sábado, 29 de março de 2014

Já não se lê em papel

Dizia-me um familiar meu, de 62 anos, hoje ao almoço, que actualmente lê mais em ecrãs do que nos livros que decoram as suas antigas estantes. Afirmação com a qual discordei absolutamente, argumentando com um de vários argumentos: o FOMO
Ou sou muito ingénua ou optimista ou de vistas curtas, porque efectivamente não consigo conceber a minha vida e das pessoas em geral sem papéis interessantes e apelativos para ler. Nem que seja o CM, que nem se inclui nestas categorias. Aliás, sou bastante avessa à leitura digital de obras integrais. Sou visualmente incapaz de realizar tal acto e nunca li nenhum livro digital. Se calhar, quando chegar aos 62, já conseguirei tal proeza.

quinta-feira, 27 de março de 2014

A minha chave do Euromilhões - rubrica semanal

  • 1 - 18 - 21 - 28 - 43
  • 2 - 5
Assim, a seco!

Vaidade ou conforto?

Por qual optam num dia de Março bastante frio? Ontem, ouvi alguém a dizer que mesmo rapando frio prefere ser vaidosa (que o é e que lhe fica muito bem, é um facto), do que vestir a primeira coisa que vem à mão. E eu a pensar com os meus botões: "É, eu também sou exactamente assim..."

segunda-feira, 24 de março de 2014

Não me parece lá muito boa ideia

TPCs ao som de Muse e Linkin Park. Não lhes negando crédito e excelência, para quem gosta do género, acho-os demasiado barulhentos para serem compatíveis com a tarefa em mãos. Contudo, parece que estou a ter um dejá-vu.

Desvantagens de se ter um terraço

Chegar a casa e deparar-se com a pocilga que o cão fez enquanto brincou com vasos de plantas, entretanto esvaziados do seu conteúdo, para gáudio do animal.  Lindo de se observar!

domingo, 23 de março de 2014

Post com bolinha vermelha - ATENÇÃO AO ABRIR!



                          .
(afinal saiu quadrada)

sexta-feira, 21 de março de 2014

Serei só eu a achar esta letra algo ofensiva?

Por outro lado, acho a música divertidíssima e farto-me de a cantar no carro:

Acabei de receber uma excelente notícia!

Este ano vai nascer mais um bébé em Portugal! Digam que lá que o futuro não é risonho!

quinta-feira, 20 de março de 2014

Isto de se ter um filho pré-adolescente tem muito que se lhe diga

Há momentos que devem ser ignorados.
Há momentos que não devem ser comentados.
Há momentos que exigem reacção na hora: virar costas e continuar de boca calada. E mais não digo.

A minha chave do Euromilhões - rubrica semanal

  • 10 - 18 - 20 - 33 - 46
  • 2 - 5

O último euromilionário já se passou, bateu com a língua nos dentes perante os media e agora vai ser um ver se te avias de amigos e amigalhaços. Será que o mesmo aconteceria com qualquer um de nós, sócios?

quarta-feira, 19 de março de 2014

O que se passa numa das minhas caixas de correio

Descontextualizado, sem tirar nem pôr uma virgula e sem autorização prévia do remetente:

"Não são os porcos, é a merdinha deles. 'Tás a ver aqueles vídeos em que os jovens põem um isqueiro aceso junto ao olho do cu e depois se vê uma chama maior? É gás metano, que também está naquilo que os porcos cagam e depois vai para uns depósitos e é tratado para servir de combustível. E resulta, acredita :) Estamos a falar de pocilgas com milhares de animais."

Uma verdadeira pérola. 

terça-feira, 18 de março de 2014

Mais parvoíces


"- Aparecer no casamento de um casal amigo vestido de campino e passar o tempo a gritar para a noiva "anda cá, minha toura".

- Entrar numa esquadra da PSP e perguntar "o meu primo Nuno já teve alta? É que temos muita ganza para distribuir hoje, senhor guarda".

- Numa igreja, já dentro do armário das confissões ou lá como se chama aquele móvel, colocar uma máscara antigás e largar 3 bombinhas de mau cheiro e ao mesmo tempo dizer ao padre "sou o Demo e gostaria de confessar alguns pecados avulsos, está com tempo?".

