domingo, 4 de outubro de 2015

Fim-de-semana na terrinha

Onde já não estava desde o dia 29 de Agosto. Em 17 anos que aqui resido, nunca tinha passado tantos dias seguidos em Braga.
Bem, resumidamente foi isto: jantar de sexta com o pai, almoço de sábado com o sogro, jantar de sábado com a sogra, almoço de domingo com o pai. Tempo bom e hoje assim-assim a evoluir para o mau.
Chego há pouco a Braga, porque faço questão de votar e deparo-me com uma ventania de pôr os meus belos cabelos lisos (também fui à cabeleireira, não foi só comer disto e d'aquilo, que pensam...) em pé e uma chuva miudinha que os encarapinha e os colocam ao seu jeito natural. Maldita chuva!
Entretanto, também fui visitar a minha avó, com quem tive a habitual acalorada discussão sobre crenças religiosas, a origem do universo, os actuais programas de televisão das tardes portuguesas que ela não vê mas cujos temas conhece e que são todos "uma merda" (avó dixit, não eu) e chego à conclusão que somos ambas de ideias fixas: ela anda fixada há décadas na sua crença dogmática de que está tudo escrito e previsto na Bíblia; e eu pergunto-lhe quantos anos tem o Antigo Testamento e ela não sabe responder-me. Pois...
Eu não sei explicar a origem do universo, mas sou pró-evolucionista. Ela não sabe explicar a origem do Deus dela, mas cita a Bíblia de trás p'rá frente como se antes desta o universo não existisse e não houvesse mais nada no mundo para ler.
Tenho mesmo que lhe oferecer qualquer coisa de Darwin ou Sagan no Natal, pois para quem vai fazer 84 anos um destes meses, aquela mente ainda trabalha muito bem!