terça-feira, 29 de novembro de 2011

São 21:44 e já para lá vou!

Ahpoisé, que amanhã vai ser um dia super-duro, especialmente de manhã!

(porra, mais valia arranjar conta no twitter duma vez por todas. E aquilo serve para alguma coisa de jeito?)

Como procrastinar ou de como me apetecia passar a tarde a rever isto

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

domingo, 27 de novembro de 2011

É, às vezes apetece mesmo dar um pontapé em tudo o que nos aparece pela frente

Conto de Natal - III

Um dia achei que tinha jeito para escrever contos de Natal. E bem dito, bem feito.
No ano seguinte, voltei a achar o mesmo. Bem dito, bem feito.
Passados 5 anos, acho o mesmo e vou tentar e ver o que sairá daqui.

A Dª Dina e o Sr. Diamantino tinham um fraquinho por pedras preciosas e um gostinho especial por diamantes. Ele tinha-lhe já oferecido várias jóias com diamantes incrustados: colares, anéis, broches, ganchos de cabelo...enfim, uma panóplia de joalheria de fazer inveja a qualquer rainha. Ela, por sua vez, também lhe tinha oferecido um cinto com fivela personalizada com a letra D formada por diamantes e uma caneta de tinta permanente, caríssima para o comum dos mortais, mas que a ela não tinha feito grande mossa na carteira, caneta essa decorada com uma finíssima e elegantérrima linha de diamantes à volta da tampa e, mais uma vez, a inicial dos seus nomes no topo da tampa.

Ora, aproximava-se Dezembro a passos largos e estavam ambos com o problema do costume: como serem originais e presentearem a cara-metade com mais uma surpresa de fazer cair o queixo.

Em dias diferentes, e sem que o outro soubesse, dirigiram-se ambos à elitista joalheria D.&D.. Ele optou por um relógio de pulso com bracelete prateada, onde mais uma vez, a letra D sobressaía a diamantes. Ela optou por um relógio de bolso, com corrente, à moda antiga, onde mandou gravar o detalhe do costume.

Chegou o grande dia D. Nessa manhã, ainda antes dos convivas chegarem para o almoço farto e prolongado, típico daquele lar de gente extravagante, trocaram as prendinhas que ambos gostariam que o outro usasse e exibisse perante os convidados.

Azar do caraças! Quando ambos tentavam colocar as respectivas prendas nos sítios para que foram feitos, a cadela, Diamantina de sua graça, e o cão, Dino, entraram em algazarra pela sala dentro, partiram algumas loiças decorativas, escorregaram nas alcatifas e tapetes, enlamearam o chão com as suas patadas de cães brincalhões e chocaram com os donos, postados um em frente ao outro, ambos em frente à janela da sala. Ora, esta janela tinha a infeliz particularidade de se situar por cima duma tampa de esgoto a céu aberto. Assunto nunca resolvido pelos gabinetes camarários, pois, não estando à vista, não incomodava ninguém, dizia-se à boca cheia. Ora, esta janela calhou de estar aberta nessa manhã solarenga.

Adivinhem quem teve uma manhã natalícia um bocadinho mais triste a ver o seu dinheiro a voar por ali abaixo... 

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Estou com um mau feitio que até a mim me dá asco

Há eventos sociais convencionalmente obrigatórios que me põem os nervos em franja e aos quais me dá algum prazer não estar presente, apesar de até gostar de conviver. Somos todos seres sociais e sociáveis, por necessidade, gosto, tendência, mas já não me apetece aparecer apenas para marcar presença ou desfilar a minha carteira nova e os acessórios todos catitas. A saber:
  • missas
  • funerais
  • jantares de empresas
  • reuniões de trabalho
  • greves
  • festas de (outras) famílias
  • romarias
  • arraiais
  • visitas de cortesia a quem não me diz quase nada
Não gosto de fazer fretes só para agradar a terceiros. E aproxima-se a época em que farei alguns. Raio de dilema!

