quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Contradição?

Amanhã era feriado no ano passado.

Mais um daqueles devaneios

Eu não gosto de poesia
Mas gosto da maresia da prosa
De imaginar e fantasiar e deixar-me levar
Por um mar revoltoso de palavras
Ondas lexicais pujantes e catastróficas
Obscuras mas subtis e consequentes

Eu não gosto de poesia nem
Do que as rimas me fazem trabalhar
Muito menos de interpretações vagas
Polivalências significativas
Anseios pessoais e meras suposições 
Interpretações e conotações

Eu gosto de prosa
De ler de fio a pavio
Noite e madrugada dentro
Deitar uma narrativa ao meu lado
Quando o meu mundo acorda
E só aí adormecer a pensar

O último da semana

Quando era miudita quis ter um destes em casa. E tive-o....de peluche. Era um fofo!
Acho impossível não se gostar de olhar, admirar, tocar, apertar, abraçar...