domingo, 5 de junho de 2016

Agora não dá

Podia falar-vos das caminhadas, da minha avó quase louca, das gaffes durante almoços de família, do quão bem eu cozinho favas, das discussões políticas antagónicas entre marido e mulher e a sogra desta, das festas escolares, dos resultados que chegam a casa, dos mimos domésticos, d'O Hipnotista que me deixou a chorar de empatia, de viagens para cima e para baixo, das séries que não gosto de perder mas perco (bendito rewind temporal!), dos chatos das telecomunicações, da amiga que não parabenizei porque não tenho o número e do sentimento de culpa que me invade desde sexta, de gentes do passado, de desconhecidos conhecidos, das notícias que não vejo mas leio e filtro, dos blogues que continuo a bisbilhotar despudoradamente e a comentar com os meus botões, das músicas que descubro com os catraios e que me deixam apaixonada, da carta por pontos que se hão-de comprar, da criança que gosta de atirar bolas num chão de tijoleira, dos encontros e reencontros que nunca mais acontecem, ...

...mas fica para outra altura.

Base: Cork ou Galway

O que me dizem sobre este assunto?


OU