domingo, 30 de novembro de 2014

A Jennifer e o Bradley fazem um casal giro, sim senhor

Um destes dias fomos ao cinema ver a "Serena". Foi escolha minha, não tanto pelo romance em si, mas porque tinha lido um dia antes que o final seria surpreendente e trágico. E assim foi.
Não é filme que deseje ver novamente, não faz o meu género, pois gosto de comédias e novelas americanas, do género "Castle" e "Investigação Criminal". E este filme, com o seu ritmo lento, passado numa época lenta, numa montanha onde quase nada se passava, num ambiente pesado, sórdido e nublado, só não nos fez adormecer porque sabíamos que tínhamos que estar acordados até às tantas da madrugada.
Serena é uma mulher determinada e muito feminina, totalmente extemporânea, a viver num mundo masculino e inóspito, manipuladora e vingativa, com instintos assassinos e suicídas, incapaz de aceitar a debilidade física impeditiva de ser mãe. A interpretação e a voz dela foram o que mais gostei do filme. De resto, não acho que valha a pena rever.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Mesmo, mesmo, mesmo à portinha...

Sim! Isso mesmo que vocês estão aí a pensar!! E isso também! E ainda mais isso! Foi tudo pensado para não deixar nada nem ninguém de fora. Prontos!

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Prank calls

Recebo duas, no espaço de 2 dias, sempre à hora de almoço, entre as 13:30 e as 14:15, na segunda e ontem. Nota-se perfeitamente o barulho de recreio escolar. Ambas envolvem o nome do meu filho e o de um colega, que supostamente terá dado o meu número de telefone a quem fazia a chamada anonimamente. Colega esse com quem falo pessoalmente ao final do dia, que estava acompanhado pelo pai, e que me disse quem eram os engraçadinhos que andavam a fazer aquilo e que não tinha dado o meu número a ninguém. Acreditei nele. Minutos depois, cruzo-me com o pai de um desses engraçadinhos e este mesmo engraçadinho. Diz que realmente deu o meu número ao outro engraçadinho, mas não sabe para que é que ele o queria usar. Não acredito. O pai confirma que tem conhecimento deste género de partidas e que não só o outro engraçadinho como o próprio filho são capazes de brincadeiras estúpidas do género.
Não sei se houve conversa em casa sobre esta situação, se houve castigo ou se simplesmente este pai encarou a coisa como brincadeira de canalha. De facto, não passou disso. Mas foi brincadeira de canalha que invadiu a minha privacidade e abusou do meu tempo. Não gostei. 
My point is:  tenho a certeza de que, se o meu filho fosse um dos "engraçadinhos" e um pai ou mãe viesse ter comigo a relatar-me algo semelhante, o meu filho não veria o seu brinquedo por muitos e longos meses, até que eu me esquecesse que ele existia.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

O Recluso 44

Eu até acho que esta classificação daria um excelente título para um filme de acção, crime, intriga e drama emocional, com muitas selfies de terceiros à mistura. Digam lá que não é verdade...E para quando as caricaturas à "Metralhas" ou "Daltons"?

(Há coisas tão estúpidas, mas tão estúpidas - isto das selfies à porta duma prisão - que não é para entender mesmo.)

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Sensação de estar perdida

Quase 48 horas afastada do meu portátil, mas com net em todo o lado que me rodeava, que não aproveitei porque não quis, e perdi o fio à meada do que se passa na blogosfera. Tanta coisa para ler e eu com Os Maias aqui ao lado. Indecisões, só indecisões...

domingo, 23 de novembro de 2014

Dia negro em Lisboa, pelo menos quando saí à rua

Hoje andei pelo Campus da Justiça e arredores. Felizmente não dei de caras com o último famoso a ser detido. 
E confirmei o que a Sócia disse antes: Lisboa cheira mal.

Há gente que não é pessoas, segundo ouvi

Ouvido de passagem, duma miúda com telemóvel, acerca do pessoal que rondava e esperava à porta do Meo Arena, ontem ao final da tarde:

"Está muita gente na fila, sabes...tipo pessoas, sabes..."

E eu ri-me mais uma vez em voz alta, sozinha!

