quarta-feira, 27 de setembro de 2006

Aviso às campistas



Havia de ser comigo: levava um biqueiro no cu, a bicicleta ia penhasco abaixo e a tenda era completamente desfalcada por moleques a quem eu pagaria com chupa-chupas. Mas isto faz-se?!?!?!?

Post de utilidade pública - não é meu, obviamente!

Pois eu não, mas fiquei agora a saber!

Não sei que título dar a este


Não posso com aqueles ficheiros "extensão .pps"! Então se me são enviados por uma certa pessoa da minha família, é garantido que vão direitinho para o "lixo", sem sequer me dignar a olhar. Já sei que são lamechas: sobre a amizade, cãezinhos, os passarinhos, deus, a vida... para que raio quero eu ver isto? A minha vida já me dá muito que entender, deus é algo que não entendo e que decidi atirar para trás das costas há muitos anos atrás, não oiço os passarinhos aqui em Braga nem guardo cães na minha varanda e amigos/as...tenho alguns e algumas e para já bastam-me! Portanto, já sabem...tenho alergia a .PPS's!
----
Isto foi apenas um desabafo e não era nada disto que eu vinha aqui fazer.
O que eu vim aqui fazer é o seguinte: elogiar um dos pretos mais bonitos que alguma vez vi na televisão e no cinema- o Senhor Denzel Washington!
Além de bonito, acho-o charmoso, com um sorriso de morrer e umas gargalhadas - pelo menos, nos filmes que conheço dele - contagiantes. Dele, da pessoa em si, pouco conheço. Mas posso dizer que é um dos poucos actores americanos que me faz parar o que quer que esteja a fazer para passar hora e meia, duas horas pasmada a olhar para a "caixinha da estupidez", a vê-lo actuar com paixão, a encarnar personagens que me dizem algo, que apelam ao meu sentido de "humanidade" e igualdade social". Gosto de o ver a interpretar personagens sofredoras, mas justas, lutadoras e aguerridas, que estão sempre "contra a maré"! O último dele que vi, já velhinho, foi o The Hurricane - aliás, devo tê-lo visto umas três vezes. Não me canso!
---
Isto tudo a propósito dum e-mail patriótico remetido por um dos meus contactos virtuais americanos, onde vinha incluida a fotografia de cima. O texto alude a uma acção extremamente generosa que o Senhor Denzel levou a cabo e que a ser verdade terá sido pouco publicitada nos jornais nacionais americanos, ao contrário de outras acções anti-americanas por parte de outras estrelas de Hollywood.
Para o meu post, só me interessava mesmo o elogio. Se alguém estiver interessado/a no tal e-mail, é só avisar.

segunda-feira, 25 de setembro de 2006

Ode à foda


Não há um só ser no Mundo


Que não fique com tesão:


Uns nascem para foder,


Outros fodidos estão.



É uma Terra danada,


Um paraíso perdido.


Onde meio mundo fode,


E o outro meio é fodido.



Fodem moscas e mosquitos,


Fodem aranha e escorpião,


Fodem pulgas e carrapatos,


Fodem empregadas com patrão.



Os brancos fodem os negros


Com grande consentimento,

Os noivos fodem as noivas


Muito antes do casamento.



General fode Tenente,


Coronel fode Capitão.


E até o presidente


Vive fodendo a nação.



Os frades fodem as freiras,


E o padre o sacristão,


Até na igreja dos crentes


O pastor fode o irmão.



Todos fodem neste mundo


Num capricho derradeiro.


E o danado do Dentista


Fode a mulher do Padeiro.



Parece que a natureza,


Vem a todos nos dizer,


Que vivemos neste mundo,


Somente para foder.



E você, meu nobre amigo,


Que estes versos 'stá a ler,


Se não gostou da poesia,


Lixe-se! Vá-se foder!!!



Autor Desconhecido.


(Também, pudera, se fosse conhecido, tava fodido!!!)

Simbologia

Já vi muitas vacas à minha frente, atrás, ao meu lado, perto de mim, no prato, no congelador, etc, mas esta é a que considero ser a fiel representante de todas elas!

