quarta-feira, 11 de julho de 2007

"Há-des morrerr!!"

...dizia o meu avô, alfaiate perneta e brasileiro de nascença, aos catraiaos que passavam por ele e lhe diziam insolências ou o provocavam, quando se sentava, ao final do dia, à soleira da porta de casa. Como estava fisicamente impossibilitado de correr atrás deles, agitava a sua muleta bem alto, enquanto bramia alto tal sentença inevitável para todos ! Bem, vocês até podem achar que a imagem seguinte não tem qualquer ligação com esta pequena introdução familiar. Mas foi exactamente o que me ocorreu quando olhei para este paciente ser à espera que lhe acontecesse o milagre prometido, depois de ter cumprido com a sua obrigação internaútica: a de ter partilhado com os demais aqueles e-mails em cadeia que prometem mundos e fundos ou a desgraça imediata relativamente às suas performances sexuais.



Vocês pertencem a esta categoria ou à dos "apagadores", como eu?