segunda-feira, 9 de janeiro de 2006

APELO: POR FAVOR POUPEM ÁGUA!

Um dos que também se intitula como porco chauvinista teve a gentileza de me fazer recordar o quão útil e essencial a água é. Por isso, meus caros e minhas caras, sejam poupadinhos, não vá acontecer como no Verão passado: tanto grelo a arder na província e tão pouco para o socorrer.

"A ÁGUA"

Meus senhores eu sou a água que lava a cara,
que lava os olhos
que lava a rata e os entrefolhos
que lava a nabiça e os agriões
que lava a piça e os colhões
que lava as damas e o que está vago
pois lava as mamas e por onde cago.

Meus senhores aqui está a água
que rega a salsa e o rabanete
que lava a língua a quem faz minete
que lava o chibo mesmo da raspa
tira o cheiro a bacalhau rasca
que bebe o homem, que bebe o cão
que lava a cona e o berbigão.

Meus senhores aqui está a água
que lava os olhos e os grelinhos
que lava a cona e os paninhos
que lava o sangue das grandes lutas
que lava sérias e lava putas
apaga o lume e o borralhoe
que lava as guelras ao caralho

Meus senhores aqui está a água
que rega rosas e manjericos
que lava o bidé, que lava penicos
tira mau cheiro das algibeiras
dá de beber ás fressureiras
lava a tromba a qualquer fantoche e
lava a boca depois de um broche.

"A Água", de Manuel Maria Barbosa du Bocage.