quinta-feira, 5 de junho de 2014

Ave rara

Segunda vez que a vejo.
Usa roupa justa. A mesma que da primeira vez, por sinal. Top rosa bem justo a esmigalhar o mamaçal e leggings de lycra a esmigalhar o rabão. As mamas são falsas. Trabalhar os peitorais não faz sentido que aquilo não desce nem à lei da bala. Aconselhava trabalhar o glúteo que há ali um claro potencial. 

Saradona.

Loira. Loiraça. Madeixas ainda mai loiras. Penteada de forma naturalmente despenteada. Maquilhada como se fosse para a night. Até batom tem. De cor. Brincos grandes. Gigantes. Até para mim que sou adepta. 

Treina pouco. Passa mais tempo a mirar ou a querer ser mirada. Quando se agacha, decote bem generoso e cu bem espichado.


Podia jurar mas mesmo jurar que já foi um homem.

Já estou naquela fase da minha vida em que...

Para não me esquecer de uma conversa que preciso ter, ponho alarme no telemóvel.
Para me lembrar de marcar aula no ginásio, ponho alarme no telemóvel.
Para saber quando tenho que sair do treino e ir para os balneários para não chegar tarde ao trabalho, ponho alarme no telemóvel.
Para me lembrar de telefonar a este, ao outro e a mais alguém, ponho alarme no telemóvel.

Já estou velha?

Digam lá

O que vamos conversar hoje?