Não deve ser fácil para uma vaca ter que carregar com o mundo todo às costas. E vai daí...

sexta-feira, 22 de setembro de 2006

"Perdi a cabeça!"

Quando tal vos acontecer, nada como recorrerem a isto:








Até ficarão mais bonitos e bonitas. Que tal?


---
----
POST-post (24-06-2006)
Pergunta dirigida ao senhor Robino: o seu comentário fará alguma alusão a uma qualquer expressão inglesa cujo sentido poderá ser considerado ordinário em determinados contextos ou será apenas a minha imaginação ordinária a congeminar tal hipótese?

quinta-feira, 21 de setembro de 2006

Só para avacalhar

Um pénis encontra outro na escola:
.

- Estás com um ar tão abatido e pálido, o que te aconteceu?
.

- Saí de uma oral!

----









(L., não resisti a partilhar a piadinha "escolar"; foi na hora!)
Chegou o outono e nem deram conta, aposto...

Hhhhhhhhhaaaaaaaaaaaaaaaaammmmmmmmmm!!


É assim que me vou sentir amanhã de madrugada enquanto alguns de vós estão ainda a dirigir-se para o emprego...Ai que nunca mais é sábado!

Net-escola

De vez em quando eu, que sou humana, dou uns pontapés na gramática e ortografia portuguesas. Mas faz-me uma certa impressão, principalmente quando leio os outros blogs, que os seus autores não saibam usar correctamente a palavra "há", substituindo-a erradamente por "á" ou "à" ou outra variante qualquer.
---
Ora o verbo "haver" tem diversos significados, estando um dos mais comuns relacionado com "posse" ou "existência" de algo. Por exemplo, dizemos "Há dez andares neste prédio", podendo este "há" ser substituído por "existem".
---
Mas este nem é o erro mais comum no que toca à utilização de "há". Porque o mais frequente é a confusão ou o desconhecimento ou o esquecimento de que "há" também está ligado ao conceito de Tempo, a um tempo passado, a algo que já aconteceu; e este é que me causa uma certa comichão (já sei o que vão dizer a seguir: "coça"...acertei ou não?), um franzir de lábios e um esgar de repreensão. Ora este nosso "há" tão mal usado deve ser o escolhido quando temos necessidade de mencionar quanto tempo decorreu desde que algo se passou, como nos seguintes exemplos prácticos: " 2 dias, fui informada de que iria conhecer mais detalhadamente o ambiente prisional cá do sítio" Ou "Eu casei há 7 anos" ou até "Eu levantei-me há 1 hora e estou com uma ressaca do catano".
---
Portanto, quem se der ao trabalho de me comentar, por favor, evite este erro e ponha em práctica o que lhe foi ensinado 10, 20 ou 30 anos atrás, quando frequentou a Escola Primária.

quarta-feira, 20 de setembro de 2006

Até já chorei!

Pois é verdade!
Foi um dia em cheio!
Mal eu imaginava que ia terminar o dia a chorar por causa disto.
Vão lá que não se arrependem!

terça-feira, 19 de setembro de 2006

Encontrem as semelhanças entre isto e o Sr. Manuel Pinho

...ou será que o acham mais parecido com o Sr. Valentim Loureiro?

Último grito da moda


Digam-me vocês de vossa justiça: não acham aquelas cuequinhas tipo tanga de cinta descida que se usam com as calças de cinta descida algo indecentes? Acham que é uma moda confortável, que as nossas avózinhas aprovariam? Acham que o acto de se agacharem no meio da rua para apanhar as chaves do carro que cairam inadvertidamente é digno de se visionar por trás? Não concordam que há uma granda falta de estética no "balaam, balaam, balaaamm" das gordurinhas que a experiência de vida nos proporciona a partir dos 35?
Se concordam com isto tudo que acabei de referir, o que acham os senhores e as senhoras desta medida finérrima de ocultar o rego com uma fitinha decorativa que, agora sugiro eu, até poderia ser fabricada em cores diversas para condizer com as tais cuequinhas? Não acham, como diz o anúncio, que o mundo ficaria até mais bonito? Uh Uh? Conseguem imaginar o Sr. Bush em pose artística nestes preparos?

segunda-feira, 18 de setembro de 2006

Mais um só para vos chatear...

