quinta-feira, 29 de maio de 2008

domingo, 25 de maio de 2008

Desafio aceite ou auto-citação

Memórias da minha infância


Ela detestava ter que descer ou subir aquelas escadas, com medo de encontrar os miúdos ciganos que habitavam um dos casebres que as ladeavam. Eles não eram como ela, não reflectiam medo na sua presença, não eram calmos, não seguiam as regras comummente aceites por todos, não deixavam de tocar uma pessoa só porque esta lhes tentava fugir. A rua ao fundo daquela escadaria parecia-lhe tão longínqua em certos dias. E de inverno? 5 e 30 da tarde, já escuro, sem qualquer iluminação pública naquele canto estreito da sua aldeia natal. Evitava lá passar sozinha, mas nem sempre era possível. Desviava o olhar, desejando passar invisível no meio daquelas crianças sujas, mais escuras, no meio dos adultos que lhe dirigiam palavras que ela não queria ouvir, que a aliciavam com brincadeiras e objectos que ela não queria ver. Ansiava por chegar à alfaiataria, alguns metros mais abaixo, onde finalmente teria alguma paz.

(inicialmente publicado no Ministério da Soltura)

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Malhem nelas!!

(A. e IG, desculpem a repetição do assunto :P)

Hoje estou particularmente irritadiça com o sexo feminino.



As mulheres sempre são um bichinho muito complicado, que gostam de se fazer vítimas e desculparem-se com assuntos que nada têm a ver com os problemas em mão. (...)
Que bando de seres irracionais e mimadas!

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Muito complicado

Filho: Pai...
Pai: Humm?
Filho: Como é o feminino de sexo?
Pai: Quê?
Filho: O feminino de sexo.
Pai: Não tem.
Filho: Sexo não tem feminino?
Pai: Não.
Filho: Só há sexo masculino?
Pai: Sim. Quer dizer, não. Existem dois sexos. Masculino e feminino.
Filho: E como é o feminino de sexo?
Pai: Não tem feminino. Sexo é sempre masculino.
Filho: Mas acabas de dizer que há sexo masculino e feminino.
Pai: O sexo pode ser masculino ou feminino. A palavra Sexo é masculina. O sexo masculino, O sexo feminino.
Filho: Não deveria ser 'A sexa'?
Pai: Não.
Filho: Mas porque não?
Pai: PORQUE NÃO!...Desculpa, porque não. 'Sexo' é sempre masculino.
Filho: O sexo da mulher é masculino?
Pai: Sim. Não! O sexo da mulher é feminino.
Filho: E como é o feminino?
Pai: Sexo também. Igual ao do homem.
Filho: O sexo da mulher é igual ao do homem?
Pai: Sim. Quer dizer...olha: há sexo masculino e feminino. Não é verdade?
Filho: Sim.
Pai: São duas coisas diferentes.
Filho: Então, como é o feminino de sexo?
Pai: É igual ao masculino.
Filho: Mas não são diferentes?
Pai: Não. Ou melhor, sim! A palavra é a mesma. Muda o sexo, mas não muda a palavra.
Filho: Então não muda o sexo. É sempre masculino.
Pai: A palavra é masculina.
Filho: Não. 'A palavra' é feminina. Se fosse masculina seria 'O palavro.'
Pai: Basta! Vai brincar.
O filho sai e entra a mãe, o pai comenta:
- Temos que vigiar esse miúdo...
- Porquê?
- Só pensa em gramática !