quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Desejo mórbido, mas florido

Quando eu morrer, podem botar girassóis na campa. Isto, caso não seja cremada e lançada ao mar, claro.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Fosca-se que até eu me assustei!

Hoje, através dum blog antigo do Riquinho, fui ter ao meu outro pseudoblog. Quase morri de susto perante tão mau gosto na decoração!
Bons tempos!

O que é isto? Além de ser foto tirada pelo amador cá da casa


Ponto da situação

Este é o post 1286.
O blogue apresenta 74 seguidores (ontem eram 75).
Foi comentado 8698 vezes (mentira; há mais mas nunca apareceram publicados).
Parece ter sido acedido 49694 vezes.

Conclusão: ainda não atingi o "wall of fame" da blogosfera!

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Pronto, aqui vai um post com nível e de muito bom gosto

Cortei a trunfa, muito. Vista por trás, estou totalmente irreconhecível. Gosto, muito. Se tivesse máquina partilhava o novo visual. Como não tenho, puxem pela imaginação.

domingo, 28 de outubro de 2012

sábado, 27 de outubro de 2012

Fiquei triste

O senhor que me serviu café e refeições durante 14/15 anos emigrou. Tem perto de 60 anos e foi juntar-se à filha e ao genro, deixando a mulher, também na casa dos 50, e o filho em Portugal.
Triste realidade esta, que obriga as famílias que pareciam estar bem na vida, a separarem-se depois de tantos anos de trabalho, quando inclusive a pessoa em questão já tinha estado emigrada noutro continente.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Descoberta do dia

A Staples, pelo menos a de Braga, vende refrigerantes de lata, detergentes para a loiça, papel higiénico e bolachas. Por acaso não vi se vendia massas e cereais. E pelas vossas bandas?

(E agora perguntam vocês: "E isto interessa a quem?".
Respondo eu: "A quem me quiser ler, como é habitual, ora!")

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

HMMMMM!!

Desconfio que um dia destes terei que adoptar a medida drástica de pôr pimenta na língua do petiz cá de casa, afim de evitar que ande com conversas e linguagem totalmente inapropriadas para a idade dele!
Já agora, pergunto aos pais e mães mais experientes, não necessariamente mais velhos do que eu: se o vosso rapaz de dez anos e mais de meio vos contasse que as conversas com os amigos (onde se incluem raparigas) giram à volta de "fazer um bico", "broche" e coiso e tal, o que fariam vossas excelências?

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Agora que o Benfica empatou, mas o jogo não terminou, posso adiantar isto:

O Sporting está para o futebol como Portugal para a economia, neste momento: ambos precisavam dum recomeçar a zero, com contas e caras totalmente limpas, a começar pelas dos nossos governantes e os verdes pelas dos dirigentes.

Apetites e realidades

Adivinhem quem está a ganhar, por enquanto...

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Apresento-vos o proteus


Segundo o rapaz da casa, é um bicho "fofinho". Eu cá só consigo achá-lo nojento!

domingo, 21 de outubro de 2012

Os normandos conhecem o medo na pessoa de Miss Macintosh


Sem ser hilariante e algo parado, e sendo uma mixórdia de vários momentos de vários dos livros, o último filme das aventuras do Asterix e Obelix não deixa de ter a sua piada, por gozar constantemente com os estereótipos associados à população britânica. O Obelix continua a ser um gordo sensível no que aos Romanos diz respeito e o Asterix é, desta vez, parecido com o Fábio Coentrão, sem bigode. Digam lá se tenho ou não razão...

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Pré-aviso de greve

Greve de zelo, pois não conto escrever nada aqui nos próximos dois dias, mas conto estar aqui para ler o que vocês escrevem. O que me leva a questionar mais uma idiotice inconcretizável: e se a blogosfera entrasse em greve, de zelo ou não, o que aconteceria?

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

É verdade!

Nada como dar quatro de seguida para se saber que mais tarde adormece-se cedo e dorme-se que nem uma pedra. Ah maravilha!

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Os contras da maquilhagem - um pedido

Nada posso dizer sobre o assunto, pois a única vez que me besuntei na cara a sério, e até se notou um efeito elegante, foi no dia do casamento, há mais de 13 anos.
Assim, gostaria que me elucidassem e recordassem das desvantagens de usar a dita cuja, caso eu, que agora sou quarentinha, decida enveredar por essa via.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Selo verde

A Joana, que é uma simpática, e faz uns bolos com um aspecto maravilhoso, atreveu-se a oferecer-me um selinho e a passar-me mais um desafio, sem saber que eu não gostava nada destas coisas de correntes-e-passa-a-ti-e-passa-ao-outro virtuais. Contudo, para que ela não ficasse com má impressão sobre a minha pessoa, acedi generosamente, - até porque tenho andado invulgarmente bem disposta, no geral  - e assim responderei ao que ela me propôs e satisfarei a sua curiosidade. Só não passarei a outros 15 bloggers porque sou uma estraga-prazeres! E além disso, Joana, às vezes não dou ponto sem nó, logo não garanto que as respostas te agradem :)
Este é o selo:
 
E estas são as regras, que não cumprirei na íntegra:
1 - Postar o selo e dizer quem o ofereceu - Foi a Joana.
2- Dizer 7 coisas a meu respeito - Após 7 anos a blogar, aqui vai o que ainda não sabem sobre mim:
  1. Nasci a 14 de Agosto de 1972.
  2. O meu pai nasceu a 14 de Agosto de 1948.
  3. Tenho um sinal de nascença nas costas.
  4. O meu pai tem um sinal de nascença nas costas.
  5. Chamo "papá" ao meu pai.
  6. O meu pai chama-me "bé".
  7. Adoro iscas de figado, acompanhadas com molho de cebolada.
3- Oferecer o desafio a 15 blogs - Tá bem, abelha.

