quarta-feira, 18 de março de 2015

É um prazer

Troco com alguma frequência e-mails com o professor de piano do rapaz. Dá gosto, a sério. Mantemos a distância necessária entre mãe de aprendiz e mestre, sem nunca deixarmos de abordar o necessário e trocar impressões sobre o progresso do "pianista". O senhor é capaz de rondar a minha idade (42, para quem ainda não a sabe) e as raras conversas cara-a-cara decorrem sempre num tom de boa educação, num volume baixo e num ritmo pausado, sem interrupções mútuas. É daquelas pessoas com quem eu não me sinto à vontade para dar uma gargalhada explosiva e estrondosa (habitualmente não o faço, de qualquer modo), mas com quem é bastante agradável conversar. Os seus e-mails não fogem a este registo. E gosto especialmente da despedida, que não falha, e varia entre um "Atenciosamente" e um "Respeitosamente" e um "Ao dispor".
Digam lá: quem é que se despede de vós assim (não contam os mails de trabalho)?