Se isto não é sinal de gente tola...

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Olha, mais um daqueles em cadeia

Desta vez foi o parvo do Mano, que não tem mais nada que fazer, que me enviou este impresso de preenchimento vago, rápido e obrigatório, que passo a preencher:

1- COMO TE DEFINES
O meu cartão de cidadã diz que eu tenho 164 centímetros, mas é mentira. Eu sou mais alta.

2 - O QUE TE LEVOU A CRIAR UM BLOG?

Nada. Naquele dia havia net cá em casa e aproveitei.


3 - QUAL A PRIMEIRA IMPRESSÃO DO BLOG QUE TE NOMEOU?

Tenho a certeza que o nomeador não bate bem da bola e não é coisa para melhorar, apesar de estar na capital do reino. Ou é no circo?


4 - QUAL A TUA CIDADE DE SONHO?

É a que está na minha mente, pois é onde estão os meus sonhos e esses não os partilho com vocês. Desculpem.


5 - O QUE FAZES NOS TEMPOS LIVRES?

Viro relógios de areia.


6 - QUAL O PRODUTO DE MAQUILHAGEM, ROUPA OU ACESSÓRIO FAVORITO?

Não uso maquilhagem, a não ser que a remela o seja. Gosto de calções, mas usá-los no Inverno não dá assim muito jeito, pois sou muito friorenta. Daí andar sempre com um cachecol ou algo semelhante.


7 - O QUE AINDA TE FALTA FAZER?
Lavar a loiça do jantar pode ser a resposta?


8 - QUAL TEM SIDO O MAIOR DESAFIO DA TUA VIDA?

Pensar que sou capaz de fazer parapente, depois de me borrar toda (metaforicamente falando) de medo, enquanto fazia slide nas muralhas de Monção.


9 - O QUE É QUE TE INSPIRA?

Oxigénio. Faço minhas a palavras do doido.


10 - QUAL É O TEU MAIOR SONHO?

Disse antes que não os partilhava aqui. Ver resposta 4.

Depois disto, os felizes contemplados (se não enfrentarem o toiro pelos cornos nunca mais leio o vosso blog!) com esta fava são:

Adoro as tuas bolas!

Foi o que o petiz ouviu hoje, quando estava a distribuir M&Ms a colegas de turma e calhou oferecer 1, um, UM a uma das miúdas. 


É, eu com 12 anos, não tinha 1/3 da lábia dos miúdos e miúdas deste século XXI.

Momento fútil d'A Chata no blogue da Pseudo #2

Comprei há pouco tempo um batom vermelho, de vermelho mesmo vermelho, vi-o hoje no estojo de maquilhagem, pensei que não me podia esquecer de o trazer comigo e... Lá está ele em casa.

Será desta?

3 - 11 - 16 - 25 - 45
4 - 8


(Não sou nada fã de mousse de chocolate, oh sócios...)

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

O Anónimo pediu

A importância do caroço da azeitona na produção de arame farpado 

Se tivermos em conta que o arame farpado tem como função ser esticado e colocado num local como meio de protecção desse local, de modo a que os eventuais assaltantes se sintam persuadidos nas suas acções e pensem duas vezes no que pensam fazer, há que cogitar profundamente no material de que o arame farpado é feito. 
Se o arame farpado contiver algodão, obviamente que os assaltantes vão longe na sua demanda. 
Ora, se for feito com caroços de azeitona, já os assaltantes serão capazes de não ser bem sucedidos. Senão, vejamos: os caroços são duros, como já todos tivemos oportunidade de comprovar quando aquele dentinho se partiu antes do almoço de família, logo resistentes às  intempéries do exterior. Unam milhões de caroços de azeitona com super-cola3, ao comprido; façam isso de modo a obterem cabos de caroços de azeitonas suficientemente compridos para proteger o tal local; entrelacem esses cabos de caroços de azeitonas colados com super-cola3 uns nos outros, para lhes dar mais resistência. Quando tiverem metros e metros da coisa, cubram os cabos ao milímetro com pioneses coloridos. Pendurem à volta do local.
Depois venham cá dizer se a produção aumentou ou não, ok?