Já que até gostaram de descobrir que virtualmente são uns nabos a estacionar, tal como eu, aqui vai mais um joguinho para testar a vossa paciência, a vossa habilidade e perícia aérea, bem como desperdiçar o tempo do patrão.
Não posso dizer que tenha sido mais bem sucedida do que no jogo anterior. Os resultados negativos apenas vieram confirmar o que eu já sabia: que gosto muito de manter os pés em terra firme e que me dou muito mal com "máquinas diabólicas".

sexta-feira, 15 de setembro de 2006

ULTIMATO PARA SER LEVADO A SÉRIO

GAJO, OU APARECES OU ACONTECE UMA DESGRAÇA!!!
(MANDO A GNR BUSCAR-TE A CASA)

quinta-feira, 14 de setembro de 2006

"Vai gozar com a puta que te pariu, murcoum!"


Esta imagem recordou-me as minhas mais recentes visitas à cidade do Porto efectuadas esta semana. O meu compromisso obrigava-me a chegar ao meu destino por volta das 9:00 horas, algo que nunca consegui, apesar de sair de Braga antes das 8:30. Se no primeiro dia até poderia haver uma razão para eu chegar ligeiramente atrasada ao local do compromisso, já que não conheço a cidade do Porto assim tão bem e nunca me aventurei a andar por lá sozinha enquanto condutora responsável de viatura automóvel, foi com alguma felicidade que constatei um atraso de apenas 11 minutos. Já no segundo dia, feito o reconhecimento do terreno e mesmo tendo saído daqui ainda mais cedo do que no dia anterior, cheguei bastante mais atrasada. E pensei eu com os meus botões: "Realmente! Como é que é possível as pessoas não andarem rezingonas, mal encaradas e com cara de poucos amigos, se logo de manhã têm que ouvir uma série de buzinadelas, levar com os atropelos de alguns mal educados, conduzir num pára-arranca constante de pôr os nervos em franja, e AINDA POR CIMA chegar a horas ao emprego? Têm mesmo que se levantar de madrugada!" Se não sabem, ficam desde já a saber que qualquer hora antes das 10 da manhã é de madrugada para mim, independentemente dos afazeres a fazer. Infelizmente já não me posso dar ao luxo de madrugar às 11 da matina. Contudo, dou-me por bastante satisfeita por não ter que enfrentar em Braga o que tive que enfrentar nestas minhas idas à Invicta!
Também fiquei a saber o caminho para a Fundação de Serralves. Portanto já não há desculpas para não ir lá fazer uma visitinha um dia destes, não acham?

quarta-feira, 13 de setembro de 2006

Tou morta (daí as imagens-posts). Brevemente regresso à anormalidade habitual

Dúvida paternal


O que será melhor para os nossos filhos?
(IG, danke schön)

segunda-feira, 11 de setembro de 2006

Olhem lá a lata deste gajo! Não querem lá ver?

(façam o costume: clickem nela e ela aumenta)

Parabéns Manel


...que o teu joystick funcione sempre às mil maravilhas e que o apagar de velinhas se repita por longos anos.

sexta-feira, 8 de setembro de 2006

Perícia automobilística

  • Achas que conduzes bem?
  • Cumpres as regras de trânsito?
  • Tens mais de 18 anos?
  • Gostas da marca peugeot?
  • Bebes água ou qualquer outra bebida não alcoólica?
  • És educado/a na estrada?
  • Agrada-te o amarelo?
  • Estacionas habitualmente de frente, de traseira ou de lado?
  • Gostas de jogar enquanto conduzes?

Se cumpres todos estes requisitos, então és o/a candidato/a perfeito/a para isto. Espero que faças melhor figurinha do que eu e que te divirtas. E ficamos mesmo por aqui ...

quinta-feira, 7 de setembro de 2006

Aposto que sim!