- Encher um carro de compras até não caber uma única chicla e depois dos bips todos insistir em pagar com o cartão de leitor da Bertrand."



segunda-feira, 17 de março de 2014

Os meus miúdos esquecem-se dos agradecimentos


E não há meio de eles meteram na cabeça o conceito de plágio. E o pior é quando plagiam inverdades.
Ahhhh...esta palavra não existe?  Veremos!

sábado, 15 de março de 2014

Os meus desejos tornam-se realidade

Lembram-se deste título, há 2 posts atrás?

Pois nesse mesmo dia fui informada de que iria receber novo livro. Acho que vou continuar a dizer "Venham mais!" durante algum tempo.

E desta vez a oferta foi esta, de alguém quase totalmente desconhecido, que só por acaso andava nas redondezas nesse dia:
O que me deixa num dilema: devo acabar de ler o que já comecei há uns meses? Ou devo começar a ler um destes dois últimos? E qual? 
Qual o critério que escolheriam vossas excelências?

quinta-feira, 13 de março de 2014

Morangos que ainda não o são

Hoje andei a plantar morangos. Pus-me de cócoras e valentemente, sem luvas  - mas com chapéu de palha na cabeça, porque a isso o sol obrigou -  lancei as mãos à terra para fazer uns buraquitos e enterrar lá umas ervas que disseram resultar em morangos daqui a uns mesitos. Os catraios riam-se, comentavam, mandavam bocas a mim, a eles....pois a situação não era para menos. As niquentas ficaram por perto, encarregues do relato jornalístico que se impunha e da entrevista feita aos plantadores. Apesar da minha boa vontade e de me ter agachado e até mexido na terra a ponto de ficar com as unhas castanhas, eu não tenho jeitinho nenhum para a coisa. Há provas fotográficas, mas antes de eu as visionar, não prometo partilhar mais nada. A ver se os pássaros lá do burgo são menos abusadores do que certos passarocos do Ribatejo. :P

Post do ano, com sub-título

"Meninas e meninos, a minha bucket list:

- Entrar à socapa num casamento e sussurrar à noiva "os meus pêsames".
- Aparecer a meio de uma missa dominical com um strap-on colocado e aos berros "tirem o diabo de mim, tirem o diabo de mim" até ficar afónico ou aquela gente toda desmaiar de susto.
- Passar um dia inteiro a soprar para uma tuba no interior de um dos elevadores do Castelo com uma criança alugada a pedir dinheiro aos turistas.
- Entrar numa repartição de finanças totalmente equipado com fato de mergulho e, ignorando a fila, exigir o livro de reclamações.
- Aparecer numa recepção de hotel atrelado a 5 gajas e pedir um quarto single.
- Confidenciar aos meus sobrinhos numa noite de Natal que o pai deles foi adoptado e tem uma doença terminal.
- Entrar num velório vestido de palhaço e gritar "onde estão as crianças?".
- Passar uma noite inteira a foder a cabeça a um dj no Lux para tocar uma canção do Trio Odemira.
- Perguntar um calceteiro se não fica pedrado no final do dia.
- Mais tarde, atirar-lhe um calhau à cabeça com o fito generoso de lhe aumentar a moca.
- Durante uma consulta, dirigir-me à médica, constantemente, como "senhora engenheira". 

Morrerei descansadinho..."

Nada disto foi escrito por mim, como é bom de ver, mas pode ser tudo encontrado aqui, autorado pelo autor do costume...

Gosto quando me oferecem livros. Venham mais!

E desta vez foi este. 
 The Razor's Edge by W Somerset Maugham
Quem o leu, disse-me que é possivelmente O Livro da sua vida. Vai ser uma estreia, quanto ao autor. Depois digo coisas.

terça-feira, 11 de março de 2014

Irritações - XXXI

Querer jogar e não me deixarem jogar isto:

A minha chave do Euromilhões - rubrica semanal

  • 8 - 18 - 22 - 30 - 43
  • 2 - 5
€129 000 000 000  é dinheiro suficiente, mais do que suficiente, para deixar três pessoas desconhecidas entre si bastante felizes. Ou será que iríamos começar à batatada? Que dizem, sócios?

Conhecem aquela do iogurte?


domingo, 9 de março de 2014

Tal como sabem, e se não sabem, passam a saber...