Pensem bem antes de responder

Quem quer, quem quer
Uma musiquinha de Natal cantada pela je?

Da profundidade das nossas conversas

Bloga
Diga-me...
 
me
tou de boca cheia. Agora não quero dizer-te nada. Passa cá mais logo
Bloga
Só tenho 20 minutos de gasolina...
 
me
e eu tou a comer e não quero lançar-te nenhum perdigoto, tá bem'
 
Bloga
Nem por isso mas como estás armada com talheres afiados...
 
me
faca afiadíssioma!
 
Bloga
Viperina...
 
me
um cadito, sim...mas nada que não se resolva com um penso rápido.
 
Bloga
E bués de betadine, bués...
 
me
isso??? mariquice pegada!! Onde é que já se viu...a Avó Natalina não usava betadine em nada, ora
 
Bloga
Mercúrio-cromo...
 
me
sim, isso ela traficava lá na mercearia, sim...
 
Bloga
Usava aquilo em tudo até na cabidela...
 
me
Acho que ainda usa, segundo me constou pelos últimos relatos familiares
 
Bloga
Mediunica...
 
me
santinho.
 
Bloga
Viva...
me
Ai tu espirras para cima do meu manjar e dizes viva???
 
Bloga
Sou um mãos largas no que diz respeito a certas coisas...
 
me
dispenso os teus germes. Next...
Bloga
Vou almoçar com o meu tio postiço...
Beijo.
 

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Da PDI

Sabes que a dislexia anda a invadir o teu cérebro quando, diariamente, sem exagero, trocas a ordem das palavras ditas e das sílabas escritas no quadro. E ficas parva a olhar para o que escreveste. É mau, muito mau...


O Mano pediu

Pensamentos avulsos sobre a Segunda Lei da Termodinâmica aplicada ao cama assusta... 

  • "avulsos" lembra-me os pacotes e as embalagens de grão-de-bico que a minha mãe me pedia para comprar na mercearia de Sr. Fernando.
  •  Não conhecendo a primeira lei do assunto em epígrafe, assumo que a segunda tenha aparecido para melhorar ligeiramente a primeira.
  • "Termodinâmica" is not my cup of tea. Não sou engenhocas nem nunca pretendi sê-lo. É falar com alguém da área que elucide os interessados sobre a temperatura da coisa e a sua capacidade de movimento, caso não estejas conhecedor do que se faz com aquilo.
  • A mim, nenhuma cama assusta. Bem pelo contrário, acho-as um local bem útil e aprazível.
  • Quanto às reticências finais, não sei que mais escreva...
(Afinal havia outro texto na calha, para hoje. Que não seja impedimento para mais pedidos por parte de vossas excelências, ok?)

Inquérito aos leitores e às leitoras

Que desejam ler aqui? Por hoje é só isto, de minha parte. Da parte da Sócia, não sei.

Princípio do fim

Sei que estou faminta de fim‑de‑semana quando começo a pensar que tenho que fazer a to do list do que não me quero esquecer de fazer ao chegar a casa e o primeiro item da lista é a árvore de Natal.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Das diferenças geracionais

Já se contam pelos dedos de uma mão os dias que faltam para o próximo sábado. Mas quem conta não sou eu. Eu só contei os muitos euros que estas 27 horas vão custar ao núcleo familiar. Vez única na vida do rapaz e se quiser mais, que gaste o dele quando começar a ganhá-lo. E que agradeça pelos pais que tem que eu nunca fui a lado nenhum e ele já viajou mais com 12 anos do que eu com mais 30 no pêlo!

(Espero mesmo que leias isto, um dia, quando já fores adulto responsável, ouviste, petiz careca com a maça de Adão a querer mostrar-se?)

Há segundas e segundas

E ainda segundas, em que devia ser proibido que certas e determinadas pessoas falassem comigo sob pena de eu, exaurida da cabeça que já estou, lhes fazer o meu suspiro número 1, a minha cara número 2 e dizer calmamente Por favor, cala-te, hoje não estou para ninguém.

sábado, 15 de novembro de 2014

Ganhámos o Euromilhões!!!!