E pronto...

Quando não se sabe, não se quer e a preguiça vence, é isto que acontece

Ainda sem autorização expressa do canino bem falante, atrevo-me a copiar um texto fresquinho, fresquinho, que achei delicioso e muito bem escrito, reflexo do sentimento geral que abunda nas nossas almas:

"Portugal. País paradisíaco porém povoado parcialmente por pessoas pérfidas. País portentoso, pilhado para prover o prazer de poucos privilegiados. Pobre povo pisado, possuído, pervertido, planeando poder partir para patamares posteriores, porém permanecendo prisioneiro de processos paralisantes, putrefactos e pirrónicos.

Presos a partidos políticos, a promessas de prosperidade, a premissas de progresso, permitimos que a peçonha permaneça pairando, putrificando, perpetuando a pena pesada passada pelos principais planeadores da pantomina. Populam os parasitas, pindéricos, prostitutos, pavões, pisoteando os princípios primordiais para poderem predominar principescamente perante a populaça.

Percorremos passo a passo paisagens preenchidas de pesadelo, pensando o porquê de penarmos para preenchermos percentagens, provermos programas ou princípios pecuniários. O pânico pulsa, o povo padece, os políticos pululam.

Políticos? Pressionem-lhes as partes pudibundas! Políticos? Ponham-lhes pinças nos polegares! Políticos? Pendurem-nos pelo pescoço! Políticos? Partam-lhes os pés! Políticos? Prendam-lhes os pulsos! Políticos? Pobres das progenitoras que permitiram que pusessem os pés no planeta! Políticos? Párias paridos pela peidola!
Perpetuamente pertença do povo,
Pobre Perfumado"

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Acho que vou morrer muito cedo

Isto de se ter apenas um filho e saber que, em princípio, não vem mais nenhum, dá cabo do sistema nervoso. Principalmente quando é o único rebento a crescer e a fazer as asneiritas próprias da idade e nós a observarmos e podermos pouco mais fazer do que lhe dar orientações de como deve ou não deve agir nas situações do dia-a-dia.Ai que lá vem mais uma ruga e mais um cabelo branco!

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Nunca aqui se escreveu tanto sobre política como agora

O nosso governo anda a ver se certas propostas pegam. Como algumas não pegam, recuam, o que não lhes fica nada mal, mas leva o pessoal a sentir-se como cobaias de experiências financeiras e governativas. Ai, ai...

(Ahhh, isto é tudo um eufemismo, porque o que me apetecia mesmo escrever não era digno de ser lido por mentes sãs.)

Constatação deste blog

As vacas leiteiras são animais bastante populares entre os brasileiros.
Oh aqui mais uma!

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Liberdade, Liberdaaaaaadeeeeeeeee...AIIIIIIIIII!

PUMMMMMM.........zzzzzzzzzzzzzzummmm........catrapummmmm..uhhhhhhhhhhhhhhhhh, ai que me dói a mão, ai que a pintura da campaínha esfolou toda, ai que não consigo mexer a mão esquerda, ai que temos que desinfectar a ferida, ai o sangue que não pára ...tudo acompanhado duma choradeira que durou uns bons 10 minutos antes que ele se atrevesse novamente a montar a dita cuja, donde antes tinha berrado em plenos pulmões o que leram como título.
Faz parte.

domingo, 7 de outubro de 2012

E veio o Outono

Na sequência deste post do meu compadre blogosférico, achei por bem prosseguir com mais uma amostra sazonal. A próxima estação é ilustrada por ti, pode ser?

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Gêmeos

Tenho quatro, só este ano. É caso para dizer que "são mais do que as mães". Emparelhados, não os distingo minimamente. E só hoje me dei conta de que dois deles eram "meus".

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Só porque EU nunca disse isto antes, apesar de outros já o terem realçado

O actual ministro das finanças é chato e repetitivo. O que lhe falta em criatividade abunda em monotonia e monocordia (esta foi só para rimar). Alguém lhe ponha uma bombinha debaixo do traseiro a ver se ele acorda e abana um bocado! E continuo a achá-lo parecido com o Mr. Bean.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Vocês acreditam?

Desisti do "SOPA", mencionado alguns posts abaixo e comecei a ler "As atribulações de um chinês na China". Há leituras piores, sei lá....aquele que fala das sombras não sei de quem e que anda aí na berra; digo eu que nunca o li nem planeio tal brevemente.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Porque é que muitos mealheiros têm o formato dum porco?

O meu mealheiro, onde amealhei as moeditas que me iam dando quando era catraia, onde multipliquei pequenas fortunas em escudos durante anos, sobreviveu à minha infância e juventude, apenas com uma pequena racha na ranhura das moedas. Hoje pertence ao meu filho e ele tem conhecimento da sua história. Foi lá que guardou os euros para a sua primeira grande compra que, de tão óbvia, nem digo qual foi. Será que vai durar mais uns vinte anitos, até à altura dos meus netos?