É tudo uma questão de prefixo

Se segunda-feira, terça-feira, quarta-feira, quinta-feira e sexta-feira são dias úteis, o sábado e domingo são inúteis, certo?
Estou com aquela sensação de ter escrito algo certo e errado ao mesmo tempo, ou melhor, uma imbecilidade tremenda.
---
(continuo a aceitar sugestões para o jantar - ver dois posts abaixo - e agradeço a quem já deixou as suas)

quarta-feira, 6 de setembro de 2006

Merchandising luso

O próximo produto de merchandising a virar moda vai ser um dicionário de bolso de Moranguês/Português e Português/Moranguês.

Confesso:


Hoje não sei o que partilhar com os meus ilustres visitantes. Vai daí, deixo apenas um pedido de ajuda para o jantar de amanhã. Sim, porque não é o fazer o jantar que me custa - mesmo não gostando de cozinhar. É ser diversificada na ementa. Quem cozinha diariamente, sabe bem do que falo. Vá, sejam imaginativos/as e dêem-me uma mãozinha nesta questão doméstica.
(com sorte arranjo sugestões para os jantares dos próximos 6 dias..hehe).

terça-feira, 5 de setembro de 2006

Turismo rural

Estes posts estão cada vez mais longos, mas este texto que me chegou por e-mail vale mesmo a pena ler. Acreditem ou não...
"Trata-se de um desporto nacional que antes se chamava "ir à terra".A diferença é que se fores à tua terra, vais de borla, e se fizeres turismo rural vais a uma terra que não é a tua e pagas uma pipa de massa. Para fazer turismo rural não serve qualquer terra. Tem de ser uma terra "com encanto". E o que é uma terra "com encanto"? Obviamente, é uma terra que está num guia de terras "com encanto". Está-se mesmo a ver. A estas terras chega-se normalmente por uma estrada municipal "com encanto", que é uma estrada com tantos buracos e tantas curvas que quando chegas à terra estás mortinho para sair do carro. E quando entras no café tentas integrar-te com os vizinhos: "- Bom dia, compadres! O que é que é típico daqui?" E o gajo do café pensa: "Aqui o típico é que venham os artolas da cidade ao fim-de-semana gastar duzentos contos". A seguir, ficas instalado numa casa rural ou "casa com encanto", que é uma casa decorada com muitos vasinhos e réstias de alhos penduradas do tecto, que não tem televisão, nem rádio, nem microondas. Em contrapartida, tem uns cabrões de uns mosquitos que à noite fazem mais barulho que uma Famel Zundapp. Depois apercebes-te que os da terra vivem numas casas que não têm encanto nenhum, mas têm jacuzzi, parabólica, Internet e video-porteiro. A tua casa não tem video-porteiro, mas tem uma chave que pesa meio quilo.
Outra vantagem de fazer turismo rural é que podes escolher entre uma casa vazia ou ir viver com os donos da casa. Fantástico!!! Vais de férias e, além da tua, ainda tens de aguentar uma família postiça. À noite queres ver o filme, eles os documentários e tu perguntas-te: "Quem é que manda mais? Eu, que paguei 600 euros ou este senhor que vive aqui?" Ganha ele, que tem um cacete. Ainda por cima, dizem-te que tens "a possibilidade de te integrares nos trabalhos do campo". O que quer dizer que te acordam às cinco da manhã para ordenhar uma vaca. Não te lixa? É como