Nem consigo pensar o que é que 4 apostadores poderão fazer com tal quantia: €7,91. É um excelente ponto de partida para o nosso novo estatuto que se avizinha a passos largos. Ó se é!

(Sócia, posto isto, continuas tu a brincar com as bolas, tá bem?)

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Miminho musical para o fim-de-semana, dos "Armas & Rosas" (isto soa mesmo mal...)

Achei o título apropriado ao dia de hoje:



Como diz alguém, façam acompanhar-se de chouriço à lareira, tá bem? :)

15 milhões mai ricos!

4 - 12 - 17 - 25 - 33
5 - 8

Para casas, viagens, compras, casamentos, depilações...


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

É um suponhamos

Imaginem-se com o Milhões na mão. 

Tirando aquela coisa do ajudar a família e/ou amigos, maldizer o Passos por ainda vos tirar uns milhões, atirar meia dúzia de notas para a secretaria do patrão e anunciar que se vão embora na hora, quais as primeiras coisas que faziam?

Do eclectismo do Mano

Requisitos parcos para reconhecimento aprofundado de parsas (quem não perceber o que isto é, que leia o anterior...e se mesmo assim não perceber, que desista, como o outro!):
1º - Rosto (recomendo burca para os restantes rostos)
2º - Sentido de humor (Bastará o do João Baião, como som de fundo? - pergunto eu)
3º - Flexibilidade física (Onde é que se encaixam as anãs? Será isto discriminação? - pergunto eu)
4º - Detestar o Lobo Antunes (Mas pode gostar do Pedro Chagas Freitas, certo?)
5º - Ser ateísta (Mas, mas, mas...nem budistas? acho mal!)
6º - Expelir gases naturais e dizer, com voz fininha e bochechas coradas: "Ai, perdão..." (Mais um requisito discriminatório: a moça pode ser muda; ou não?)

Este meu Mano ainda tem muito que aprender para se auto-proclamar de ecléctico. Ai tem, tem!


quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Pseudo na Turquia

Interrogo-me o que terei por lá: um pato ou um urso?

Nestas alturas, tenho pena de não saber boxe

A minha hora de almoço começa a ser intolerável...

- Gaja minha vai dar leite, para lhe chupar as gorduras, que não quero gordas ao meu lado.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Jingle bells, jingle bells, jingle all the way

Fui avisada, antes das 17 horas, por uma catraia que cantarolava baixinho em plena aula, que o espírito natalício tinha chegado. E eu que não dei por nada...

sábado, 8 de novembro de 2014

Preparo-me afincadamente, com ânimo alegre e muito entusiasmo

...para um fim-de-semana de sorna, com mantas fofinhas, a ver séries e filmes giros. Depois das 15 horas, ninguém me apanha na rua! Se o homem grande e o homem mais pequeno quiserem ir ver se chove lá fora, força, não serei eu a impedi-los!

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Como se amansa a fera antes do meio dia, pois sabe que só estará com a fera depois das 17 horas

SMS recebido a meio da manhã, do caro petiz:
"Vais dar-me uma coça: tive 80% a Geografia e esqueci-me que iamos ter teste de TIC. Mas eu já estudei de manhã, não te preocupes..."

SMS recebido à hora de almoço, do caro petiz:
"Correu bem..."

Agora pergunto eu: ele merecia a coça, não merecia?

Três homens juntos

- A não sei quantas é que está mais magra.
- Quem?
- A não sei quantas.
- Está quase a ficar bouua.
- Quase.
- Só lhe faltava depois o lifting naquela cara.


Tenho a esperança que lhes faltem centímetros. É que quanto a isso, nada a fazer.

Espera sentado, tá bem, Luís?

Acabei de receber um telefonema do Luís Franco Bastos, a imitar o CR7,  a suplicar-me que aderisse, até 30 de Novembro, à Sport TV. Patrocínio da MEO. Vou pensar no vosso caso, queridos. (NOT!)

(Substituam-me a Sporting TV, que não pedi mas vem no pacote, pela Benfica TV e talvez tenham mais sorte...)

