quinta-feira, 13 de março de 2014

Morangos que ainda não o são

Hoje andei a plantar morangos. Pus-me de cócoras e valentemente, sem luvas  - mas com chapéu de palha na cabeça, porque a isso o sol obrigou -  lancei as mãos à terra para fazer uns buraquitos e enterrar lá umas ervas que disseram resultar em morangos daqui a uns mesitos. Os catraios riam-se, comentavam, mandavam bocas a mim, a eles....pois a situação não era para menos. As niquentas ficaram por perto, encarregues do relato jornalístico que se impunha e da entrevista feita aos plantadores. Apesar da minha boa vontade e de me ter agachado e até mexido na terra a ponto de ficar com as unhas castanhas, eu não tenho jeitinho nenhum para a coisa. Há provas fotográficas, mas antes de eu as visionar, não prometo partilhar mais nada. A ver se os pássaros lá do burgo são menos abusadores do que certos passarocos do Ribatejo. :P

Post do ano, com sub-título

"Meninas e meninos, a minha bucket list:

- Entrar à socapa num casamento e sussurrar à noiva "os meus pêsames".
- Aparecer a meio de uma missa dominical com um strap-on colocado e aos berros "tirem o diabo de mim, tirem o diabo de mim" até ficar afónico ou aquela gente toda desmaiar de susto.
- Passar um dia inteiro a soprar para uma tuba no interior de um dos elevadores do Castelo com uma criança alugada a pedir dinheiro aos turistas.
- Entrar numa repartição de finanças totalmente equipado com fato de mergulho e, ignorando a fila, exigir o livro de reclamações.
- Aparecer numa recepção de hotel atrelado a 5 gajas e pedir um quarto single.
- Confidenciar aos meus sobrinhos numa noite de Natal que o pai deles foi adoptado e tem uma doença terminal.
- Entrar num velório vestido de palhaço e gritar "onde estão as crianças?".
- Passar uma noite inteira a foder a cabeça a um dj no Lux para tocar uma canção do Trio Odemira.
- Perguntar um calceteiro se não fica pedrado no final do dia.
- Mais tarde, atirar-lhe um calhau à cabeça com o fito generoso de lhe aumentar a moca.
- Durante uma consulta, dirigir-me à médica, constantemente, como "senhora engenheira". 

Morrerei descansadinho..."

Nada disto foi escrito por mim, como é bom de ver, mas pode ser tudo encontrado aqui, autorado pelo autor do costume...

Gosto quando me oferecem livros. Venham mais!

E desta vez foi este. 
 The Razor's Edge by W Somerset Maugham
Quem o leu, disse-me que é possivelmente O Livro da sua vida. Vai ser uma estreia, quanto ao autor. Depois digo coisas.