ires à bomba da gasolina e teres de pôr tu a gasolina, ou como ires ao McDonalds e teres de arrumar o tabuleiro. Ou seja, o normal. Então, levantas-te às cinco para ordenhar as vacas. E digo eu: porque raio é que é preciso ordenhar as vacas tão cedo? O leite está lá! Não se podem ordenhar depois do pequeno-almoço? Eu acho que isto é só para chatear, porque a vaca deve ficar muita contente por a acordarem às cinco da manhã, para um estranho lhe vir mexer nas mamas. A vaca olha para ti como se dissesse: "Ouve lá, pá! Se queres leite vai ao frigorífico e abre um pacote!" É que é mesmo só para chatear!!! Mas o "encanto" definitivo são "as actividades ao ar livre". Como quando te põem a fazer caminhada, que é aquilo a que normalmente se chama andar, e consiste, exactamente, em por um pé em frente ao outro até não poderes mais, enquanto os da terra vão num jipe com ar condicionado. Mas tu feliz da vida. Vais pelo campo atordoado. Tornas-te bucólico e tudo te parece impressionante: vês uma vaca e dizes: "Ummmmm, que cheirinho a campo". A campo não, a bosta!!! Mas, isso sim, é a bosta "com encanto". E tudo, seja o que for, te sabe maravilhosamente: na mesa pespegam-te dois ovos estrelados com chouriço e tu na cidade não comes estes ovos, nem estes chouriços. E perguntas ao empregado? - Este chouriço é da matança? - Quase, porque o gajo do camião da Izidoro ia morrendo ali na curva. De repente, ouves umas badaladas e dizes: - Ah! Que paz! Não há nada como o som de um sino!... E o gajo do café diz-te: "- É gravado. Não vê o altifalante no campanário?" Nesse momento, perguntas-te se os ruídos das galinhas e dos grilos não estarão num CD: "RuralMix2006" ou "Os 101 Maiores Êxitos Campestres". A única coisa de que tens a certeza é que os cabrões dos mosquitos são verdadeiros. Pareces um Ferrero Rocher com varicela!!!
Eu acho que, de segunda a sexta, as pessoas destas terras vivem como toda a gente, mas ao fim-de-semana espalham pela estrada uns tipos mascarados de pastores e quando veêm que se aproxima um carro, avisam os da terra pelo telemóvel: "Hey, vêm aí os do turismo rural!" E mudam o cartaz de "Videoclube" pelo de "Tasca", soltam uns cães pelas ruas e sentam à entrada na terra dois avôzinhos a fazer sapatos, que depois tu compras uns e saem-te mais caros que uns Nike. Enfim, acho que uma montagem tão grande como esta não pode ser obra de pessoas isoladas. Tenho a certeza de que estão implicadas as autoridades. Imagino o Presidente da Câmara: - "Queridos conterrâneos: este Verão, para aumentar o turismo, vamos importar mais mosquitos do Amazonas, que no ano passado tiveram imenso êxito. E quero ver toda a gente com boina, nada de bonés de pala da Marlboro. E façam o favor de pintar o espaço entre as sobrancelhas, que assim não parecem da província! E as avós: nada de topless na ribeira, que espantam os mosquitos! E só mais uma coisa: este ano não é preciso ninguém fazer de maluquinho da terra, que com os que vêm de fora já chega!"
É ou não é mais ou menos assim que acontece àqueles que, como eu, fazem turismo rural de quinze em quinze dias? O que eu me ri ao ler isto!

