sexta-feira, 31 de agosto de 2012

O que não fiz nas férias

  • Não apanhei sol a mais em lado nenhum à custa de algumas manhãs e tardes bem soalheiras. Ai a televisão, a televisão...
  • Não comi conquilhas. Talvez para o ano.
  • Não dei grandes passeatas na praia. Mais um passo para o lado e era capaz de esbarrar em alguém, quiçá em gente conhecida e do Norte. Arre!
  • Não bebi demais. No entanto, foi necessário, não por minha causa, adquirir mais 4 garrafas de tinto que a água daquela terra não satisfazia ninguém.
  • Não me coibi de comer bolas de berlim e de lamber os dedos no fim.
  • Não comi uma única sardinha, nem assada, nem cozida, nem estufada, nem o raio que a parta. Que caraças! Acho frustrante!
  • Não atendi telefonemas de gente chata nem respondi a e-mails. 
  • Não parabenizei o aniversariante no dia 21 de Agosto. Ele não se deve ter importado muito. Mas se for o caso, considera-te parabenizado...:P
  • Não fiz uma única refeição no Chaminé. Com alguma pena, mas crise é crise!
  • Não comi pão ao pequeno-almoço e não lhe senti a falta. 
  • Não me cruzei com a Raquel, por desencontro de horários, nos dias da minha ida e do regresso dela.
  • Não visitei o mercado municipal de Tavira, infelizmente, pois gosto bastante de apreciar o colorido dos produtos expostos.
  • Não consegui acabar de ler um único livro, dos três que levei. Terminei o último do coquette do Pedro Boucherie Mendes, "Ídolos", comprado na feira de livros local, e que achei algo repetitivo e enfadonho na parte final, mas bastante directo e elucidativo.
  • Não andei de comboio nem de bicicleta nem de charrete.
  • Não acabei com a garrafa de Licor Beirão; ficou sensivelmente a meio; menos mal.
  • Não berrei demasiado com o filhote, sinal de que ele está mais crescido, apesar de tudo. O meu pai concorda.
  • Não me esqueci do aniversário da minha amiga de infância, a P., que também entrou nos "-entas" há 2 dias.
  • Não clickei uma única vez na máquina fotográfica. Sou um caso perdido nesta área. Felizmente, há quem não seja.
  • Não acompanhei a minha pequena blogosfera durante 15 dias. Hip-hip hurray!
  • ...

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Eu já venho, sim?

Vou só ali abaixo celebrar a entrada no restrito e invejado clube etário dos "-entas". Volto daqui a quinze dias, mais hora, menos hora. Se até aqui foi sempre "ábrir", a partir de agora vai ser sempre a dar-lhe! Pudera, com tanto álcool na viatura...e uma das garrafas é só minha!

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Banho em pelota

Nada como dar uma mangueirada numa criança, num dia quente de verão, para ficar contagiada pelo riso e alegria da mesma. Claro que é quase impossível o adulto não ficar encharcado. E sabe tudo tão bem!
À pergunta inocente que me foi feita "Já brincaste muitas vezes com a mangueira?", tive que responder a verdade depois de 2 segundos a esforçar-me para não me rir. É tão bom ver a inocência desta malta!

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Compra do dia


São produzidas 80 000 bisnagas por ano, segundo o farmacêutico que me atendeu, após 3 tentativas de a comprar em supermercados.

A porra dos acentos

Se for detectada a ausência de algum nos meus escritos, não pensem que é erro meu. Não! É mesmo  porque essas teclas, e somente essas teclas, já foram apagadas sem deixar rasto!

Nervos em franja e ainda não eram 5 da tarde

Hoje deparei-me com uma amostra do que eu poderei vir a ser daqui a 40 anos. Medo, muito medo! Nem o meu petiz me deixou com um nervoso miudinho, inicialmente disfarçado de riso e lágrimas misturados, como a minha avó, a mesma acerca de quem aqui escrevi. Haja paciência!

Leitura actual, a horas indecentes

É coisa para causar pesadelos e acordar sem saber onde estou:

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Romantismo na montanha

As pedras quentes calcorreadas por pés enfiados em  botas de montanha usadas num passeio de quase duas horas, longas para ela, uma brincadeira para ele, contrastavam com a água límpida e gelada que lhes corria pelas mãos, ao refrescarem a cara debaixo dum calor seco, tórrido que lhes amolecia o espírito, mas não os membros. 
Sabiam que a recompensa por este esforço físico estaria próxima. A lagoa verde acizentada, reflexo da verdura frondosa e rochas circundantes, situava-se uns bons metros sempre a subir do ponto onde se encontravam. Ainda teriam que penar mais um pouco, mas o sacrifício valeria a pena, pois esperava-os uma surpresa revigorante, ainda que gélida, como o são as águas de nascente.
Após uns largos passos e metros a suarem as estopinhas, esbaforidos, sem fôlego, chegaram ao destino e descansaram: ambos de mãos nos quadris e tronco inclinado para a frente, a respirarem ruidosamente, bochechas reluzentes e coradas, mas a sorrirem um para o outro e não se importando com as gotículas de suor que lhes escorriam pela face, deram o tão merecido primeiro beijo que os levaria para outras alturas.
O barulho emanado da água a correr violentamente da cascata e a chocar contra as rochas e a água da lagoa abriu-lhes ainda mais o apetite para o banho dos corpos quentes, a necessitarem urgentemente de se livrarem das vestes desportivas. 
De mãos dadas e nus, deram o salto.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Posts agendados

Irritam-me porque aparentemente aparecem como publicados, deixando-me curiosa e vai-se a ver ainda não estão lá. Que coisa! Chatos, pah!

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Só mais uma, por ser colorida e condizer com o resto das cores


Os quatro emocionantes


Não são bem elefantes, mas um até mostra a tromba e o outro mostra o ...resto


Vai apanhar pinhas!


Isto podia ser muito bem um impropério disfarçado, mas é para ser lido literalmente, pois o nosso petiz, mais uma vez, fugiu de nós para ir para uma aldeia serrana a cerca de 25 quilómetros daqui, onde, até há poucos anos, existiam apenas nove habitantes durante a semana. Ai dele que regresse a casa, na sexta-feira, sem ter apanhado o saco das pinhas que lhe mandei! E que não se queixe das férias de verão, pois estão a ser bem ricas!