...eu detesto cozinhar. Mas detesto mesmo. Se puder, delego a tarefa no MQT, que o faz muito melhor do que eu. Quase tudo, mesmo. Só o meu puré é que bate o de qualquer pessoa. Mas não é porque fica delicioso e aveludado que gosto de o preparar. Adiante...

Um destes dias, eu, EU, E-U, cozinhei receita nova: salmão assado no forno. E ficou 5*. Até eu fiquei admirada por ter acertado à primeira e todos terem gostado sem reclamarem!

Dos arrumadores de carros e parquímetros

Alguém me diga qual é a lógica de haver 2 arrumadores de carros em zona repleta de parquímetros, a cerca de 100 metros duma esquadra de polícia e um tribunal? A quem / quê é que uma condutora deixa o dinheiro? Óbvio, não é? Mas há gente que nem pensar sabe!

sexta-feira, 7 de março de 2014

Já o riquinho deu a cara e o seu humor negro, na caixa de comentários, mas eu destaco aqui

O sol desceu suavemente sobre a planície na sua perene viagem celestial, qual marioneta nas mãos de um experiente bonecreiro, terminando assim mais um solarengo e prazenteiro dia em Lumbala Ngimbu. Abre-se então uma porta num lúgubre casebre e um puto sai disparado a correr atrás de uma galinha. Aflita, a irmã ainda lhe grita "Vai divagar Kizua Vemba! Pai discorrer pode cair e magoar e no fim vai culpar eu!"

De alguém que não quis dar a cara em público

-És uma marioneta!

-Estou farta de ti.

Bateu com a porta e saiu daquele tugúrio lúgubre, no Vale do Forno, Odivelas.
Lá fora foi surpreendida com um dia solarengo e foi com um inusitado ar prazenteiro que deu por si a divagar sobre a forma de pôr um fim no seu relacionamento, enquanto se dirigia ao metro do Senhor Roubado.
Estava decidida! Não valia a pena discorrer sobre quem culpar pelo falhanço.
Por agora seria assim, depois logo se veria.
Por agora, sabia o que queria. Não iria de metro!
E na paragem do 7, na Calçada de Carriche, iniciou uma viagem que sabia sem retorno, em direcção ao Cais do Sodré: aí, uma infinidade de carreiras abria-lhe as portas dum futuro risonho.

quinta-feira, 6 de março de 2014

Ao acaso



Pediram-me para discorrer sobre marionetas. Contudo, pouco sei sobre o assunto, a não ser que sou uma delas num país que tem sido porta de saída para viagens além-mar, para destinos quiçá lúgubres e traiçoeiros, quiçá acolhedores e prazenteiros. Sem que se possam culpar a si próprios, estes jovens viajantes desejam encontrar um destino solarengo, não necessariamente soalheiro como o ponto de partida, onde possam pôr um fim a procuras infindáveis por dias risonhos e começar a divagar pelos sonhos que pululam as mentes.

Ele há com cada uma

Acabei de receber telefonema do Círculo de Leitores, dum número de Lisboa, visível, portanto. A pessoa do outro lado só queria saber se eu conhecia alguém que estivesse interessado/a em trabalhar como colaborador/a. 
E eu agora pergunto: mas isto agora é assim? Telefonam, perguntam, ouvem um não, agradecem e desligam logo? Ahhh, como isto mudou em tão pouco tempo!

Lembram-se dos limões?


Pois o exercício que proponho de seguida deve incluir as seguintes palavras, na ordem que desejarem:
  •  marioneta
  • viagem (-ns)
  • porta
  • lúgubre
  • solarengo
  • prazenteiro
  • divagar
  • discorrer
  • culpar
  • fim

Mais logo, apresento a minha peça. Estejam à vontade para usar o meu e-mail (quem de vós o tiver, claro) e/ou a caixa de comentários.

quarta-feira, 5 de março de 2014

Pequei,

logo...

devo aparecer ali em cima, mal façam uma versão mais recente.


terça-feira, 4 de março de 2014

A minha chave do Euromilhões - rubrica semanal

  • 7 - 18 - 20 - 29 - 44
  • 2 - 5
Bem, depois de mais de 15 semanas sem acertarmos nada, estou confiante que a quaresma nos trará novidades. Ao menos as amêndoas de chocolate estão garantidas.