segunda-feira, 4 de setembro de 2006

Comentando o comentário

Há gestos e palavras que, de tão inesperadas, respeitadoras e até algo ternurentas, nos surpreendem. As que li hoje tiveram este efeito, e confesso que também me alimentaram o ego.
Já referi anteriormente que de todas as pessoas que visitam este blog frequentemente, são poucas as que me conhecem pessoalmente. Hoje, e sem que eu soubesse que ela já tinha secretamente "chegado" até aqui, a Filipa deu a cara e deixou o seguinte comentário que tenho mesmo que destacar "ipsis verbis":

Sendo que há meses que aqui não vinha fazer uma secreta visita, me resolvi hoje (quissá por absoluta falta do que fazer ou talvez até por simpâtia com o cantinho em questão, que é este)a passear um pouco por blogs antigos, como é este.
antigo sim, porque apesar dos vêemented "não" ouvidos aquando dos meus pedidos para que me desse o link desse seu tão misterioso blog (recordar-se-á se remontar ao tempo de uma qualquer aula d inglês que eu pessoalmente não recordo) me resolvi a procura-lo por mim mesma, e aqui vim ter. e apesar de tudo isto tirar beleza à narrativa devo dizer que não foi difícil. O google faz maravilhas, eu nao =).
E não poderia deixar d elogiar a leveza de tudo isto, sendo que os meus comentários sao sinceros e, pelo facto de nao sermos já aluna-professora, não há como duvidar disso. (não que nessa altura não houvesse neles sinceridade, mas a simpatia do estudante pelo docente gerará sempre desconfiança x)
Mas acho que de tudo isto, o mais estranho sem dúvida é, ao ler o que parte de uma qualquer pessoa, descobrir, ou será mais correcto dizer, redescobrir o ego de outrém! Ás vezes(só porque é brusco demais dizer "sempre") trancamos o que as pessoas são, naquilo que vemos delas. e se assim fosse, repare que lamentável seria toda a sua existência restrita ao ensino do inglês! mas tudo isto vem reforçar um pouco toda a minha teoria de que pessoas não passam de ideias. E se não me tivesse eu empenhado (sendo que o empenho não foi assim tanto, benditos os motores de pesquisa)a ideia, sua, que teria hoje seria no mínimo simpatica, mas ainda assim mesquinha em ralaçao à que hoje faço. Acho que, hoje, e talvez sempre, me viro de mais para as sensibilidade da filosofia e portanto, fico por aqui no meu monologo entendiante.
como nota de pré-despedida, só tenho a dizer que Paul Auster é realmente uma bola leitura (aconselho O palácio da Lua e a música do acaso) muito pelo cariz realista que dá as personagens. Mas, feliz ou infelizemente, as minhas leituras dele foram interrompadidas este verão por Nietzsche e Fernando Pessoa(que não deixam nunca, nunca de me arrebatar), que escritor algum poderia igualar, na minha tão cálida opinião. E por isso , se é que ainda não leu (coisa que duvido) iria apelar a que se perdesse no Livro do Desassossego e no Assim falava Zaratustra. é coisa que vale mesmo a pena.
e fico finalmente por aqui, sendo que as probabilidades de nao ter tido paciencia d chegar ao fim do comentário são vastas. Mas tenho a dizer que está realmente calor aqui no escritório e que, por isso, o meu esforço deveria ser notado =)
Optimo resto de féria e espero, espero realmente, que volte a dar uma vista de olhos ao meu blog, se houver paciência em tudo isto.
enorme beijo

Filipa ( se nao se lembrar realmente de quem diabos é a filipa, podia dizer que fui sua aluna no 10º ano, do ano passado lá está. e se mesmo assim nao se recordar, não há problema, afinal isso é o que menos importa).
Boa sorte para o novo ano*


A Filipa é uma adolescente de 16 anos, foi minha aluna o ano passado numa escola da cidade de Braga e deu-me o prazer de conviver com alguém que considero ser excepção a uma grande parte dos nossos adolescentes: sensível, atenciosa, respeitadora, amiga de todos, curiosa, inteligente, trabalhadora, uma pessoa de mente aberta. Numa das imensas conversas tidas em tempo de aula, mas cujo assunto não tinha nada a ver com o decorrer da aula, mencionámos blogs e ela partilhou comigo o endereço do dela. Na verdade, ela escreve em dois, e muito bem, por sinal, como tive oportunidade de lhe dizer naquela altura. Não partilhei com ela este blog, mas prometi-lhe que no final do ano lectivo o divulgaria. Tal não aconteceu: o ano passou-se, terminou e nenhuma de nós tocou sequer na palavra "blogs". Eu não me tinha esquecido da minha promessa, mas também não achei correcto eu, a autora, presunçosamente lembrar-lhe do que tinha prometido. Contudo, espantava-me que ela, aparentemente, tivesse perdido o interesse por saber "o meu segredo". Hoje provou-me que de facto o mundo é pequeno. Não me recordo de lhe ter dado alguma pista, algum termo para ela procurar seja onde for, por isso ainda estou para perceber - e espero que ela mo explique por e-mail - como é que aqui chegou.
Na minha profissão, como em todas, criam-se laços de empatia, uns mais fortes do que outros. Sei que não consigo agradar a gregos e a troianos, sei que estabeleço relações mais cordiais e até intimistas com alguns alunos e alunas e não acontece o mesmo com outros. Sei que o que ensino não se limita ao verbo "to be" nem à preposição "at". Não tenho a pretensão de chegar a todos da mesma maneira, mas a sensação se saber que "tocámos" em alguém, que de alguma forma afectámos positivamente pessoas com metade da nossa idade, ou menos, como foi o caso, é uma sensação fantástica. Perdoo-lhe os erros ortográficos e as gralhas, justificando-os com uma escrita "rápida e sentida", a meu ver. Erros esses que não são demasiado importantes, e que de certeza, após uma segunda leitura ao seu texto, elas não os cometeria. Contudo, se ainda fosse minha aluna, já teria muito que ouvir. Se ainda fosse minha aluna, certamente eu não estaria a escrever isto.



