sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Problem solved

Thanks, you know who :)

Ponto da situação da merda

Por razões que não descortino, hoje não consigo escrever novas publicações nem editar as existentes. A página onde se escreve apresenta um aviso de "loading..." e não passa disto. Consigo, contudo, comentar, autorizar comentários, brincar com o layout e o template (daí a merda que vêm neste preciso momento) e publicar via-email, que faço neste preciso momento. Mas não gosto e quero o meu brinquedo como antes.
Isto já aconteceu com outras pessoas antes? E como se resolve? É uma questão de tempo até que os senhores donos da plataforma decidam que o meu castigo acabou?

Fosca-se, logo hoje que estou "assustadoramente simpática", como já referiu o meu assistente técnico destas andanças!

Só faço merda

Com tempo arranjo;ou alguém o fará por mim :)

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

"Spank my ass, please"

Frase proferida por um catraio de quase 11 anos, que me fez pensar se ele anda a frequentar algum chat sado-maso.
(Obviamente que não contarei como é que ele sabe estas coisas nem donde surgiu a sua - a dele - associação de ideias.)

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Só para desanuviar - velha mas engraçada

 (Confesso que me ri a imaginar o pobre coitado; e agora pergunto aos leitores: os vossos tintins não se encarquilharam enquanto liam?)


Estava eu a ver TV numa tarde de domingo, naquele horário em que não se pode inventar nada para fazer, pois no outro dia é segunda-feira,
quando a minha esposa se deitou ao meu lado e começou a brincar com minhas 'partes'.

Após alguns minutos ela teve a seguinte ideia:

- Por que é que não me deixas depilar os teus 'ovinhos', pois assim eu poderia fazer 'outras coisas' com eles.

Aquela frase foi igual a um sino na minha cabeça. Por alguns segundos imaginei o que seriam 'outras coisas'. Respondi que não, que doeria
coisa e tal, mas ela veio com argumentos sobre as novas técnicas de depilação e eu a imaginar as 'outras coisas', não tive argumentos para
negar e concordei.

Ela pediu-me que me pusesse nu enquanto ia buscar os equipamentos necessários para tal feito. Fiquei a ver TV, porém a minha imaginação
vagueava pelas novas sensações que sentiria e só despertei quando ouvi o beep do microondas.

Ela voltou ao quarto com um pote de cera, uma espátula e alguns pedaços de plástico. Achei estranhos aqueles equipamentos, mas ela
estava com um ar de 'dona da situação' que deixaria qualquer médico urologista sentir-se um principiante.

Fiquei tranquilo e autorizei o restante processo. Pediu-me para que eu ficasse numa posição de quase-frango-assado e libertasse o aceso à
zona do tomatal.

Pegou nos meus ovinhos como quem pega em duas bolinhas de porcelana e começou a espalhar a cera morna. Achei aquela sensação maravilhosa! O Sr. 'tolas' já estava todo 'pimpão' como quem diz: 'Sou o próximo da fila!'

Pelo início, imaginei quais seriam as 'outras coisas' que aí viriam.
Após estarem completamente besuntados de cera, ela embrulhou-os no plástico com tanto cuidado que eu achei que ia levá-los de viagem.
Tentei imaginar onde é que ela teria aprendido essa técnica de prazer:
Na Tailândia, na China ou pela Internet?

Porém, alguns segundos depois ela esticou o 'saquinho' para um lado e deu um puxão repentino. Todas as novas sensações foram trocadas por um sonoro ' A PUUUUTA QUEEEE TE PARIUUUUUUU', quase gritado letra por letra.

Olhei para o plástico para ver se a pele do meu tin-tin não tinha vindo agarrada. Ela disse-me que ainda restavam alguns pelinhos, e que
precisava repetir o processo. Respondi prontamente: Se depender de mim eles vão ficar aí para a eternidade!

Segurei o Sr. Esquerdo e o Sr. Direito nas minhas respectivas mãos, como quem segura os últimos ovos da mais bela ave amazónica em
extinção, e fui para a banheira. Sentia o coração bater nas 'pendurezas'.

Abri o chuveiro e foi a primeira vez na minha vida que molhei a salada antes de molhar a cabeça. Passei alguns minutos deixando a água gelada escorrer pelo meu corpo. Saí do banho, mas nestes momentos de dor qualquer homem se torna num bebezinho: faz merda atrás de merda.
Peguei no meu gel pós barba com camomila 'que acalma a pele', besuntei as mãos e passei nos 'tomates'.

Foi como se tivesse passado molho de piri-piri. Sentei-me no bidé na posição de 'lavagem checa' e deixei a água acalmar os ditos. Peguei na toalha de rosto e abanei os 'ditos' como quem abana um pugilista após o 10° round.

