sexta-feira, 30 de junho de 2006

Divagações - não são para entender.

Apetece-me divagar.
Sobre qualquer coisa.
Até sobre o cheiro das flores, que neste momento abunda nesta casa e que já começa a incomodar, de tão intenso que é. A minha mãe adorava flores. Não havia uma semana sem que ela mudasse os arranjos cá de casa, sempre com flores diferentes, sempre com o seu toque muito pessoal e sempre com muito bom gosto. Durante muito tempo invejei-lhe tal talento artístico. Nunca o cultivei. Mas gosto, muito, de flores. E tenho saudades, muitas.
----
Hora e meia a conduzir, a deixar-me ir para sul à medida que acompanhava o céu a nublar-se, a pensar, enquanto ouvia o puto a tagarelar, que vai ser mais um fim-de-semana a voar. Já são 4 anos. É muito tempo, demasiado. Muito mais do que o que tinha sido planeado. E mais três, pelo menos, pela frente. Planos a longo prazo? Não há. Para quê? A vida prega-nos partidas inesperadas. Num abrir e fechar de olhos já cá não está ninguém que importe verdadeiramente.
----
Esqueço-me de pôr de lado as tampas das garrafas de plástico das bebidas que consumimos. Lembrei-me disto hoje, mais uma vez, quando reparei numa amiga que o faz sem pensar. Já é gesto do seu quotidiano. É tudo uma questão de hábito. Tem sido assim, desde 1972. Mas este é um daqueles hábitos que ainda não adquiri. Convém dar o exemplo antes que o puto o faça a nós.
----
O sentimento de culpa é uma merda. Gozam-se os bons momentos, em excelente companhia. De repente, parece que tudo desaba à nossa volta e aquelas seis ou sete horas durante as quais esquecemos a realidade são pesadamente postas para trás. E eu digo "nunca mais; não gosto de me sentir assim".
----
Porque raio é que há condutores tão mal educados a ponto de me fazerem sinais de luzes na auto-estrada quando vou a 120, 130km/ hora, a ultrapassar outro veículo? Que diferença fazem mais 10 ou 15 segundos numa viagem longa? Só me apetece retardar ainda mais a ultrapassagem e dar-lhes uma buzinadela quando me ultrapassam. Sim, Senhor J.F., sou uma empata-fodas. Mas pefiro assim do que espetar-me na curva seguinte.
----
Entre a cidade e a aldeia, prefiro a cidade, desde que as visitas frequentes à aldeia, continuem. Eu sei que vão. Nada como ouvir o chilrear dos pássaros pela manhã orvalhada, o ladrar constante do Oscar e saber que não há deveres a cumprir, para recarregar energias. E gosto do anonimato da cidade. Gosto de passar despercebida.
----
Esqueci-me do dia de ontem, 29 de Junho. Mas o Nuno não se importa, com certeza. Temos o resto do verão para festejar e noutras terras. Estes esquecimentos estão a acontecer cada vez com mais frequência. Não que tal me incomode, já que dou cada vez menos importância a estes dias. Mas é sempre agradável ouvir alguém do outro lado. Espero que ele também não se tenha chateado muito.

quinta-feira, 29 de junho de 2006

Sondagem à boca do blog

Tiro ou não tiro? Vocês é que decidem. Em caso de empate, publicamente revelado nos comentários até ao próximo domingo à noite, eu decido a questão. É que neste momento, estou mesmo indecisa, sabem?

coisas giras dos casamentos


Não haver tubarões já foi uma sorte!




Alguém anda a mexer onde não deve. Se há noiva com cara de parva, esta é uma delas.



Quem lhe manda ver se está a chover? Que par mais esquisito!

quarta-feira, 28 de junho de 2006

Just one question

Bífido, have you ever gone to Freixo-de-Espada-à-Cinta? :P I doubt it.
Thanks for your previous comments, guys, but none of you guessed where that photo was taken. I admit it was kinda hard, though, as I had not given you any clue - it was on purpose, of course. I dont want to give away a prize just like that , ya know? :P
Let's get serious now. The correct answer is: ALASKA.
Alaska is the last state of the USA, bought by the Americans to the Russians - a very cold, freezing one, full of beautiful landscapes, with gorgeous sunsets like this one, with an amazing "aurora boreal" and the place where a "beautiful stranger" lives
And why am I writing this in English? 'cause the person who sent it to me yesterday is going to read this and I dont want him to forget the endless hours we spent laughing, sharing, gossiping, playing, visiting, making fun, talking seriously...and so on, and so on...
So, Mr.JoJo (ya'd think I had forgotten this one uh?), keep sending these, as U know they are appreciated - even if U dont get a word of what my commentators say :P

