terça-feira, 6 de fevereiro de 2007

Há gente muito preguiçosa! Depois queixam-se que este país não anda p'rá frente. Pudera...

Bem, a preguiçosa do dia publicou o que a seguir vão ler, se é que já não leram lá. E eu, como me sinto preguiçosa, roubei-lhe o texto, que afinal até era meu, mas ela usou...e bem. E depois veio outro preguiçoso que há uns tempos também se aproveitou de não sei quantos bloggers e ....pimba...fez o mesmo :P E a ti, meu caro FiFi, sei bem onde te levava, mas como sou decente, não incomodarei os meus leitores de hoje com linguagem imprópria!


--
Os 4 avôzinhos


Este hábito vinha-lhes da sua juventude, da vontade que tinham de sentir como era ser mulher, de ser o alvo dos olhares promíscuos e maliciosos dos seres do seu género (masculino). E os 4 "jovens" galhofeiros lá da aldeia nunca deixavam o crédito por mãos alheias. Em anos transactos, e por decisão unânime do Ness Xpress, do Robino, do Legível e do Finúrias, tinham-se disfarçado todos de Super-Heroínas, de Donas de Casa Desesperadas, de Ninfomaníacas, de Freiras, de Loiras Burras e Mamalhudas...tantos foram os disfarces ao longo de todos estes anos e todos eles registados pela objectiva do Tozé. Sempre tão simpáticos e dispostos a partilhar o seu humor sem idade com os demais, este ano, os 4 galhofeiros decidiram montar nas suas Harley, Honda, Yamaha e Kawasaki e mostrar ao mundo os seus dotes de condutores inatos e excelentes compinchas. Assim, temos da esquerda para a direita o Robino, sempre de dedo em riste e permanente mau-humor e impaciência que faz questão de não esconder; ao lado, o seu grande amigo Ness Xpress, o mais atrevido deles todos, sempre disposto a dar uma perninha a quem necessite; de seguida, temos o mais recatado deles todos, o Legível, aparentemente tímido, como mostra o seu ar nesta foto, mas um verdadeiro vulcão quando usa as palavras como arma de tentação; e por fim, o Finúrias, um verdadeiro conhecedor de veículos de duas rodas, um dominador quando se trata de tomar as rédeas da condução!

--


  • Nota da autora: se os envolvidos se sentirem de algum modo ofendidos, temos guerra!