Filipa, puseste-me um sorriso de orelha-a-orelha com as tuas palavras. E obrigada pelas sugestões de leitura, mais uma vez. Um excelente ano lectivo para ti e um grande beijo.
(já agora...porque é que As Crónicas não são actualizadas?)

domingo, 3 de setembro de 2006

E porque este espaço também pode servir para fazer serviço público...

...faço aqui a divulgação da ABRA - Associação Bracarense Amigos Dos Animais, uma associação que, em regime de voluntariado, acolhe e dá ajuda aos animais que pelos mais variados motivos lhes "batem à porta".
Estando ciente da responsabilidade que é ter um animal em casa, limito-me a ajudá-los apenas deste modo, já que em Braga não tenho condições logísticas para ter um "amigo" destes. Deixo aqui o apelo para, se quiserem e puderem, fazerem o mesmo ou melhor.

sexta-feira, 1 de setembro de 2006

Girl of the month

(Acho que me vou lixar com f de foca. Gracias, IG )

As minhas férias

E muito resumidamente mesmo, aqui vai um resumo do que se passou:
  • descobri que o "Código D'Avintes" é hilariante, de rir e chorar por mais.
  • em Portimão, não comi uma única sardinha assada, nem sequer em casa.
  • pus a televisão em dia e fiquei ainda mais viciada na série "Friends" - que infelizmente acaba hoje.
  • pela primeira vez na vida, comi lagosta, no dia do meu trigésimo quarto aniversário (custou-me os olhos da cara) e continuo a preferir uma boa sardinha.
  • aprendi os nomes de quase todas, senão mesmo todas, as personagens dos programas infantis da RTP2.
  • fiz um esforço terrível para não chorar desalmadamente enquanto via o show do Peter Pan no Zoomarine.
  • iniciei-me a ler - desta vez a sério - Paul Auster. Já vou na "Noite do Oráculo".
  • berrei, berrei, berrei; ouvi berros e berros e mais berros e prometi a mim mesma que férias a 6 nunca mais. Espero bem que a minha cara-metade leia este post, OUVISTES?!?!?!?
  • conclui que o Algarve em Agosto já não é o que era, em termos meteorológicos: 4 dias sem ir à praia é um autêntico pesadelo.
  • descobri que sou óptima a dar e a inventar respostas absurdas às perguntas mais absurdas de duas crianças curiosas - só uma é que era a minha criança.
  • concluí que eu e o mais-que-tudo temos uma aversão inata a máquinas fotográficas e de filmar: levando ambas na bagagem, acham normal não lhes dar o devido uso em férias?
  • nestes últimos dias, que foram passados em casa do papá a treinar para ser uma boa dona de casa (detesto cozinhar!), não fiz a ponta de um corno.
  • choquei-me com a novidade acerca do Plutão, o tal que até tem um nome simpático.
  • choquei-me com os trezentos e tal contos diários que o nosso Primeiro Ministro pagou num hotel qualquer de Vilamoura (sim, eu também leio a Caras e a Lux em férias).
  • pus em dia uma série de coisas que agora não me apetece mencionar.
  • vim a Braga, a meio do mês, matar saudades e tratar de assuntos profissionais.
  • enfim...uma panóplia de coisas interessantérrimas!

Desculpem lá, mas fotos de família não é comigo.