domingo, 19 de fevereiro de 2017

O meu acompanhante

Acompanhou-me durante 24 horas consecutivas, bem contadinhas. Bem juntinho do meu corpo, da minha pele, do meu coração. Abraçou-me, enlaçou-me e avisou-me. Não me abandonou enquanto dormia, não fez birras, não se desligou de mim. E contudo, eu achei-o um grande incómodo! Amanhã devolvo-o a quem de direito!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

E então, que contam vocês?

Eu cá estou à espera que chova. Diz-se por aí que será um ano de seca e não convém nada, por variadas razões.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Régua

Aquilo começou muito mal, de lado a lado. Foram 30 minutos entediantes, sem que ninguém, nosso ou deles, tivesse um laivo de inspiração. Eles caíam imenso e devem ter gasto o stock de gelo da terreola; os nossos pareciam umas lesmas sem pontaria. Lá se lembraram de pôr o pé ao pedal 15 minutos antes do fim e a coisa lá se compôs a nosso contento.
Valeu pelo passeio e pelo convívio, pois nem o cabrito assado correspondeu à fortuna paga.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Insólito

Desapareceu um dos meus guarda-chuvas que tinha sido colocado por mim à porta de casa, do lado de fora da porta, quando cheguei. O que é estranho é que vivo num 2º andar, ao qual se acede pelo elevador do prédio ou pelas escadas do prédio. Para aceder à área comum do 2º andar pelas escadas, é preciso abrir a porta que existe entre estas e esse átrio.
Mas quem raio é que vem cá acima e faz desaparecer um objecto que não lhe pertence? Mistério...
Estou chateada, pois claro que estou!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

E férias de verão, que tal? Com esta chuvinha, sabia mesmo bem

Ocorreu-me agora mesmo que este ano, lá p'rAgosto, quero ir de férias para a praia. Para a praia a sul onde habitualmente arrendamos uma casa para sete pessoas, algo que já não é feito há uns quatro anos. Os miúdos cresceram, logo os berros das mães e os amuos e maus feitios dos descendentes deverão ser em número menor. Digo eu, que me engano todos os dias, sei lá...

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Momento alto do dia

(ou não!)

Ter a Diana Chaves e o César Peixoto a olharem-me olhos nos olhos e a questionarem-se: "Quem é ela?"

São estas pequenitas coisas que alegram um dia cinzento e chuvoso, não acham?

domingo, 29 de janeiro de 2017

Eu sei que já venho tarde, mas...

...gostaria de ver confirmação de vossa parte - ou negação, se for o caso - de que aquele livro do senhor arquitecto e ex-director de um semanário bem conhecido é apenas um rol de cusquices, muito mal escrito, sobre algumas das nossas personalidades políticas. Uma espécie de revista cor-de-rosa de politiquices onde só faltam mesmo as fotos dos intervenientes nos locais e dos dias mencionados.
E ainda só li sobre as primeiras 3 pessoas mencionadas no índice...Devo continuar? - pergunto-me eu.

Devo andar a ver mal ou a ter demasiadas esperanças

É impressão minha ou há bastantes mulheres grávidas nas ruas? Serei eu que ando a ver barrigas avantajadas a mais (reflexo subconsciente de um desejo meu) ou de facto há mais futuras mães no país, neste momento?

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

"Hoje tá brava"

Disse-me um deles, ao que lhe respondo rapidamente: "Não é hoje, é todos os dias. Tu é que não estás comigo diariamente".
Há quem lhe chame mau-feitio, refilice, ser do contra. É um pouco disso tudo e outras coisas mais - digo-vos eu.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Tem um aspecto horroroso

...mas um sabor divinal!
Isto foi o que almocei ontem:


E a foto foi sacada da net, algures por aí.
Um miminho extra a quem adivinhar o que é e onde foi. Recomendo o desvio de alguns quilómetros na autoestrada mais próxima para ir ali. E convém reservar. Pois, é desses, sim...no meio da serra.

sábado, 21 de janeiro de 2017

Ia havendo porrada!

A troca de palavras foi, eufemisticamente falando, intensa. Foi feio. E mais não digo, a não ser isto: que há adultos que não se sabem comportar.

Pois então lá fui à médica novamente

Mandou-me cortar no café: estou limitada a dois por dia. Até quinta-feira passada, tomava três. Tensão, a quanto obrigas...

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Sabem o que é um arduino?

Pois, eu também não.
Mas desconfio que vou aprender o que é e para que serve muito em breve.

Serviço de acompanhante

É o que me está reservado para a próxima quarta de manhã, se eu durar até lá. E desconfio que até vou gostar, pois resultarão confidências e troca de impressões de tal coisa. Gil Vicente assim obriga.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Ai a minha vida!

Agora deu-lhe para querer assistir in loco aos jogos dos séniores. E de outras competições da mesma modalidade. E de outras equipas concorrentes! Mau, mau...