Caraças

Estava agora mesmo para escrever qualquer coisa, mas varreu-se-me.

Da greve de hoje

Descobri que tenho 33 alunos (num universo de 41 que teria hoje de manhã) muito trabalhadores, reivindicativos e zelosos dos seus direitos profissionais (esta é para levar à letra), que, conscientes das dificuldades actuais sociais e económicas da pátria, decidiram ser solidários com os demais. Bem hajam!

P.s.: Vêm TODOS de transporte público, claro!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Mais uma dúvida daquelas

...para aqueles e aquelas cuja bexiga e intestinos funcionam bem:
Vossemecêses também se alinham? :P

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Segredos - XVIII

Às vezes, durmo em casa do meu pai. Já aconteceu ter-me esquecido do meu pijama fofo, quentinho, felpudo e giríssimo. Quando tal acontece, uso uma camisa de dormir que pertenceu à minha mãe, daquelas até aos pés. Mas aquilo é tão...oh sooooo unsexy que até a mim causa arrepios!

Pseudo meta-bloguices

Se há coisa que me irrita profundamente em certos blogues, no meu inclusivé, é a necessidade de moderar comentários. Irrita-me ainda mais ter que inserir aquelas letrinhas estupidamente tortas e sem qualquer sentido algures, para poder ter o meu comentário publicado.

Contudo, prometi a alguém que amanhã lhe daria uns ensinamentos sobre estas merdices que me irritam. Haja paciência para estes assuntos de entretenimento!

Dúvida linguística

A palavra "pátria" rima com quê?

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Coisas giras que se vão lendo e considerações tecidas

  • Os crocodilos não conseguem pôr a língua de fora. (E depois?)
  • As zebras são brancas com riscas pretas, e não pretas com riscas brancas (Ora aqui está a resposta à questão colocada no filme "Madagáscar".)
  • Bibliofobia é o medo de livros. (Alguns adolescentes são exemplares assumidos desta fobia.)
  • Estudos indicam que as plantas crescem melhor quando lhes fazem carícias. (Não acontece apenas com as plantas, como se sabe.)
  • Os crocodilos têm cerca de 80 dentes. (Ok!)
  • Uma folha de papel seco não pode ser dobrada a meio mais de 7 vezes. (Alguém confirme, por favor.)
  • A bandeira de Itália foi desenhada por Napoleão. (E esta, hein?!)
In Factos Bizarros, da Porto Editora, 2011

(Bom livro para oferecer à canalha. Custou-me quase €9 no M. & C.)

Patife, Pacheco e Cª, Lda.

Dispensam apresentações, pois o Patife anda nestas andanças blogosféricas desde, pelo menos, Abril de 2010 e o Pacheco anda noutras andanças desde que alguém lhe deu a sua graça. Um escreve, o outro age. Um gaba-se do que o outro faz, o outro age em nome da humanidade. O Patife é homem de letras, o Pacheco é pau para toda a obra. O Patife escreve às segundas e às quintas apenas, o Pacheco não dá azo às encomendas diárias. O Patife diz “mata”, o Pacheco diz “fode”. Ambos têm seguidores, eles invejosos do Pacheco, elas ávidas da verborreia do patife. Ou será o contrário? Cada um sabe de si.

Agora mais a sério: o homem é um mestre exímio da literatura porno-erótica. Rima como mais ninguém, tem a resposta pronta na ponta da língua e está sempre pronto a aviar mais uma aventura. As longas horas passadas a ler Marquês de Sade, Bocage, Anne Rice, Henry Miller e a Gina ensinaram-lhe a teoria toda, que ele põe em prática no Chiado sempre que o deixam e que resultam em relatos hilariantes que podem ser lidos aqui. Encosta às boxes qualquer seguidor do falecido “O meu pipi”, que os arquivos blogosféricos o tenham em bom descanso.

