quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Não saberia o que cruzar

Vivesse eu na Escócia e teria passado o dia sufocada, em pulgas, sem ponta de sono, sem saber para onde pender os pratos da minha balança. 
Se em relação à Irlanda do Norte não tenho muitas dúvidas e sem qualquer dúvida ou problemas de consciência eu votaria num "Sim", pois só esse faz sentido para mim, já no caso da Escócia os argumentos de ambos os lados parecem-se ser igualmente convincentes. O medo perante o desconhecido que me caracteriza levar-me-ia a votar no "Não". A curiosidade e o desejo de ter nas próprias mãos o destino, com todas as responsabilidades que tal acarreta, levar-me-ia a votar no "Sim". 
Não deve ser fácil ser Escocês hoje.

Exercitar, ai é tão bom!*

O meu pequeno almoço consistiu em leite com cereais de chiclate 
com recheio de chiclate.
O meu almoço teve batatas fritas bastantes.
Logo devo ir ao ginásio, apesar de me doer o rabo que ai de quem me venha dar palmadas... 
Nas pranchas do demo, ainda devo gomitar pedaços...


* Rua Sésamo, ok?

Os números que tardam a sair

  • 3 - 10 - 11 - 33 - 48
  • 4 - 5

(Sem mais palavras.)

Homens

A moça era esbelta. Usava calças cor de tinto, uma blusa branca rendada de alças bastante transparente e um soutien a condizer com as calças. O meu primeiro pensamento foi Um tudo nada demasiado.


Depois passaram-lhe ao lado dois trajados imberbes, provavelmente segundanistas mas a darem-se a ares de veteranos importantes.  Um deles já escorria baba pelos cantos e não foi atropelado por um milagre divino. Aí pensei, Realmente demasiado.

Ensina-se isto nas aulas ou já nasceu com eles?