Fresquinha


Acabadinha de chegar por e-mail, enviada por um amigo meu e a pedir para ser partilhada.
Um prémio para quem adivinhar onde é.

terça-feira, 27 de junho de 2006

Post com destinatário - és um tótó

Eu sabia que eu tinha razão quando disse ao "teu amigo" para não se preocupar! Isto é bom demais para se deixar assim, sem mais nem menos! Mas confesso que todos os indícios me levaram a pensar o pior. Deixas-me sossegada, sabes? :)
Agora exigo e-mail :P
(É a Kim Wilde. Não gostas de loiras? :P)

Ainda do fim-de-semana...


...aguentem com esta reminiscência musical, que eu também a aguentei há 20 anos atrás, ou mais...e ainda a danço!

segunda-feira, 26 de junho de 2006

Dizem que 13 à mesa dá azar.

Pois dá, dá! E o resultado está bem à vista.

Não li na íntegra, mas não me parece que tão cedo a minha Avó me consiga convencer a ler a bíblia, ou parte dela.
(Obrigada, Isabel G.)

domingo, 25 de junho de 2006

Bendita Sogra!

Se há pessoa de quem não posso maldizer, é desta senhora. Muito menos depois duma noitada de arromba que acabou já o sol tinha nascido.
6:45 da manhã são horas muito indecentes para uma pessoa se deitar. Arre! Razão tinha o Variações... O corpo é que paga, o coração sofre e no fim ainda choro de alegria. Ora esta! Muita emoção para um único fim-de-semana.

sexta-feira, 23 de junho de 2006

quinta-feira, 22 de junho de 2006

Nada como dar uma mija...


...quando a vontade aperta.

Venham elas e eles!

Nunca mais é sábado e já tou a babar-me toda! Detesto sentir-me impaciente!

Hoje deu-me para isto

Não sendo eu apreciadora de poesia, hoje tenho que me render a estas linhas de Fernando Pessoa, visto ser este o meu estado de espírito, e finalmente poder gozar a ironia que me caracteriza nos momentos de ócio:



"Ai que prazer

Não cumprir um dever,

Ter um livro para ler

E não o fazer!

Ler é maçada,

Estudar é nada.

O sol doira

Sem literatura.

O rio corre, bem ou mal,

Sem edição original.

E a brisa, essa,

De tão naturalmente matinal,

Como tem tempo não tem pressa...



Livros são papéis pintados com tinta.

Estudar é uma coisa em que está indistinta

A distinção entre nada e coisa nenhuma.



Quanto é melhor, quanto há bruma,

Esperar por D. Sebastião,

Quer venha ou não!



Grande é a poesia, a bondade e as danças...

Mas o melhor do mundo são as crianças,

Flores, música, o luar, e o sol, que peca

Só quando, em vez de criar, seca.



O mais que isto

É Jesus Cristo,

Que não sabia nada de finanças

Nem consta que tivesse biblioteca... "

quarta-feira, 21 de junho de 2006

Coisas de gaja e de bola

Eu vi o jogo entre Portugal e México que decorreu entre as 15:00 e as 17:00 da tarde de hoje, 4ª feira. A minha profissão não me impediu de tal. Se o jogo tivesse decorrido ontem, eu já não poderia dizer o mesmo, sob pena de me penalizarem com falta injustificada e de ter que se adiar reuniões para outro dia qualquer.
Eu não meti uma tarde de férias para estar alapada em frente à televisão ou sentada numa esplanada qualquer a beber coca-cola, a comer tremoços e a dizer mal do Boa Morte. Por coincidência e alguma sorte, não tive qualquer razão que me impedisse de ver a selecção nacional a sair vitoriosa e a suar as estopinhas com mexicanos aguerridos que não tiveram a sorte do lado deles. É, o dia 21 de Junho deste ano, tal como há 20 anos atrás, não correu muito bem para os "tequilhenses".
Acho absurdo as pessoas não cumprirem com os seus deveres profissionais, interromperem o seu ganha-pão durante duas horas, meterem uma tarde de férias - como aconteceu com o meu mais-que tudo (fartou-se de me ouvir rezingar) - por causa de um simples jogo de futebol. Convenhamos: se o país anda mal e todos se queixam disto e daquilo, eu hoje também reclamo da paragem nacional que ocorreu por esse país fora!
Esta febre futebolística faz com que muita gentinha esqueça algumas das ideias que tem vindo a apregoar enquanto profissionais.
Se um dia me apetecer faltar às aulas para ir ao cinema, quero ver o que me acontece!

segunda-feira, 19 de junho de 2006

sexta-feira, 16 de junho de 2006

Vai lá, vai...

