sexta-feira, 17 de maio de 2013

Eu sou limitada, geograficamente

Como mulher que sou, faço jus ao ditado de "Quem tem boca, vai a Roma" e vai daí custa-me menos perguntar o caminho a alguém na rua do que olhar para a porcaria dum mapa. Não, não tenho GPS, não quero ter GPS, acho o GPS irritante, ponto final parágrafo.
E há uma coisa que me irrita nos homens, particularmente no Mqt, quando, generosamente, me dá indicações do caminho para chegar a qualquer lado: "vai na direcção norte, segue para leste, vira na Rua X, volta para trás na Rua Y, ...". Ruas essas que têm lojas, superfícies comerciais - algumas de renome -, referências que também ele podia conhecer e indicar-mas para eu poder chegar ao destino desejado. Mas não, pois prefere os pontos cardeais e então na praia é vê-lo a comentar com o amigo de peito "olha às tuas 12 horas". Reviro-lhe logo os olhos!
Mas adiante que me desviei...e já não sei aonde ia.