Conselho: Patife & Pacheco chegam a ser viciantes. Cuidadinho com o que fazem a seguir.

sábado, 19 de novembro de 2011

Segredos - XVII

Eu gosto de ver desenhos animados: Beyblade, SpongeBob, Code Lyoko (ou lá como se escreve), Scan2go, e outras coisas de rapazes. Daqui a uns anos, estarei a segredar-vos coisas com bolinha vermelha. Já hoje as vejo, mas não convém dizer publicamente quais são.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Lá diz o velho ditado:

Casa roubada, trancas à porta. Após 6 anos, lá teve que ser. Estava a ver que não, porra! Deve ser a única opção do blogue que eu ainda não tinha experimentado!

As queijadinhas do Ted (trazem água no bico)

A prova está aqui:

O miminho para o Ted está aqui:


Mas há um senão:

Ted, desafio-te a confeccionar a seguinte receita em casa, a usar as ditas cujas num ambiente mais intimista e erótica e por fim, a relatar o resultado no teu blogue.

RECEITA para 24 queijadinhas:
6 ovos inteiros
500 gr de acúcar
200 gr de farinha com fermento
750 cl de leite do dia
100 gr de margarina derretida em banho-maria

Numa taça redonda alta, misturas muito bem os 6 ovos inteiros,  o acúcar e a margarina previamente derretida. Quando a massa estiver com uma cor amarela bonita e a consistência for uniformemente cremosa, acrescentas a farinha. Continuas a bater a massa muito bem, evitando que se formam aqueles caroços de farinha (tarefa quase impossível, digo-te já). Por fim, juntas o leite lentamente até que a massa fique com uma tonalidade amarela clara e consistência ainda mais líquida. Enquanto TU fazes isto, convém teres outra pessoa a untar as formas com manteiga (ou margarina) e a polvilhá-las com farinha. Deitas o preparado nestas formas, levas ao forno previamente aquecido (eu costumo estabelecer a temperatura nos 200º) e retiras cerca de 40-45 minutos depois, quando notares que já estão com uma cor bonitinha. Podes experimentar a massa com um palito. Não convém deixá-las demasiado líquidas nem demasiado assadas. Isto, feito a dois, abre logo o apetite para outros miminhos.


(Aconselho a que laves a loiça apenas no dia seguinte e tenta não escaldar a língua:P)


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Fresquinha: não resisto a partilhar isto.

Pobreza Franciscana: assim como é que posso embirrar ou criticar aqueles que me visitam esporadicamente à procura destas coisas?

Perc. Search Term 10:57:49 PM 9 Nov 2011 to 07:37:14 PM 15 November, 2011  

10 Visits 19.23% pseudoblog

3 Visits 5.77% desenho da minnie

2 Visits 3.85% concerteza

2 Visits 3.85% imagens da minnie mouse

2 Visits 3.85% minnie a pensar

2 Visits 3.85% mulheres com mais de 30 anos

2 Visits 3.85% rata rapariga

1 Visits 1.92% a cabeça se divide em..

1 Visits 1.92% a dor de perder alguem

1 Visits 1.92% a passarinha

1 Visits 1.92% a velha rezingona

1 Visits 1.92% algo nunca visto

1 Visits 1.92% as manas

1 Visits 1.92% blog pulha garcia

1 Visits 1.92% desenho de minnie artista

1 Visits 1.92% desenho minnie

1 Visits 1.92% fá-lo-ía

1 Visits 1.92% filmes lamechas

1 Visits 1.92% foto porca no sofá

1 Visits 1.92% história de lobo bom

1 Visits 1.92% historia lobo bom

1 Visits 1.92% minha mãe é mentirosa

1 Visits 1.92% minnie desenho

1 Visits 1.92% Minye Desenhos

1 Visits 1.92% morcona

1 Visits 1.92% morcona significado

1 Visits 1.92% mulheres com mais de trinta anos

1 Visits 1.92% nunca vos aconteceu

1 Visits 1.92% o lobo bom

1 Visits 1.92% pseudo-blog

1 Visits 1.92% quantas partes que divide-se a cabeça?

1 Visits 1.92% rigueifas portuguesas

1 Visits 1.92% sahaisis

1 Visits 1.92% sapatinhos de ballet

1 Visits 1.92% tempos que já não voltam

1 Visits 1.92% the cure tocará

domingo, 13 de novembro de 2011

"Ó Pseudo, e por acaso tu conheces as bandas da actualidade, aquelas que os "incultos" ouvem?"