O melhor piropo dos últimos tempos:
"Só não tenho pelos na língua porque tu não deixas"
...ouvido no Gato Fedorento, hoje à noite.
Até chorámos!

quinta-feira, 15 de junho de 2006

Já cheira a férias...

...mas não nesta casa. De qualquer modo, aqui deixo uma sugestão para um cruzeiro num local à vossa escolha. Opção barata, original e muito "ao natural".

.

quarta-feira, 14 de junho de 2006

Coisas de gaja

"Tu tens um problema", digo-lhe eu com alguma frequência. E a isto segue-se um olhar dirigido à minha pessoa, como que a comer-me com os olhos e a dizer: "Outra vez? Já sei, não me chateies."
Ok, e qual é o problema da minha cara-metade?
Como qualquer gajo que se preze gosta de se alapar no sofá em frente à televisão. Até aí nada demais. Eu também gosto.
O problema dele é tecnológico, ou melhor, é de comando, isto é, é um problema de zapping.
Nós temos 2 televisões e uma só funciona quando está algum santo a fazer rolhas no altar. A caixinha mágica de serviço está sempre ligada quando estamos em casa. Não que pastemos em redor da televisão, mas já faz parte da mobília. Entrar em casa e ligar o aparelhinho é já um gesto automático diário. Até o fedelho já adquiriu o hábito. Não se visiona muita coisa com muita atenção, mas o seu som é como que o som de fundo da sala. Sempre é melhor do que ouvir o vizinho de cima a martelar e a usar aquelas ferramentas hediondas típicas de oficina. Desconfiamos que o homem tem algum negócio de reparações lá em casa.
Adiante...
Ora o meu mais-que-tudo tem o condão de me irritar solenemente quando está com o seu brinquedinho na mão. Amaldiçoo o dia em que alguém se lembrou de inventar um comando de televisão. Num minuto, ele é capaz de fazer zapping quinhentas mil vezes, passar pelos mesmos canais mais não sei quantas vezes, ver publicidade variada nos três canais e sempre a premir o raio do comando. Numa hora, por exemplo ao domingo à tarde, consegue acompanhar dois ou três filmes em simultâneo, sempre a premir o comando! E só temos quatro canais; o que faria se tivéssemos mais!!
Com ele em casa, não consigo ver um filmezito do início ao fim sem que haja uma mudança. E o pior é que não pede autorização. Sem dó nem piedade, vai de cortar o fio ao enredo do que quer que eu esteja a ver. Fico pior que estragada. Filho da mãe!
Mas que raio de necessidade é esta que os homens sentem de premir botõezinhos? Se dão uma volta por todos os canais existentes e nada lhes agrada, porque raio dão uma segunda e terceira volta? Não seria muito mais simples desligar o aparelho demoníaco e voltar a ligar mais tarde e entretanto ir fazer ...bem, fazer qualquer coisa útil em prol da humanidade? Friar croquetes, sei lá...
Raios partam os homens e os comandos!

Semana santa...

...para alguns lisboetas que a esta hora devem estar a apanhar uma chuvinha no Algarve, ou não fosse esta uma semana curtinha intercalada entre....vejamos...fim-de-semana - dia útil - feriado - dia de greve (ou não) - feriado - dia útil véspera de fim-de-semana - fim-de-semana.
Isto é pura inveja e só não é pecado porque já deixei de acreditar que um dia vá parar ao inferno...ou ao céu, vá.

terça-feira, 13 de junho de 2006

Só chatices.

Experiência de turma: observar o desenvolvimento dum bicho-da-seda e sua transformação em borboleta.




Acto imperdoável: cortar a cabeça da borboleta.



Castigos: sermão e missa cantada, horas a fio sem um sorriso, algumas vontades negadas, pedido público de desculpas, possível substituição do casulo.




