segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Acho que arranjei lenha para me queimar

Ontem, abri conta no facebook para o meu filho. Estava farta de receber prendas e convites e mais não sei o quê de pessoas que me vêem lá nos jogos. Entretanto, já fui atacada por ele, dentro do meu império, enquanto ele construía o dele, from scratch. Uma mãe sofre!

Indecisões materialistas

O Pai Natal nem sabe o que me vai dar este ano: se um portátil novo, se um telemóvel novo. Eu, com 21/22 anos, não tinha nenhum dos dois e também vivia. Mas que dependência!

domingo, 30 de outubro de 2011

Irlanda do Norte - Belfast

Neste momento, ainda estou a ler "A Marcha", de Daniel Silva. Parte da acção passa-se na Irlanda do Norte, nas ruas e subúrbios de Belfast, já no século presente. Ruas e subúrbios percorridos a pé por mim, há muitos anos do século passado. Leio aquelas páginas e recordo momentos muito bons, entre uma multidão de estrangeiros cuja "home, sweet home" foi um país estrangeiro durante um ano lectivo. Irrita-me ainda não ter lá regressado. Recordo a tentativa falhada de tentar aprender danças de salão, recordo as festas que dávamos ao fim-de-semana na nossa residência. Recordo um fim-de-semana passado em Cork onde encontrei tunos da Universidade do Minho, recordo outro fim-de-semana passado em Donegall onde foi servida salada russa ao jantar e os outros 11 comiam como se de um banquete se tratasse, recordo o frio, a chuva miudinha chata e a neve a cair intensamente, recordo o boneco de neve que fizemos nessa noite, recordo as horas passadas em conversas com as vizinhas de quarto, uma francesa e outra jordana, recordo o barulho dos helicópteros a sobrevoarem constantemente a cidade, recordo os pubs, as idas ao cinema, à discoteca, a comida horrorosa, a loiça que as outras não passavam por água limpa, mas deixavam a secar, recordo os murais políticos, recordo o Jardim Botânico com os seus enormes espaços verdes e recantos geometricamente tratados, recordo as partidas de squash que me partiram toda, recordo as aulas de stepping e as sessões de natação que me divertiam imenso, recordo as idas à Biblioteca centenária, recordo as aulas de alemão onde eu não percebia nadinha do que se passava e das quais acabei por desistir antes de chegar o natal, recordo a Guiness castanha e espumosa e horrorosa, recordo as passeatas dadas no carro da francesa pelas zonas bombardeadas em décadas anteriores, recordo as idas às compras ao "stewart's" que já não existe...recordo tanta, mas tanta coisa...e hoje deu-me saudades daquele ano.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Ai que eu morro!

Ficar em casa, doente, é tremendamente entediante.
Ficar em casa, a acompanhar o doente, é duplamente tremendamente entediante.

Isto, depois de ouvir uma parvoíce vinda de alguém que só pensa em estatísticas. Fiquei logo bem-disposta para o resto do dia!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O poder das vogais

São apenas cinco, mas mudam tanto o sentido duma palavra:
  • pata
  • pato
  • peta
  • pita
  • pito
  • pota
  • puta
  • puto
Todas existem no nosso léxico.

O género é uma coisa tramada

Frequentemente, em variadíssimos contextos, ouvimos esta expressão inocente: "Ter ar de puto ajuda". Simplesmente concordamos ou discordamos quando conhecemos o contexto e o "puto" de quem se fala, certo?

"Ter ar de puta ajuda" já não provoca bem a mesma reacção. Aqui já entram moralismos e apartes e mais uma conversinha entredentes sobre  a "X" e a "Y". É ou não é verdade?

O Latim esfodricou-nos a consciência, foi o que foi!

Os gajos da PT são burros, surdos e mal-educados

Eu sei que as pessoas têm que trabalhar, por muito ingrato e desmotivante que seja a profissão. Eu sei que estão a ser pagos para contactar eventuais clientes e publicitar o excelente serviço fornecido pela empresa em questão. Eu sei que possivelmente, ao longo do dia, terão que falar com pessoas mais mal-educadas do que eu. Eu sei que provavelmente até falarão com pessoas mais bem educadas do que eu. Mas continuo a achar que são surdos, pois eu já lhes disse, muitas vezes, que nesta casa ninguém quer ter mais contratos com a fantástica empresa. E no entanto, insistem todas as semanas em ligar e falar com o mais-que-tudo. Ora, neste momento, o telefone fixo nem sequer está em nome dele. Já esteve e já não o temos. No entanto, eu é que tenho que aturar os gajos. Mais vale não ficar em casa. Ultimamente tenho optado pela seguinte estratégia, que excepcionei hoje, há poucos minutos: oiço o telefone a tocar, levanto o dito cujo, oiço um click, eles dão-me música, passado um segundo, desligo.
Hoje atendi. Uma pessoa que se identificou, bem educadinho, voz de pessoa jovem, patati patatá, às tantas pergunta porque é que não estamos interessados neles. Vou eu a meio do meu discurso e não é que o gajo desliga? Mal-educado do caraças! Não sabe o que perde em não ter continuado a ouvir a minha voz doce e meiga!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Sabem o que é fantástico?

