segunda-feira, 28 de abril de 2014

Homenagem aos Anónimos deste tasco

Há uns anos, saíram uns livrinhos intitulados "História de Portugal em Disparates", que incluíam os disparates redigidos pelos alunos - possivelmente alguns de vós que me lêem - em situação de testes de História.
Quando me reformar, vou ler o meu blog de fio a pavio e fazer uma selecção dos comentários mais disparatados que os Anónimos aqui vão deixando, com esse mesmo objectivo: escrever um livro à custa dos outros. 
Ou então passo o lápis azul por cima deles todos!

Burra velha que aprende línguas - eu

Estou naquela fase da minha paciência em que I don't give a fuck.

- Sabes alguma coisa daquele medicamento X que está esgotado?
- Nop.
- Mas vai voltar ao mercado?
- Não sei.
- Já ligaste para a indústria?
- Não.
- Vais ligar?
- Devo ser a única pessoa aqui que não tem ninguém com esse medicamento pendente.

- Sabes onde está medicamento Y?
- Arrumado?
- Não vejo.
- Então não sei.

- Sabes alguma coisa sobre o desconto para a empresa W?
- Está por aí uma folha-resumo dos descontos afixada.
- Onde?
- Na parede.

- Sabes o tamanho da embalagem de gel de banho que vendeste aqui há um mês à sra. Deus?
- A venda deve ter ficado registada no sistema informático...

- Sabes se o medicamento Z já veio?
- Já viste se já foi dado entrada no sistema?
- Não.
- Já viste se está na factura?
- Não.
- Pois. Não sei.



Devo ter cara de génio da lâmpada...

Sinto-me frustrada

Às vezes, lá calha ler um texto de alguém da blogosfera cujos comentários fazem referência a outros blogs onde parece que é aí que a acção se passa. Quem diz acção, quer dizer fofoquices e dizer mal e dizer bem e achincalhar e elogiar. Aquelas coisas deste mundo. 
A verdade é que me sinto frustradíssima quando calha ler esta cadeia de textos e comentários e diz que disse pois raramente sei de quem falam, qual o blog visado e o que é que a pessoa fez ou não fez. Sendo a ignorância uma benção, em muitos casos, a frustração sentida por desconhecer algo importante é tal que leva a sentir-me uma outsider na blogosfera.
Depois passa-me e continuo ignorante na mesma.