Olhei para meu 'júnior', coitado, tão alegrezinho uns minutos atrás, e agora estava tão pequeno que mais parecia o irmão gémeo de meu umbigo.

Nesse momento a minha esposa bate à porta da casa de banho e perguntou-me se eu estava bem. Aquela voz antes tão aveludada e
sedutora ficou igual a uma gralha. Saí da casa de banho e voltei para o quarto. Ela argumentava que os pentelhos tinham saído pelas raízes,
que demorariam a voltar a crescer. Pela espessura da pele do meu tin-tin, aqui não vai nascer nem sequer uma penugem, disse-lhe.

Ela pediu-me para ver como estavam. Eu disse-lhe para olhar mas com meio metro de intervalo e sem tocar em nada, acrescentando que se lhe der para rir ainda vai levar PORRADA!!

Vesti a t-shirt e fui dormir, sem cuecas. Naquele momento sexo para mim nem para perpetuar a espécie humana.

No outro dia de manhã, arranjei-me para ir trabalhar. Os 'ovos' estavam mais calmos, porém mais vermelhos que tomates maduros. Foi
estranho sentir o vento bater em lugares nunca d'antes soprados.

Tentei vestir as boxers, mas nada feito. Procurei algumas mais macias e nada. Vesti as calças mais largas que tenho e fui trabalhar sem nada
por baixo.

Entrei na minha secção com uma andar igual ao de um cowboy cagado.
Disse bom dia a todos, mas sem os olhar nos olhos, e passei o dia inteiro trabalhando de pé, com receio de encostar os tomates maduros
em qualquer superfície.

Resultado, certas coisas só devem ser feitas pelas mulheres. Não adianta nada tentar misturar os universos masculino e feminino.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Constatação profissional

Nunca fui tanto uma rata de biblioteca como neste ano lectivo! Até AC/DC se ouve por aqui, hoje!

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Paz, finalmente - afirmação para mais tarde recordar

Riquinho: "Já tenho tudo o que quero e preciso"

Professional slackers

Online stalkers
Fun and happiness chasers
Bloggers, facebook users and onliners
That's what we all are
HTM and CSS players
That dwell on 0s and 1s
Looking for the perfect design
Wannabe digital artists and makers 
Surrounded by colours, sounds and effects
Which leads us to a virtual world
From which we are no longer
Able to escape...nor do we want to
Word senders and readers
Eager for attention and emotions
Strangers in a strange new world
A world that is going faster than
Our minds can perceive
Train catchers who sometimes miss it
...
Entertainers and entertainees

domingo, 18 de novembro de 2012

Mais um filmito

E lá fomos ver o último James Bond, sem muitas expectativas. Vai daí, o filme excedeu e muito as mesmas. O filme é, quanto a mim, soberbo: acção de início ao fim, com uma mistura equilibrada de efeitos especiais e combates entre bons e maus à moda antiga, um excelente jogo de luzes especialmente em dois momentos, um em Xangai, o outro na Escócia. Aliás, a cena na casa, armadilhada com dinamite, candeeiros e bombinhas artesanais, é das melhores do filme todo. Lamentei os 4 carochas estraçalhados por uma máquina giratória, pois sempre quis ter um para mim e qualquer um daqueles me servia, não tivessem sido esmagados pela coisa. O gajo mau é mesmo muito mau...e feio...e acredito que o hálito dele feda...e diabolicamente genial e bom a sê-lo. Mas sinceramente não sei o que a Penélope Cruz vê nele. Gostei do Q. puto, com aqueles oculinhos de intelectual que realçavam o seu ar de parvo coitadinho que afinal não o era, mas que afinal até o foi momentaneamente. Já as Bond Girls ficaram algo aquém do habitual, à excepção da cena no casino chinês, onde a miúda desce as escadas langosamente. O Daniel, ai que desgraça...nem as cicatrizes lhe tiraram o ar sexy. Acho que destrona totalmente o Sean Connery do papel, pois assenta-lhe que nem uma luva, a condizer com aqueles olhos azuis frios. Não contava com a morte da "Não digo o nome para não estragar mais" e gostei do ar de avôzinho respeitável e responsável do couteiro escocês, acagaçado de medo mas que nem por isso baixou os braços. Foram 2 horas e tal que voaram e que voltava a ver hoje e amanhã e além. E que ninguém me diga mal do filme!
Ahhh..e aquela entrada de helicóptero platooniana? Não lembra ao diabo!