Servir-lhe-à de emenda? A ver vamos. Para já, nota-se que tem perfeita consciência de que agiu mal e sabe porque é que a mãe está extremamente zangada com ele.

segunda-feira, 12 de junho de 2006

Relações de vizinhança

Há quem diga que eu sou mal-educada, não é, Manel? Pois eu nego categoricamente.
Há quem diga que eu tenho mau feitio, não é, caro amigo Joe? Ok, não posso negar tal facto.
Sendo assim, que me dizem vocês a isto? Eu chamo-lhe "Arte de Jardim".

sexta-feira, 9 de junho de 2006

Post duma rezingona.

Eu gosto de blogs. Ou não tivesse eu um.
Gosto de aqui escrever, de revelar a quem me quiser ler o que me ocorre ou simplesmente dizer que respiro, estou viva e coiso e tal. É um "blogódiário"? É possível. É o que eu quero que ele seja...ponto final.
Gosto igualmente de ler outros blogs: os que estão ali linkados e mais meia-dúzia que, por pura malandrice, ainda não acrescentei à lista.
Gosto de deixar os meus comentários aqui e ali, em posts que me disseram algo ou que me "iluminaram" nesta ou naquela questão ou que até me mostraram uma perspectiva diferente da que eu tenho relativamente a determinado assunto.
Gosto da empatia que se cria entre bloggers, das relações que se vão criando com pessoas, na sua maioria, totalmente desconhecidas e que possivelmente nunca conheceremos. Gosto das piadinhas e bocas que mandamos uns aos outros.
Gosto de ver as imagens, cartoons, fotografias, etc, que os outros decidem partilhar. Contudo, não tenho paciência nenhuma para photoblogs diários, cujos autores decidem expôr hoje um joelho da prima, amanhã o ombro da vizinha de cima ou os óculos novos do carteiro do bairro.
Gosto de bisbilhotar os links dos outros blogs e, caso o olho me fuja para um nome apelativo, guardar esse novo blog para futuras leituras. Gosto de descobrir blogs por mim própria.
Tudo isto para dizer que NÂO GOSTO que venham ao meu blog dizer-me o que fazer, ou melhor, não gosto que alguém me informe acerca da existência do seu próprio blog e gosto ainda menos que esse alguém me diga para o ir visitar. Dizer-me estas coisas é meio caminho andado para nunca lá ir. Portanto, Lizete, desde já agradeço a sua visita ao meu blog e o comentário que deixou e que não me agradou, e lamento desiludi-la ao não lhe retribuir a visita.

O quê?!?!

Ok, eu li a notícia, entendi que estão a comparar remunerações a nivel europeu.
A baixa remuneração do Sr. Sócrates está em proporção directa com a maior parte dos salários auferidos pelos trabalhadores portugueses comparativamente aos outros da União Europeia.
Só me apetece dizer isto: vão gozar com a puta que vos pariu!

terça-feira, 6 de junho de 2006

Ilustração

(se a foto for de algum de vós, e se a sua exposição for ofensiva, eu retiro-a)


Não faço a menor ideia se está a expelir dejectos humanos, a masturbar-se, a deixar-se sodomizar ou o que quer que seja. Mas lá que está com cara de parvo, está!
E pronto, por esta semana é tudo, parece-me. Poderei mudar o musicól, mas só por isso não vale a pena cá vir. Aconselho antes uma ida à FNAC ou à Vadeca.
Obrigada "fonte" :)

segunda-feira, 5 de junho de 2006

Blog break

Motivos laborais e outras prioridades que tal impedem-me de brincar com o blog. Já volto.
---
P.S.: Desde sexta-feira que tenho uma fotozinha engraçada para ilustrar a questão do post de baixo. Quando "regressar", partilharei convosco.

quinta-feira, 1 de junho de 2006

Urgente, para ontem...vá lá, há alguém generoso e prestável?


"Os homens não simulam o orgasmo. Nenhum homem pode fazer uma cara daquelas de propósito." Allan Pease, psicólogo

---O pedido é o seguinte: já todos nós vimos e ouvimos vídeos e visionámos fotos de meninas a terem um orgasmo. E das pilas dos meninos também. O que eu quero mesmo é uma foto da cara de um macho na hora H, naquela hora em que parece aparecer com cara de parvo. É pedir muito?