domingo, 20 de março de 2011

Hummm

Noto uma crescente tendência para que os japoneses visitem esta chafarrica, após o pesadelo que os atingiu. Eu sei que por onde passo, deixo marca, mas não me considero nenhum maremoto. Assim, sinto-me curiosa em relação ao termo de pesquisa ou como é que vieram aqui parar. Há coisas bizarras!