quarta-feira, 24 de abril de 2013

Olhó texto fresquinho! Quem foi, quem foi?

As regras são exactamente iguais às anteriores:
  • cada pessoa pode participar mencionando dois nomes para o autor/a;
  • a primeira pessoa a adivinhar deverá contactar os bloggers que desejar, de modo a continuar esta iniciativa;
  • os bloggers a contactar não devem saber dos outros contactados;
  • e pronto...
 
As mulheres da nossa vida

A mulher Barbie
 Apresenta-se impecavelmente vestida e cuidada, o cabelo geralmente esticado, parece passado a ferro com tanta goma que nem esvoaça ao vento. As unhas de gel enormes e de cores chamativas são um sinal evidente de que nem um ovo é capaz de estrelar, não vá a casca arranhar a pintura. Quando fala limita-se a conversa de roupas, perfumes e aplicações fashion para andróide.

A mulher Premium
É uma Barbie mas para o pior. A Barbie aplica grande parte do seu tempo para valorizar o seu aspeto. A Premium aproveita-se da figura geralmente atrativa com que a natureza a dotou para se valorizar através dos outros. Tem figura de modelo, quase sempre com a medida do busto bem acima do 86, cabelo comprido e habitualmente pintado de loiro e entra em qualquer automóvel de estrela, rodinhas ou quartos de círculo azuis e brancos cuja porta lhe abram. Conhece todos os nomes de discotecas de Vigo até Salou, incluindo as Baleares. Machu Picchu foi um famoso pokémon.

A mulher Big Shot
Está sempre presente nas reuniões de administração, é quase diretora, estando na linha da frente para quando abrirem novos cargos. Conhece todos os restaurantes importantes, está presente nos melhores congressos do ramo e tem reuniões importantes no ministério. Está a par das novidades de aquisições e fusões e o mundo gira em torno da alta finança. Quando tem filhos, são os melhores alunos do colégio privado onde estudam. São o rei-sol, secando tudo o que está à volta.

A mulher capricho
Teve um grande amor na vida que foi reprimido pela família própria ou alheia. Vive na recordação do passado e quem vier a seguir é continuamente comparado com o modelo perdido. É egocêntrica e não cede um milímetro nas suas aspirações, quem não está por si está contra si. Tende a espezinhar o mundo à volta. Quando percebe que pode ficar irremediavelmente sozinha escolhe uma vítima que se por ela se apaixone e puxa ou larga a corda em função dos seus interesses.

A mulher mistério
Está sempre calada e ouvir-lhe uma palavra é mais difícil do que arrancar-lhe um dente. Se não tem interesse no interlocutor diz que tem que ir à casa de banho e desaparece. Quando tem interesse ouve-o atentamente e responde com monossílabos às perguntas que o pobre coitado vai fazendo para avaliar a sua intenção. É insegura e desconfiada mas pode ser uma descoberta gradual e surpreendente para quem pretender investir na relação, que é o objetivo final desta mulher. É tão mais calada quanto mais recear ser apenas mais uma marca na coronha do pistoleiro. Quando se convence que encontrou quem procura, agarra-lhe a mão e segue em frente sem hesitar.

A mulher segura
Nunca aparece quando se procura mas esbarra-se com ela nas alturas menos convenientes. É discreta, muito atenta e impenetrável. Procura homens decididos, educados e cultos. Não o admite, mas derrete-se quando lhe abrem a porta para entrar ou a levam a um restaurante de classe. Resiste facilmente à conversa fácil de engatatão mas estremece quando lhe fazem um elogio discreto no meio de uma conversa séria. Responde com prudência e recato às primeiras solicitações, depois vai acompanhando as conversas, mostrando-se à altura. Quando não se sente muito à-vontade não dá parte de fraca e na primeira oportunidade estuda o assunto em causa e responde, quando ele menos espera, ao que ficou no ar. Gosta do jogo de sedução, que joga na perfeição. Proporciona momentos a dois que ficarão suspensos no limbo da eternidade.

29 comentários:

  1. Respostas
    1. :D Ia jurar que eras tu! Também já fiz uma taxonomia de tias, mas esta esta soberba!

      Eliminar
    2. Inocentinho, errado, lamento :)

      Eliminar
    3. Tio, não foi o Inocentinho...sorry :P

      Eliminar
  2. Bem, acho que sou uma mistura de barbie, com mistério, com segura...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sério? Fiquei curioso...Deve ser a minha costela feminina.

      Eliminar
    2. Bomboca, qualquer uma de nós é certamente tudo isto, a determinada altura e com certas e determinadas pessoas.
      E não queres adivinhar o/a autor/a? :)

      Eliminar
  3. Espero que tenha sido um homem a escrever isto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pusinko, foi um homem sim. Não acredito que haja mulheres que se descrevam deste modo estereotipado e errado :)

      Eliminar
    2. Estereotipado, recordando o agora comentador dos domingos da RTP, é o tio :P

      Eliminar
    3. Ness, vê lá se queres ter o Tio à perna num tarda :P

      Eliminar
    4. Nã, nada de confusões, está escrito com minúscula e é assim que deve ser lido.

      Eliminar
    5. Ness, Esse não é tio, nem com maiúscula nem com minúscula! É filho, porque isso não se escolhe... E como tem a mania, tem que ter um "de" ou "da" no nome. No caso é "da". :-)

      Eliminar
  4. Tenho as minhas suspeitas.

    R.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. R., e suspeitas de quem?

      Eliminar
    2. Olha, vi agora que o inocentinho já o tinha referido :-)

      R.

      Eliminar
    3. R., és o segundo vencedor :)

      Eliminar
  5. É altamente redutora esta visão das mulheres. Etiquetá-las e rotular-las qualquer um o consegue fazer. Analisando-as por este prisma nenhuma serve porque estas etiquetas são construídas na observação de comportamentos casuísticos e a frio. Obviamente tendo por base comportamentos próprios de um local de trabalho, tornando-se assim quase impossível despir estes estereotipos de preconceitos. É que assim sendo não há qualquer hipótese de se gerar a empatia necessária para compreender o que as motiva ou em que patamar da pirâmide de Maslow cada uma delas se encontra. A palavra chave aqui é conversar para humanizar se for essa a intenção.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, e quem escreveu isto? É a questão :)

      Eliminar
  6. Sao interessantes os pontos de vista do lado emotivo se
    quem tem una visão altruista da mulher...mas tem o lado
    da tentativa da descoberta de um ser em esdadio de grande evolução., mesmo que se entenda destinada a quem
    se exibe na esfera do opaco e vazio...sabemos que a mulher é tudo e nada no actual tempo da etiqueta..
    mas é bem pensado em termos de (des)preocupação apaixonada...gostei...
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. lusoma mar, será que consegues adivinhar quem foi o seu autor? :)

      Eliminar
  7. Não tendo sido o Inocentinho, será o Fulano?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Fulano do Escritório? Por acaso nunca tive o prazer de ousar com ele, por isso, não, não foi ele :)

      Eliminar
  8. Posso dar uma segunda (hipótese)?
    A escrever segundo o acordo ortográfico. Veículos com rodas? Ness?

    ResponderEliminar
  9. Inocentinho, nem mais! És o vencedor. Tens trabalho em mãos. :)

    ResponderEliminar
  10. lá diz o ditado. quem tudo quer,,,,,,
    kiss

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.