Pára tudo

O mundo pode estar a cair, pessoas a montes, telefone a tocar mas se estão a passar "Tudo o que eu te dou" na rádio, eu estou a cantá-la.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

A nossa chave do Euromilhões

  • 3 - 5 - 11 - 38 - 39 - 44
  • 3 - 6
Se nos saísse o Euromilhões, compraria, finalmente, os candeeiros para esta casa...

Ridículo da situação ou de como um batôn é parecido com um tubo de cola

Precisei de cola para colar um papel no local devido. Tiro uma embalagem da carteira (mala, saco ...chamem-lhe o que quiserem...). Saio da sala onde estou e dirijo-me à outra, onde está "o local devido". Abro o dossier, poiso o papel e abro a embalagem, que posiciono de modo a cumprir a sua função de colar papel. Era o batôm hidratante. Mais uma gargalhada em voz alta, a rir-me de mim própria. Já faltou mais, já...

Momento fútil d'A Chata no blogue da Pseudo #1

Cortei o cabelo há pouco tempo. É um facto, fica-me melhor o cabelo mais curto, ponta para aqui, ponta para ali.

Não fora isso, dada a minha cara de bolacha, deixava crescer as melenas loiras só para poder ostentar uma daquelas tranças puxadas ao lado...

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Massa encefálica




(A imagem será posteriormente usada com outro objectivo que não o de provar que a minha massa encefálica e a massa encefálica da Sócia são iguais. )

O estado deste país

Primeiro telefonema, 9h11, pedido de Xanax.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Bota admiração nisso

Reconheço muita coragem e admiro bastante aqueles jovens que andam aí a desfilar de calçonetes, de chinela de enfiar nos dedos e de kispo de penas com um tempinho destes.

Deixo-vos com uma verdade à la Palisse

A imortalidade dos mortos só perdura porque os vivos insistem em prolongá-la.

Agora vou ter com o polícia, que me aguarda algures.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Atrasada como costumo andar

...nestas modas e lides da blogosfera, só recentemente descobri que já é possível levar-se a cabo cursos de formação para se criar e manter um blog. E cursos pagos! Com formador profissional, cronograma, localização real e tudo, tudo, tudo!

Não sei quem ache mais disparatado: se quem forma, se quem se deixa formar.
Atão não basta iniciar um, numa das centenas de plataformas disponíveis para o efeito, e deixar as teclas fluirem? E eu a pensar que era tão simples...

(A não ser que me esteja a escapar algo, o que é perfeitamente possível!)

domingo, 2 de novembro de 2014

Do fim-de-semana dos mortos

De morto e chato nada teve.
O meu dilema sobre o calçado resolveu-se a contento de ambas as partes: ontem andei de sandálias azuis, hoje andei de botas pretas. E tive calor  nos pés.
Em termos gastronómicos, foi bastante rico em variedade e calorias. Venham escadas para ajudar a abater as malvadas. Então o jantar de sexta rebentou com tudo: aquelas favas e a chanfana estavam divinais. 
A ida ao Ikea ficou em águas de bacalhau, para mim: eu não fui, algo de que não me arrependi,  especialmente após o MQT me ter dito que ainda bem que não tinha ido, pois teria bufado durante todos os segundos que lá tivesse estado. Não é bonito de se ver, não.
A leitura d'Os Maias continua de vento em popa e eu a apreciar aquele ambiente de fim-de-século, sempre e ainda tão actual, a nível social, familiar e religioso. O dia de hoje, com a visita ao cemitério e as esperadas caras que só se vêem anualmente, e com quem converso circunstancialmente, é prova de que a obra queirosiana podia perfeitamente passar-se hoje em dia. 
Confirmou-se que teremos um casamento na família, em Abril, para o qual terei que me preparar devidamente e com antecedência. A coisa promete.
A temporada 7 do Castle está a entusiasmar-me a querer saber mais. Aquilo devia passar diariamente, não semanalmente. 

Podia fazer uma análise sociológica da terra de origem, mas pouca coisa mudou - pareceu-me - no que diz respeito a hierarquias e relacionamentos de aldeia. Mudou o padre, que agora anda na faixa etária dos 20 e muitos, mas a conversa não.