segunda-feira, 4 de abril de 2011

Desabafo profissional

Eu gostaria tanto, mas tanto, mas tanto de trabalhar com mais homens e menos mulheres! Pelas amostras dos grupos por onde tenho passado, eles, aves raras, conseguem ser tão sintéticos a dizer o mesmo que quatro mulheres a dizerem o mesmo por palavras diferentes. Quem me dera que "a" chefe fosse "o" chefe.

E quarta-feira, à mesma hora (18:30) há mais do mesmo, ainda com mais mulheres e apenas mais um homem, três no total. Haja paciência!