quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Martírio maternal

O meu filho faz-me sofrer e sofrer muito!
Desde que aprendeu a apertar os atacadores, nunca mais os soube apertar em condições, se é que me faço entender. De manhã sai de casa com eles apertados, umas vezes por ele, outras vezes por mim, o que é logo garantia que durarão bem apertados durante as primeiras horas da manhã. Quando o apanho ao fim do dia, é raro eles estarem apertados. No percurso até casa, normalmente feito de carro, chamo-o à atenção para o facto de eu lhe ter ensinado como é que ele podia evitar tal situação: é que dizer-lhe "(nome dele), aperta os atacadores!" e "(nome dele)", aperta-os como eu te ensinei!" mais do que cinco vezes em cinco minutos, porque efectivamente eles estão lassos e rapidamente deslizam entre os nós (mal dados), é mentalmente saturante. E o que também me chateia é que ele gosta de andar assim, desleixado! Um destes dias cai, dá com as trombas nos degraus duma escada e nem assim vai aprender!