domingo, 17 de junho de 2007

Concerteza

Há uns 2 ou 3 anos atrás conheci este senhor na internet através dum programa de música que permitia sacar e partilhar (pronto, ok, é um eufemismo para "piratear") ficheiros audio-visuais. É um Senhor da música com S grande: sentia-me tão inculta "ao lado" dele no que toca a novidades e velharias musicais, que estava sempre disposta a ouvi-lo e a aceitar as suas sugestões musicais. Nunca foi bem sucedido na tarefa de me fazer idolatrar o seu idolo - David Bowie - mas dessa época ficaram-me memórias de conversas que, entre outros apelidos, foram interessantes, elucidativas, de circunstância, de "corta-na-casaca", etc, etc etc.
Ora, uma das que ainda retenho foi a nossa eterna discussão acerca da ortografia do vocábulo "concerteza". Eu cá defendia e ainda defendo que tal não existe, que é erro comum no uso da Língua Portuguesa, e que o correcto seria usarmos "com certeza". O Senhor Joe defendia com unhas e dentes precisamente o contrário. Sendo ele quem é e fazendo o que faz- e que não mencionarei aqui por respeito à sua privacidade profissional -, ainda mais convincente o gajo poderia soar.
Hoje é comum ler a dita cuja escrita da maneira que ele sugeria (o que não quer dizer que seja a correcta), mas a verdade é que desde essa conversa, cada vez que tenho que a escrever, me lembro desta nossa questiúncula e penso sempre duas vezes se ele não teria razão. Acabo sempre por a escrever ao meu modo: "com certeza". Até porque o meu dicionário da Porto Editora não mente...ou mente? Eu cá acho que não!
Se alguém quiser esclarecer-nos sobre esta simples questão, faça favor, sim?