quinta-feira, 19 de abril de 2012

A troca e o empréstimo a meio ano

Hoje manuscrevi uma carta informal a um estranho. Hoje enviei a esse estranho um livro. Espero agora pela volta do correio. O combinado foi que os livros emprestados fossem devolvidos no prazo de meio ano. E é isto mesmo que vai acontecer: 2 estranhos a respeitarem prazos de entrega, envolvidos numa permuta livresca que, espero, seja do agrado de ambos. Porque os livros não servem apenas para apanhar pó.