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Momento escolar estranho e o bicho de sete cabeças da Leitura

"A Professora lê?" - pergunta-me o F., aluno de 5ºano, com ar intrigado, após ver-me a sair da BE com um livro não-escolar na mão.
Respondo-lhe que sim, que tento ler um pouco todos os dias, antes de adormecer. Responde-me ele:
"A minha mãe faz o mesmo. É esquisito."
Returco: "Tu devias fazer o mesmo, ler todos os dias. Fazia-te bem." E a troca de palavras ficou por ali mesmo...

A verdade é que ele lê todos os dias, sem disso ter plena consciência; simplesmente não o faz com prazer, não pega num livro não-escolar, não escolhe um baseado numa linha que lhe agradou ou numa capa disparatada. Custará assim tanto a um miúdo de 10/11 anos descobrir o que as palavras nos dizem no papel? E que não seja no papel! Que seja no ecrã que eles transportam diariamente! O que me parece é que "leitura" está a tornar-se uma atividade "esquisita". E isto é-me esquisito!


domingo, 8 de janeiro de 2017

Derby minhoto (bracarense, na verdade)

Hoje sim, foi um jogo renhido, taco-a-taco! Hoje deu prazer ver as duas equipas jogarem, equilibradas, com garra; mesmo que nenhum dos treinadores tenha rodado todos os jogadores. Perfeitamente compreensível, tendo em conta o que estava em jogo.
Perdemos na casa deles, tal como eles tinha perdido na nossa casa, pela mesma diferença de golos.
E as bancadas, santo ambrósio? Ao rubro! As mães deles faziam a festa, atiravam os foguetes, treinavam da bancada para o campo...ui! Quando chegarem todos a séniores, os deles e os nossos, vai ser explosivo!

A culpa é do Benfica - mais um post pessimista

O ano não começou nada bem. Senão vejamos:
- mortes, por causas diversas, continuam;
- as urgências hospitalares estão entupidas;
- as telenovelas bancárias são primeira página de jornais;
- o serviço de entrega e distribuição de correspondência, via CTT, vai de mal a pior; para não falar do tempo de espera cada vez que se entra numa estação;
- os preços em geral, como é tradicional, estão mais altos do que há 9 dias;
- os carros estacionados aqui na vizinhança aumentam, diminuindo o número de locais para estacionar;
- não tenho nada novo ou estimulante para ler, de momento;
- o nosso filho continua com maus hábitos, de trabalho e de higiene;
- a embraiagem de uma das duas viaturas do agregado familiar foi à vida;
- o tempo soalheiro não ajuda a que os produtos agrícolas se desenvolvem no tempo e ritmo certos;
- não me apetece descobrir fontes de informação (vulgo blogs) novas;
- sei que a minha médica de família vai arreliar-me (e com toda a razão) e eu não gostarei;
- os putos na escola - apesar de giros e castiços - continuam a não querer saber;
- ...

Acrescentem vós as vossas razões, que eu sei que as têm!

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Indecisões literárias

Após a habitual troca de presentes natalícios, não consegui, durante algumas horas, decidir o livro a ler:
se um antigo que mora nas minhas estantes, duma inglesa chamada Susanna Clarke;

se um da italiana e sobejamente na moda Elena Ferrante (seria estreia absoluta com esta autora) oferecido pela minha tia-madrinha;

se um dum já velho conhecido português residente na Holanda que ofereceram ao meu pai.


Um beijinho e um abraço a quem adivinhar qual foi a escolha óbvia...

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Vai uma aposta?

Aposto em como já há imensas apostas que apontam para o dia de falecimento do cidadão Mário Soares. Eu cá aponto para o dia 31 de Dezembro deste ano.
Com 92 anos e problemas de saúde, afinal o que é que se espera ouvir destes vastos boletins diários? A sério, não há paciência.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Um slow dos anos 80 na segunda década do século XXI

Digam lá se a sonoridade inicial não vos faz lembrar todos aqueles slows que dançaram bem agarradinhos na década de 80 ...ah pois é! Apaixonei-me por esta logo à primeira nota. E o 1:07, com aquela mudança de timbre, é excelente.

Escusam de ver o vídeo, basta a música.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Mais um


FELIZ NATAL PARA TOD@S,  COM SAÚDE, DESCANSO, CALORZINHO  E AMIZADE.
Até breve!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

O meu novo actor favorito


Mais um a quem a passagem do tempo só está a fazer bem...e o seu Sherlock Holmes assenta-lhe que nem uma luva. Já o sorriso do seu Stephen Strange é de babar!

domingo, 4 de dezembro de 2016

Gabriel Allon

É o meu novo herói literário: judeu de meia-idade, casado, cabelo grisalho, porte atlético, atento e atencioso, agente dos serviços secretos israelitas, amigo do "American establishment", restaurador de obras de arte, exímio no planeamento de atividades de espionagem. Nem sempre capaz de cumprir promessas. E é esta uma das razões que o torna normalmente imperfeito.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Pergunta dirigida às leitoras que usam soutiens

(Mas as que não usam e os leitores também podem responder.)