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

O bom mau da fita

Bom filme para recordar as horas passadas em frente das máquinas de jogos no salão de jogos lá da vila-cidade-vila antes dos meus 20 anos. Eu era mais Tetris, mas uns flippers jogavam-se sempre. Já enfiar bolas coloridas nos buracos era o meu calcanhar de aquiles. Mas sempre serviram para alguma coisa.
Já o puto delirou com este filme, ao contrário das minhas expectativas. Passou o jantar todo com pauzinhos na mão a falar entusiasmadamente acerca do Ralph e da Vaneloppe.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Comentário à adolescente

Tivesse eu menos de 20 anos e colava um poster do Pablo Alboran no tecto do meu quarto cor-de-rosa.
Este é dos tais que vai envelhecer como o vinho do porto.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Ahhh, que alívio!

Esta fase acabou. Agora vou ali e já venho, que continuo a ter mais que fazer.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Pseudo, por onde é que tens andado?

E responde a Pseudo: "No sábado à tarde estive em Viana do Castelo, em Moledo e em Vila Praia de Âncora e consegui ver o Monte do Calvário e os moinhos de qualquer coisa, apesar de o sol se estar a esconder rapidamente para lá da linha do horizonte. É uma zona bonita, sim senhora!"

domingo, 11 de novembro de 2012

Ehhhh lá!

O Sporting ganhou!

(também, ganharia sempre, a não ser que empatassem)

E basicamente foi isto que retive

O falecido Steve Jobs era um génio visionário porco, socialmente execrável e com uma grande falta de sentido de responsabilidades familiares.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Alienação mental

É o que sinto por não ver noticiários, não ouvir notícias e seleccionar, dos títulos online, o que me interessa ler. É verdade que me sinto alheada das tricas politicas e dos roubos anunciados, divulgados pela comunicação social. Mas o meu dia-a-dia já me dá tanto que fazer e que pensar que o meu cérebro, órgão comandante de todas as minhas acções, se recusa a ver e ouvir mais desgraças, sejam as do correio da manhã, sejam as relacionadas com o vitinho. E agora vou dormir. A sério. São 22:00 horas.

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Primeira de seis

Só durou cerca de 2 horas e meia. Se forem todas assim, estou bem f*d**a durante os próximos 6 dias úteis!

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Outro ódio

Condutores que ocupam dois lugares quando podiam perfeitamente ocupar apenas um, de modo a que outro condutor pudesse estacionar atrás ou à frente. Dá-me vontade de lhes atirar com um calhau do meu 9ºandar!
É isso e a dor de cabeça horrorosa que me assola neste momento.

Ódio mesmo!

Já disse aqui que detestava o tipo de letra Times New Roman? E que adooooroooooo o Comic Sans MS ou o Calibri? Já no blog uso sempre Verdana.

domingo, 4 de novembro de 2012

Olha, vou ler as 50 sombras de gray










































































HAHAHAH!! Enganei-vos! Vou masé prá cama!

Mixed feelings ou de como mãe e filho são portugueses típicos

Já o pai e mais-que-tudo vai escapando a este comportamento, mais em termos profissionais, do que pessoais.
Quando eu sei que tenho imenso tempo para, por exemplo, redigir com calma fichas de trabalho, de avaliação e o camandro, que só darei dali a uma semana e mais, é certo e sabido que não farei tal ao longo dessa semana, mas apenas um ou dois dias antes. Hoje, hei-de parir o teste que darei na próxima terça, apesar de ter tido um fim-de-semana e um feriado antes. 
O meu filho teve, na semana passada,  aquilo a que os americanos chamam de "autumn break": uma semana inteirinha sem aulas, passada em casa da avó paterna e onde pernoitou cerca de 8 dias consecutivos. Tendo levado trabalhos de casa, esqueceu-se, como é habitual daquela cabecinha de vento, de levar todo o material necessário para realizar as ditas tarefas. Lembrou-se, a meio da semana, que eu lhe poderia levar "A Fada Oriana" quando fosse passar o fim-de-semana à terrinha; esqueceu-se que precisava do caderno diário da disciplina, onde habitualmente faz os TPCs e lembrou-se dele hoje.
Conclusão: hoje, véspera de regressar à escola, passou parte do dia a fazer a última alínea do exercício do guião de leitura. É uma alínea que o "obrigou" a reler a dita cuja obra e a seleccionar as expressões pedidas. Não sendo difícil, é uma tarefa morosa.
A ver se ele aprende...

Ahhhh...e perguntarão vocês: "Mas porquê os mixed feelings?"
E respondo eu: Porque me revejo totalmente nele, nesta característica em particular que tento contrariar diariamente, quando eu própria não o faço em relação a mim. 
Karma is a bitch...

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Quinquilharia masculina

Foi o termo que acabei de usar para comentar noutro blogue. É um nome fofo para os genitais deles, não acham?

50 000 visualizações

É hoje, é hoje, é hoje!
Se o pessoal não for todo para o cemitério e caso a média diária se mantenha, claro. Obviamente que eu podia fazer batota e auto-clickar-me de todos os PCs (três) que existem aqui de momento, mas apetece-me mais ir ali ao shopping.