terça-feira, 2 de maio de 2006

"Pseudo, és uma romântica" (parte 2) - Tia Concha

É verdade, sou mesmo romântica. E isso nota-se em pequenos gestos do dia-a-dia que transfiro para o blog, para vosso gáudio. "Digam lá quem é amiga, quem é?" (Inha dixit)
Para mais uma vez vos demonstrar quão dada ao romantismo eu sou, deixo-vos, especialmente para as leitores, esta fotografia de belos (?!) exemplares do que, entre muitas outras coisas, me agrada num homem. Não são só eles que olham para o nosso rabiosque. Nós não somos ceguinhas nenhumas e não ficamos indiferentes a um belo rabo, rijinho, curvilíneo q.b.. Claro que somos mais discretas quando apreciamos tais pedaços de mau caminho, mas os pensamentos pecaminosos estão lá.
Ora, eu pedi a um amigo meu, conhecido de vós todos pelas suas tendências algo...hmmm...bizarras, que fizésse o seu comentário à seguinte imagem:

O que saiu foi isto:

"Por esta sequência apenas posso evidenciar que o número do próximo gajo da esquerda acaba em seis, e que o número do gajo da direita é XXL que é mais alto que os outros dois...de resto pelos nomes, depreendo que estejam os três a olhar para uma gaja boa qualquer... possivelmente uma cheerleader...e pela fisionomia daqueles rabinhos, já muito sabonete foi levantado por aquelas maozinhas..."

"Pseudo, és uma romântica" - Tia Concha

Pois sou!
E prova disso foi que, enquanto eu e o mais-que-tudo andávamos fora e dentro de casa a tratar dum grelhadinho na brasa, ao mesmo tempo que revíamos pela enésima vez o filme "Notting Hill", vieram-me, mais uma vez, as lágrimas aos olhos. Ele é o argumento, ele é a banda sonora - da qual vos deixo uma musiquinha - ele é o olhar doce e tímido do livreiro, ele é o sorriso aberto, lindo da actriz adorável e famosa, ele é o conhecido e simpático bairro de Londres, ele é o tarado do Spikey que me leva às lágrimas de tanto rir...

...ele é o filme do princípio ao fim! Não me acontece com mais nenhuma comédia romântica. Acontece-me com outros filmes, por outras razões. Mas este é o que me faz derramar mais lágrimas.

Depois está lá o mais-que-tudo, a gozar comigo, mas que na hora H também se lhe nota um brilhozinho nos olhos. Tem cá uma lata!
Conclusão: as lulas grelhadas com molho de manteiga ficaram uma delícia!