domingo, 6 de janeiro de 2013

Irritações - XVI

Posts com gifs animados. A sério!

O que me apraz dizer sobre o The Hobbit

  • Contém muito mais humor do que a Trilogia anterior-posterior.
  • Em alguns momentos, notam-se bem os cenários artificialmente criados pelos efeitos epeciais.
  • A Nova Zelândia continua apetecível de visitar e dar umas longas caminhadas por aquelas montanhas.
  • A ligação entre o aniversário de Bilbo e este filme está bem conseguida, recordando-nos da festa que entretanto decorrerá 60 anos depois.
  • O actor que personifica Gandalf está mais velho hoje do que 60 anos antes dos outros três filmes.
  • A dupla personalidade do Smeagol varia entre o maléfico e o hilariantemente infantil.
  • Os trolls são tão estúpidos que nos fazem rir bastante, ao contrários dos Orcs que continuam a ser seres nojentos e assustadores.
  • Os 13 anões mostraram-se frequentemente corajosos, apesar de submissos, à altura do seu rei algo arrogante e presunçoso, que finalmente é capaz de reconhecer o valor dum ser supostamente medricas e menor.
  • Gandalf mostrou sempre ser um mago ardiloso e com algo escondido na manga, sempre irrealisticamente resolvedor de situações que pareciam irreversivelmente perdidas.
  • O feiticeiro castanho foi o percursor dos viciados em cogumelos psicadélicos.
  • O final deixa-nos a desejar pela continuação. Um ano à espera do que aí vem é capaz de ser demais.
  • Saruman já mostrava ser intrinsecamente mau e céptico, nesta altura.
  • Notou-se uma ligeira tensão sexual entre o velho Gandalf e a sempre nova Lady Galadriel.
  • Tolkien nunca deixará de ser um dos escritores reveladores duma soberba imaginação e um domínio lexical fora do comum.