segunda-feira, 8 de abril de 2013

Eu mostro a minha. E tu, mostras a tua?

Sempre tive bastante curiosidade em relação à letra das outras pessoas. Um texto escrito com uma letra gatafunhada, irregular e imperceptível é meio caminho andado para eu perder a vontade de o ler. Já uma caligrafia bonita, desenhada, por vezes regularmente inclinada, é meio caminho andado para ler com prazer. A minha profissão permite-me ler de tudo. Haja quem à mão escreva!

No que toca a comer e a beber, eu sou de gostos fixos

Não sou gorda, não sou magra, sou de estatura mediana e compleição física normal. Só não digo o peso que acompanha os meus 164 cms porque sei que estou com peso a mais e não quero ninguém aqui a chatear-me. Eu tenho espelho em casa e não sendo cega, gosto do que lá vejo. Adiante...
Gosto de comer, comer muito, comer bem, comer em boa companhia e comer comida saborosa. Há lugares por esse país fora, uns visitados uma ou duas vezes, outros com mais frequência, outros fazem mesmo parte dos meus hábitos semanais. Tudo isto para dizer que, se quero comer Polvo à Lagareiro, vou ao restaurante A. Se quero comida chinesa acompanhada de Mateus Rosé, vou ao restaurante B. Se quero Posta Mirandesa antecedida duma alheira, não há hipótese: vou ao restaurante C. Se quero embebedar-me de carne vermelha e vinto tinto, vou ao restaurante E. Se quero bacalhau com natas, vou ao restaurante F. You get the picture, right? Nem que para isso tenha que andar 2 horas de carro, 100 Kms ou mais e perguntar pelo caminho. Não farei a legenda, porque não é isso que interessa agora, mas posso dizer que estas 6 iniciais abarcam uma área geográfica que começa no Nordeste Transmontano e termina no Mondego. A verdade é que o mais-que-tudo sempre me acompanhou neste meu gosto; ou eu a ele, vá, já nem sei dizer, pois nesse aspecto somos "lé com cré", um diz mata, o outro diz esfola. Fossemos assim em tudo e já tinhamos morrido de tédio e felicíssimos da vida. Mas não somos. Adiante...
Gosto de conhecer restaurantes novos, gosto da novidade, mas já resisto a degustar coisas novas que não sejam portuguesas. Sou fã quase incondicional da nossa comida tradicional; deve haver pouca coisa de que não goste; assim de repente, lembro-me de carapau cozido, morcela e papas de sarrabulho.
De resto, marcha tudo, desde que nacional.  


Detalhes cá da casa - V