O que é que vocês fazem aos soutiens velhos que já não usam mais? Aceitam-se sugestões para exterminar o conteúdo daquela gaveta cheia de "tralha" para as mamas.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Estou chateada, pois claro que estou

Já estou saturada de, numa certa superfície comercial, ver o mesmo papel de embrulho, alusivo à próxima época festiva, há imensos anos: ou vermelho ou dourado, assim com uns desenhos fatelas.
Mas será que ninguém naquela empresa tem criatividade suficiente para criar algo diferente, que não inclua uma fêmea bamboleante que já cansa a vista?

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Compras por impulso

Vejo, gosto, apetece-me, pondero, posso, compro. É muito assim. Daí não ser grande fã das várias épocas de saldos e promoções nem ter paciência para andar a percorrer quinhentas lojas à procura do mesmo tipo de artigo. Seja roupa, livro, víveres, artigos para a casa ou Legos.

Legos...pois. Bastou cruzar-me com um certo amigo viciado neles, já eu estava de saída do hipermercado. Demos dois dedos de conversa e foi o suficiente para dar meia volta e os três -, eu, o meu amigo e o amigo dele - trazerem três caixas iguais pelo preço de duas. Não há coincidências mesmo que eu tenha sido impulsiva!

domingo, 20 de novembro de 2016

A primeira vitória: 24 - 22

Em casa, para gáudio dos progenitores presentes.
"Aleluia!" - disse eu ao treinador, entre outras coisas que ouviu também de outras pessoas.
Já o rapaz saiu amuado, pois, apesar de ser titular, saiu antes do intervalo sem nunca mais regressar; e o que jogou, não (lhe) agradou.
É a vida. Há que fazer por ela!
No próximo domingo, vamos ali a Marrocos.

domingo, 13 de novembro de 2016

Luz de Ferro e Céu de Chumbo

Longe de serem temáticas que me agradem - as grandes guerras mundiais do século passado e o Nazismo, visto da perspectiva de um elemento nazi algo revoltado com o sistema que integra -, são temas que qualquer alun@ de nono ano tem que estudar. E este ano o jovem adolescente aqui de casa tem que ler na íntegra uma das duas obras mencionadas no título. Eu já li os dois livros, o primeiro mais rapidamente que o segundo. E continuo a não gostar do tema. E se quando li o primeiro, achei que não era livro adequado à faixa etária do rapaz (e aqui entraríamos noutra discussão tão ou mais interessante: o que é que é adequado a uma pessoa de 14/15 anos ler? quem decide o que é adequado? porquê o tema X e não o tema Y? porque é que (não) é adequado, afinal?), nem sequer tema que lhe interesse, então o segundo ainda muito menos. Apesar de toda a violência que os adolescentes visionam hoje em dia, creio que é necessário ter alguma imaginação, aos 14/15 anos, para conseguir recriar na mente batalhas com tanques, armamento obsoleto, mapas dos territórios europeus ocupados pelos nazis e pelos soviéticos, e localizar no mapa de um determinado país as localidades mencionadas no livro e os trajectos percorridos pelas diversas partes bélicas. Sei que o objectivo de quem o obriga a ler o livro em questão não passa por decorar a toponímia da época nem os nomes dos indivíduos e grupos intervenientes nos conflitos. Questiono-me se não haveria obra mais apelativa, mais cativante, menos feia... para estudar uma época tão horrenda da História europeia.

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Domingo vou jantar ...

...salada de grão de bico com atúm, ovo e salsa e de certezinha comer pudim de ovos à sobremesa!

(A primeira vez que tal acontece em 44 anos de vida.)

terça-feira, 1 de novembro de 2016

84 anos de vida

Cheia, sofrida, alegre, dogmática, conflituosa, teimosa, persistente, intolerante, divertida, sociável, resignada.
Apanhou-me um dia a fumar à sua varanda. Não me viu com o cigarro, mas sentiu-lhe o cheiro.
Há momentos que não vou esquecer.
Vai como gostava de andar: bonita, com cabelo impecável e ar sereno. E um terço rendilhado nas mãos, símbolo de algo que eu deixei de entender há muitos anos.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Lembrei-me, por causa do Pedro

Digam-me lá se estes dois Senhores não têm parecenças físicas; será que é só dos meus olhos?





domingo, 23 de outubro de 2016

O penico do céu

É, hoje a cidade faz jus à fama. Irra que não se pode sair à rua!

Entretanto, descobri (também) hoje que tenho uma piscina municipal à porta de casa, a cinco minutos a pé. Vamos ver no que vai dar...

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Da última leitura, que decorreu em 3 noites

Livro escrito a três vozes, femininas, a saber:
- a alcoólica desequilibrada que finalmente vê a luz;
- a amante traidora que se transforma em esposa traída;
- a amante assassina que acaba assassinada.

Pelo meio, há homens atraentes, bem-parecidos e com muitos segredos escondidos.

Francamente, gostei! Mas não quero ver o filme, senão as imagens que criei, esvair-se-ão num ápice!