrela. A verdade é que este bicho não fica nada barato e precisa de imenso espaço, coisa que nunca tive pelas terreolas e casas por onde fui passando ao longo da minha vida profissional.

Com mais vontade fiquei quando vim aqui para Braga, há cerca de 9 anos e reparei que a vizinha do 5ºandar tinha um destes bichinhos lindos. A verdade é que ter um destes "pitchou-pitchou" num T4 nunca me pareceu muito boa ideia, mesmo havendo duas varandas, mas ficou-me o bichinho na cabeça. Coçava-lhe sempre o pêlo quando saímos e nos cruzávamos na rua, lá em baixo, e na esplanada do Sr. Antunes. Nunca vi aquele cão a correr desenfreadamente nem a ladrar desalmadamente nem a mijar fora da relva...um dia desapareceu...

Passado uns tempos tive um filhote. Filhote esse que hoje adora cães e gatos e pombas e galinhas e coelhos e me-més e ..enfim...qualquer animal a que possa pôr a mão. Foi o delírio quando o levámos ao Zoo de Lisboa. Temos mesmo que lá voltar este ano.

E vai daí, pensei eu cá para mim:"eu vivo num T4, temos um filhote que anda doido para ter um irmão e um animal de estimação. Já que o irmão não está para chegar tão cedo, porque não arranjar-lhe uma companhia proporcional ao tamanho do alojamento?"

E pronto, foi mais ou menos assim que surgiu a ideia do papagaio: um bichinho pequeno, que possivelmente come pouco, ocupa pouco espaço (digo eu), engraçado, colorido, que até poderá falar, que poderia incutir algum sentido de responsabilidade no nosso pequenote ...

Problemas à vista: a sujidade, as férias de verão, idas inesperadas ao veterinário, as birras (como alguém já mencionou), o barulho que poderia incomodar os vizinhos. Conseguem pensar em mais algum? E não, não sou muito paciente, mas agradeço qualquer dica sobre o assunto.

domingo, 22 de abril de 2007

Animal de Estimação: não me sai da cabeça

Alguém tem experiência de vida em comum com um papagaio? E quanto custa? E quais os cuidados a ter com o bicho?
Agradecia-se qualquer tipo de informação, se faz favor.

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Verdade à La Palisse

...ontem no banho...




-Mamã, os homens têm pilinha e as mulheres têm buraquinho. Mas se os homens tivessem buraquinho e as mulheres tivessem pilinha, os homens faziam xixi sentados e as mulheres faziam xixi de pé.




(Pensei eu: Ena, desta vez acertou com todos os tempos verbais!)


(foda-se, como é que se metem parágrafos nesta merda??!!)

quinta-feira, 19 de abril de 2007

Já vos disse...

...que embirro com blogs que divulguem videos? Qualquer tipo de vídeos? Ainda não tinha dito? Pois, acabei de fazê-lo. Se o vosso é deste género (eu sei, eu sei, Robina e "merceeiro" :P), não me apanham por lá muito tempo. É a vida: umas vezes para cima, outras para baixo. Hoje está para cima, pelo menos para mim.

Até os meus catraios sabem mais e escrevem melhor...


(Obrigada, Lúcia)

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Ai que pedrada com que ela anda!

Ando anormalmente idiota, distraída e esquecida. Escusam de concordar, que eu já sei!

terça-feira, 17 de abril de 2007

Estes profs. não têm juízo nenhum!

Um professor de Matemática quis pregar uma partida aos seus alunos e disse-lhes:
-Meninos, aqui vai um problema:
"Um avião saiu de Amesterdão a uma velocidade de 800 km/h, à pressão de 1.004,5 milibares; a humidade relativa era de 66% e a temperatura 20,4 graus Centígrados. A tripulação era composta por 5 pessoas, a capacidade era de 45 assentos para passageiros, o WC estava ocupado e havia 5 hospedeiras (mas uma estava de folga)."
A pergunta é: quantos anos tenho eu?
Os alunos ficam assombrados. O silêncio é total.
Então o Joãozinho, lá do fundo da sala, sem levantar a mão e em tom de provocação, diz:
-44 anos, professor!
O professor, muito surpreso, olha-o e diz:
-Caramba. Está certo. Eu tenho 44 anos. Mas como é que tu adivinhaste?
Responde o Joãozinho:
-Bem, eu deduzi porque eu tenho um primo que é meio parvo e ele tem 22 anos...



domingo, 15 de abril de 2007

O segredo mais bem guardado da blogosfera

...bem melhor do que qualquer segredo de Fátima!






---
Os "novatos" não o conhecem e até houve quem o relacionasse com aquela coisa pirosa que atormenta as fêmeas mensalmente. Tsk Tsk...Vós nunca ides saber o que perderam por não terem andado por cá nos seus tempos áureos...hehehe.





---
Os "velhotes" apelidaram-no de: "o venenoso que passa a vida a desaparecer", "o gajo que rasteja", "Anão mal cheiroso "...enfim, uma panóplia de expressões, em número bastante inferior ao número de blogs que este gajo já possuíu (aposto que ele vai pegar nesta :P), para designar aquele que ainda ali está linkado como "Blog do Camaleão Anão", e cujo mais recente blog partilharei convosco daqui a nada. Os "velhotes", tal como eu, já se riram a bandeiras despregadas com este ser fungoso, que escreve maravilhosamente bem, que tem uma imaginação pródiga, que é dono de um humor refinadíssimo e duma ironia como poucos, que foi divinalmente criado para partilhar connosco a sua tendência para disparatar com elevada qualidade. Provavelmente não seria este tipo de apresentação que ele desejaria ler, mas o blog é meu e é assim que vejo este gajo que me dá cabo dos nervos quando desaparece sem dizer "água vai, água vem". Ele é um dos três responsáveis por estar a escrever neste blog neste preciso momento.







...
Aconselho aos "novatos" a lerem a sua "Burrblía", já partilhada por mim há imensos posts atrás e desejo que os "velhotes" se divirtam tanto quanto da sua primeira vez.







...
E agora, o tão desejado segredo...

sexta-feira, 13 de abril de 2007

A sair das cascas



Não é que o meu anjinho, que tem 5 anos (ai, como o tempo passa a correr!) pediu-me a chave de casa há 2 dias atrás? Isto depois de lhe ter explicado, quando regressávamos a casa e passávamos por uma das escolas aqui da cidade por volta das 18:30, porque é que os meninos grandes andavam na rua sozinhos, aliás, sem os pais. Vai ele: "Quando for grande e andar sozinho vou precisar da chave de casa" - "olham'este", pensei eu, "já a formiga tem catarro, não??"

quarta-feira, 11 de abril de 2007

Só p'ra dizer...(ler o título a cantar, pensando na Manuela dos Clã)

...que ele voltou. E quem me acompanha desde o início sabe bem a quem me refiro, pois sempre que tal acontece, faço uma festa, ponho foguetes e apanho as canas. Para quem não sabe de quem falo, aceitam-se subornos: um presuntito ou um iatezito não era nada mal pensado.

quinta-feira, 5 de abril de 2007

Valeu bem a pena

Vi neve, vi nevar e vi um boneco de neve...faltava-lhe a cenoura e o cachecol do Benfica. Mas não faltarão para a próxima!