sábado, 25 de novembro de 2006

E agora?

Sou fraca, admito. Se há situações em que eu devia ser mázinha, a verdade é que raramente ajo como tal. Coração mole que não resisto a fazer o que é bem (leia-se, o mais sensato), para bem de todos. Prometo que para o ano mudo!