Os vossos comentários deixados 2 textos abaixo levam-me a desenvolver, com muito gosto, a resposta à pergunta deixada pelo "chavalego" e a deitar mais umas achas para a fogueira.

Chavalego, eles têm tanto direito de me chamar inculta, pela razão que tu apontas, como eu a eles, desde que, com educação, me expliquem porque é que me chamam tal, tal como eu lhes recordei quem foram os "Beatles", que, quer gostemos ou não, quer achemos que tenham qualidade ou não, marcaram uma década do século passado. Foram um ícone cultural agora reavivado.
Eu nasci na década seguinte e cresci ao som deles, pois uma das minhas tias, 9 anos mais velha do que eu, passou a sua adolescência e juventude a ouvi-los, tal como ouvia os Pink Floyd, Jethro Tull, Nina Hagen, Simon & Garfunkel, The Cure, Frank Zappa, Trovante, Zeca Afonso, Vitorino e outros que agora não me recordo. O meu pai fazia questão de pôr a tocar os vynils (não sei se é assim que se escreve) dos "Carpenters", Patti Smith, Elvis Presley, Frank Sinatra, Bee Gees, Abba, The Eagles" Roy Orbinson...e sei lá que mais, a ponto de eu, já mais velha, já enjoada de tanta música chata, nem sequer querer ouvir mais nada sobre a malta da geração do meu pai. Mas sei que existiram, reconheço os nomes das bandas e cantores como pertencendo a uma determinada época. Isto tudo para corroborar a ideia da Orquídea, que desculpabiliza os jovens de hoje pela sua ignorância musical devido ao facto dos seus progenitores não os terem formado convenientemente. E com alguma razão, a meu ver. Quando ouvi o tal anúncio da "Optimus" das primeiras vezes, realmente, eu mencionei cá em casa o nome dos gajos que tinham composto o original. Achei natural mencioná-lo. Não creio que todos os pais se tenham lembrado de tal coisa, mas quero acreditar que alguns fizeram o mesmo que eu.
Chavalego, os meus alunos não têm que saber tudo sobre todas as bandas que até hoje existiram. Eu própria sou uma inculta neste campo, considero-me bastante limitada a um reportório de bandas "mainstream" de décadas diferentes. Mas sei quem é o Justin Bieber, a Britney Spears, os Three Doors Down, os Rammstein, os Coldplay, os Incubus, os Da Weasel, a Rihanna, a excêntrica da Lady Gaga...consigo identificar esta malta toda se vir uma foto, apesar de não fazerem parte dos meus hábitos musicais. Atira-me com nomes de bandas actuais menos conhecidas, menos ouvidas nas rádios portuguesas e sim, admito que sou uma inculta.
O que me chocou na resposta deles foi também o facto de serem alunos de inglês há pelo menos 5 anos e nunca se terem deparado com um professor chato de Inglês que lhes avivasse a memória, passando umas musiquinhas dos ditos cujos Liverpoolianos. Será que nos manuais usados desde o 5ºano nunca houve referência a tal banda? Será que nunca apareceu uma imagem deles, usada como estereótipo dum estilo musical próprio duma determinada época?
Felizmente, eu convivo com malta mais jovem do que eu todos os dias. Faz parte do meu trabalho perguntar-lhes o que gostam de ouvir. Este ano fui agradavelmente surpreendida com respostas como "Nirvana" e "Pearl Jam", bandas que eu ouvia quando tinha 16/17 anos, a idade que muitos alunos meus têm actualmente. Alguns ouvem o que eu ouvia há mais de 20 anos! Muito por culpa das re-edicões e do marketing, é verdade, mas fizeram-me sorrir nesse dia.
Na semana passada também sorri, mas não resisti a chamar-lhes um nome feio! Como diria o Pulha Garcia, "nao os maltrates demasiado, pois eles são somente um produto do seu tempo".

sábado, 12 de novembro de 2011

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Hoje chamei incultos a 19 pessoas

"Vocês são todos uns incultos!"

