quinta-feira, 28 de maio de 2015

No outro dia foi ela, hoje sou eu

Isto de se ser de lágrima fácil, de ter a lágrima no rés-do-chão, de chorar por tudo e por nada, por dá cá aquela palha, não é fácil. Antes das 8:20 já estava a ter um tête-à-tête com colega de profissão e as lágrimas a estragarem-me a maquilhagem. (Mentira, não estragaram absolutamente nada!). Acabámos abraçadas e a rir. Palermas! Mas tinha que sair, pois já estava emperrada aqui na garganta há uns tempos.

Passadas 2 horas, bastou alguém mencionar o tema "a minha mãe"...e pronto, lá estava eu novamente a molhar a mesa e a dar lucro à empresa dos lenços de papel.

Isto das hormonas tem muito que se lhe diga, tem...