sexta-feira, 12 de abril de 2013

Vou abusar de ti

Vou abusar de ti.
Olhar para ti com olhos de esfomeada,
Mirar-te de alto a baixo, 
Lamber os meus lábios carnudos, 
Salivar de antecipação
E parar os olhos nos teus sítios apetecíveis
Vou cheirar-te intensamente
Gozar do aroma tão natural em ti
Que me provoca os sentidos 
E me faz querer tocar-te avidamente,
Saborear a tua pele saborosa e salgada
Trincar todos os poros da tua pele
Chuchar-te até ao tutano
Até não restar nada de ti
Sentir-me plenamente satisfeita
Saciada do teu corpo
Terminando com um sorriso nos lábios...

(Pronto, isto é o que eu escreveria se este fosse um blog erótico. Como não é, é somente a descrição do meu acto de comer e adorar comer frango à churrasco com as mãos. Isto ainda é um cantinho respeitável.)


Vou chibar-me (quase) toda

Durante estes anos de blogosfera, li bloggers de toda a espécie e feitio, tal como qualquer um de nós que aqui ande há mais de meia dúzia de dias. As nossas ideias pessoais e os nossos gostos levam-nos a empatizar mais com umas pessoas do que com outras, a comentar mais umas do que outras, a brincar mais com umas e a não tocar assuntos com outras. Verdade à "la Pallisse", certo?
Vai daí, eu, admitindo que sou uma cusca terrível, tenho ousado dirigir-me, via e-mail a quem o tem disponível no blog, a certas pessoas, a quem acabo por fazer um montão de perguntas e com quem tenho tido conversas bastante interessantes e esclarecedoras. Não me lembro de alguma vez me ter arrependido de ter tomado essa iniciativa. Nunca correu mal e tenho tido feedback bastante satisfatório. Gosto de conhecer mais das pessoas assim, entrando-lhes "pela casa dentro" e sentindo que não sou mal recebida, tendo consciência do que significa privacidade e de que o que é dito num lado nem sempre deve ser referenciado no outro. Não sou, de certeza absoluta, caso único na blogosfera, pois não?
E agora questionam-se vossas excelências (eu, pelo menos, questionar-me-ia, se lesse este texto noutro blog): "afinal quem são os e as correspondentes virtuais a quem ela se refere?". E agora respondo eu: "Isso agora..."!

A número 1 dos meus 20s

Dunas, são como divãs,
Biombos indiscretos de alcatrão sujo
Rasgados por cactos e hortelãs,
Deitados nas Dunas, alheios a tudo,
Olhos penetrantes,
Pensamentos lavados.

Bebemos dos lábios, refrescos gelados (refrão)
Selamos segredos,
Saltamos rochedos,
Em camara lenta como na TV,
Palavras a mais na idade dos "PORQUÊ"
Dunas, como que são divãs
Quem nos visse deitados de cabelos molhados bastante enrolados
Sacos camas salgados,
Nas Dunas, roendo maçãs
A ver garrafas de óleo boiando vazias nas ondas da manhã
Bebemos dos lábios, refrescos gelados,
nas dunas!
Em camara lenta como na TV,
Nas dunas..
Nas dunas..
Naasss duunas...
Naasss duunas..
Refrescos gelados...
Como na Tv.
Nas duunas..