quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Em directo do restaurante

Então cá estamos a cumprir mais uma data, mais um dia especial em que nos empiricaitamos, ambos, para parecermos bonitos, belos, amorosos e apaixonados como antigamente, com a diferença de que ambos temos mais uns quilitos do que há 20 anos.
Ele, como às vezes é habitual, abriu a porta do restaurante onde reservámos mesa com 5 dias de antecedência e mesmo assim com grande dificuldade, pois foi a nossa 4ª escolha - qual crise, qual quê, ambrósio!
Ambiente de penumbra, em tons vermelhos, pretos e brancos, apropriados à ocasião. Música das desaparecidas Toni Braxton e Celine Dion a tocar, e empregados de mesa plantados em vários recantos, outros encostados ao balcão, tendo em comum um avental preto com um coração vermelho bordado. "Que paneleirice", sussurro eu, mal entro, à minha companhia, o que o fez sorrir, sem desfazer a pose e colocando a sua mão nas minhas costas, de modo a fazer-me avançar para a tão desejada mesa onde finalmente estamos, neste preciso momento em que vos escrevo, a saciar a nossa fome.
Observo os casais à minha volta e a minha sagacidade faz-me concluir o seguinte: os dois casais da mesa ao canto gostam de swingar. A mão dele na dela e a perna oposta a tocar na da outra fulana são prova certíssima disso. E os parceiros nem se importam, de tão distraídos que estão a olhar para a televisão, à espera que o Benfica comece a jogar novamente. O casal jovem que está atrás do mais-que-tudo parece-me genuinamente apaixonado, pois não conseguem desviar o olhar embevecido e cego um do outro. A loira e o manganão, estrelas lusas de Hollywood - se não são, agem como tal, tal é o volume de voz usado nas conversas com o dono do local -são os mais notados, ela com os seu batom rouge fogo e ele com o seu ar de pessoa de bem com a vida, risonho e dono do mundo. 
Ora, nós somos mesmo os mais sossegaditos, pois o mais-que-tudo só tem olhos para uma coisa e eu também. E as nossas mentes estão sintonizadas para a sobremesa, que vem já a seguir, durante a qual serão exibidos os dotes do pasteleiro.


Guess who said it

"Will you be my cell mate...in Azkaban?"

(Have a lovely Valentine's Day)

Foi isto que me calhou no envelope do dia.