ESCÂNDALO! Caras de espanto, de ofensa, esgares desconfiados...e tudo porque não sabiam a origem daquela publicidade duma operadora de telemóveis que anda aí na berra. Quando lhes mencionei o nome dos autores, ainda houve quem perguntasse: "Quem??".
Mandei-os ir ao youtube e continuei com o planeado. Enfim...

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Ainda há disto à venda, alguém sabe?

(Na procura desta imagem, encontrei cada coisa mais...sui generis, que só visto. Recomendo!)

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Que perguntas gostarias de ver aqui respondidas pela JE? Garanto que respondo a todas!

Força nisso, pessoal! Vale tudo!

Só para alegrar a malta

A professora diz aos alunos para desenharem o órgão sexual feminino.
Nisto, uma aluna incapaz de fazer o desenho, abriu as pernas e espreitou para debaixo da saia.
Um colega vê e grita:
- PROFESSORA, ELA TÁ A COPIAR!!!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

domingo, 6 de novembro de 2011

E o domingo chegou e está quase a terminar

E o que se passou durante estes dias loucos?

Muitas reuniões chatas, longas,  repetitivas e pouco produtivas, apenas porque o ME manda e os soldadinhos de chumbo obedecem. Chegou-se tarde e a más horas a casa. Viajou-se ontem de manhã, viajou-se hoje à tarde. Não se cozinhava nesta casa desde terça passada e fi-lo hoje à noite, algo que nem é habitual ao domingo. Foi-se visitar a mãe já que tal não tinha sido feito no dia agendado pela igreja católica. Compraram-se 3 prendas de Natal, todas para o petiz. E agora actualiza-se o diário digital, de modo a que eu, daqui a 30 anos, ainda consiga recordar-me do que fiz hoje. Nessa altura, se ainda viver, terei uma rica idade!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Intervalo na programação

Antes de domingo à noite, com alguma sorte, não há nada para ninguém. Se não for no domingo, será, certamente, na segunda à tarde. Até lá, não se molhem muito!

Novo dia, nova molha

...e ainda não são nove e meia. Isto para quem passou metade dum feriado na cama e no sofá, enrolada em cobertores e robes e mantas, à conta duma gripe malparida que já vem do fim-de-semana, a chupar rebuçados do Dr Bayard. Excelente!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Beijos e abraços e afectos e afins virtuais - este é para o Confuskos

Correndo o risco de nunca mais ser visitada e totalmente ignorada por alguns, a partir de hoje, aqui vai disto:
Há pessoas que lêem e comentam o que eu escrevo e muito simpaticamente, por vezes com criatividade, deixam beijos e abraços quando se despedem. Gosto de os ler, revelam empatia com aquilo que foi partilhado por mim. Mas eu sou uma agarrada do caraças, pois acho que os beijos e abraços e afins devem ser dados com sinceridade, com força, pessoalmente, com as peles a tocarem-se, nem que seja ao de leve - contudo, detesto aqueles apertos de mão demasiado leves, esses são um frete, não um aperto de mão a sério, com vitalidade e garra.
Dizia eu que, apesar de os acolher bem, não é meu hábito dá-los frequentemente, pois mesmo que o remetente os sinta genuinamente, eu continuo a achá-los artificiais, apesar de demonstrar delicadeza por parte de quem os envia.
Devo concluir, assim, que eu sou uma indelicada assumida e desde já as minhas desculpas a quem me beija e abraça sem receber retribuição.