quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Ovelha à solta

Ontem, pouco antes das oito da noite, uma ovelha lanzuda, gorduchinha e a balir, cruzou a estrada - movimentada e localizada numa zona residêncial - mesmo, mesmo à minha frente. Porque o seu sentido de orientação não me pareceu que fosse bom, apeteceu-me parar o carro mesmo ali, no meio do trânsito, aproximar-me dela, pôr-lhe a mão no lombo e dar-lhe uns empurrõezinhos para poder regressar ao seu pasto verdejante que não ficava nada longe.
Isto de viver numa cidade rural tem os seus momentos caricatos.