domingo, 6 de dezembro de 2015

Dúvidas, só dúvidas

Este ano um dos cunhados demonstrou desejos de ter ido à Comic Con. Eu também gostaria de lá ter ido. A cunhada respectiva gostaria de ir dar uma passeata ao Gerês. O MQT também gostaria de lá voltar brevemente (como se não conhecesse a zona com as pontas dos pés). Está visto o que é que pode acontecer no próximo ano, n'é?
A dúvida vai ser: com quem vai o rebento que está para nascer? com o pai ou com a mãe? agasalhado ou disfarçado?

A doença do beijinho

...foi apanhada pela filha dum primo distante da minha avó, que lhe telefonou  - o primo à minha avó - e, entre outras coisas, relatou-lhe que a filha "doente" só se curou da doença do beijinho à base de chás e comprimidos. Diz-me ela: "Já viste a porcaria que é beijar alguém na boca? Fazer como fazem os da televisão, na casa do putedo, que até a língua enfiam na boca do outro? Uma pouca vergonha! Não sabem que podem apanhar doenças?"
Como é costume, eu coloco-lhe perguntas que a incomodam. Pergunto-lhe se ela nunca tinha beijado o meu avô, de quem engravidou 4 vezes e teve 3 filhos. Ao que me responde: "Eu dei beijos ao teu avô, mas nunca o beijei na boca." Pergunto-lhe se ela acha que eu e os filhos dela não beijam os seus parceiros na boca e até misturam língua com língua. Ao que me responde: "ò filha (de vez em quando esquece-se que eu sou a neta e não a filha), tu já viste se ele te passa alguma doença através da boca?".
Depois de esgrimirmos os nossos argumentos, remata ela: "Pronto, eu vendo-te o peixe como mo venderam, o primo disse-me que tinha sido o médico a chamar-lhe assim, é porque existe."
Tá visto que a mononucleose é de evitar! Nem pensar em beijar, quanto mais beijar mesmo!