É fantástico sair de casa às 17:50 para ir buscar a cria à escola e chegar a casa às 21:20, após passar 2 horas no trânsito para percorrer 7 ou 8 Kms, ida e volta, que normalmente demoram 20 a 30 minutos a serem percorridos. Experiência inolvidável. Felizmente, tive muita companhia, de bombeiros, polícias, ambulâncias e outros como eu, senão ter-me-ia sentido deveras sozinha! E a chuva! A chuva, que eu já não via cair há meses! Fantástica!

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Até tenho medo do que aí vem!

Acabei de chamar alguém de "prostituto da blogosfera". Ainda por cima, nunca nos tínhamos lido. E não nos conhecemos, portanto, a pessoa não sabe que eu sei ser brincalhona. Até tenho medo!

O que me fez pensar sobre a seguinte temática: "prostituição na blogosfera".

Que por sua vez me fez pensar nas seguintes questões:
  • Está tabelada?
  • A qualidade do blogue prostituto é directa ou inversamente proporcional à qualidade dos serviços prestados pela pessoa responsável pelo blogue?
  • Os serviços prestados são apenas virtuais ou incluem visitas reais?
  • Há discriminação na blogosfera, com base no tipo de blogue?
  • Há mais prostitutas ou prostitutos?
  • São questões parvas, não são?

Segredos - XVI

O colchão dos vizinhos de cima precisa de ser trocado.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

sábado, 22 de outubro de 2011

Algo novo para mim

Hoje vi uma hemorróida. Aquilo é parecido com aquelas bolhas daqueles plásticos que servem para embrulhar objectos delicados e outros. Dá vontade de rebentar. Que nojo!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Curta e breve

Tenho sono. Vou comer uma francesinha. Apeteceu-me.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

As aparências iludem

Se acreditarem no que o facebook revela de mim, os meus contactos por lá poderiam dizer que eu gosto imenso de jogar SIMS, SMURFS, EMPIRES & ALLIES e FISHVILLE. É giro ver, na minha inbox do Gmail,  os meus ex-alunos a oferecerem-me presentes e a solicitarem-me ajuda e mais não sei o quê para os jogos deles. Mal eles sabem com quem têm andado a jogar...

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Segredos - XV

Aquando dos tempos de faculdade, em Coimbra, cheguei a pernoitar muitas vezes, não só durante as Queimas e Enterros, em Braga. Os meus pais nunca souberam.

Hoje, após a lavagem dos dentes pós-almoço

-"Mãe, quando se beija uma miúda convém ter o hálito fesco?"
-"Claro, sempre, se possível. Mas conta-me, andas a pensar beijar alguma brevemente?"

(Era suposto eu dizer ou perguntar algo diferente?)

2ª reflexão do dia

A julgar pelos termos de pesquisa usados no google, que depois levam a que se encontre blogues, o meu blogue é menos interessante do que o teu, pois aqui só aparecem pessoas à procura do " significado de morcona", de "aulas de português para estrangeiros - os aumentativos" e de "pseudo". Entediante, mesmo! Noutros, a coisa pia bem mais fino e origina gargalhadas valentes!

1ª reflexão do dia

Às vezes basta vermos uma pessoa na rua para me lembrar que tenho que fazer algo. Desta vez, vi a minha cabeleireira a levar os filhos à escola e lembrei-me que tenho que ir disfarçar as brancas de preto. E mais importante, não posso esquecer-me de lhe pedir a factura. Será que esta também conta?

terça-feira, 18 de outubro de 2011

E o pacote vai....digo, o 2º prémio vai ...



...inteirinho para o Tio, que tem a liberdade de o partilhar com quem melhor lhe aprouver. :)

As manas, o Lobo e o Vigário

Enquanto as três manas Ratinha, Rata e Ratona observavam o Lobo a ser diligentemente servido pelas manas Porquinha, Porca e Porcalhona, aquelas foram subitamente surpreendidas pelo Vigário que, indiscreto como era, fez soar logo o alarme, alto e bom som:

CUIDADO, LOBO! AS RATAS ANDAM À SOLTA! DEIXA-TE MASÉ DE PORCALHICES E VAI JÁ REZAR TRÊS AVÉ-MARIAS E CINCO PAI-NOSSOS PARA QUE A TUA ALMA SE PURIFIQUE!

E QUANTO A VOCÊS, SIM AS SEIS...VÃO JÁ COMIGO PARA O CONFESSIONÁRIO!

E pronto. Foi assim que o vigário ficou com a melhor parte da história.

Como qualquer boa história, o melhor fica sempre por contar, pois confio na imaginação de quem me lê, para que cada um a conclua à sua maneira.

Acho que já chega de parvoíces e está na altura de voltar a ser séria.

Um dos prémios da Julie, bem merecido pelo esforço conjunto

Estou com a neura e a ouvir “Red Right Hand”, de Nick Cave & the Bad Seeds, via “playlist” do gajo que a seguir descrevo. A descrição vai ser uma amálgama de palavras, impressões, ideias certas e erradas e vai, com certeza, deixar transparecer o meu humor perante certas sacanices que hoje ouvi numa aula e que, porque sou uma pessoa com algum nível, não as repetirei aqui, mas sim no local adequado, perante pessoas hierarquicamente com mais poderes do que eu. E porque ainda tenho a capacidade de me surpreender e até escandalizar com o que oiço da boca de adolescentes, em contexto de sala de aula, hoje achei que seria um bom dia para, finalmente, ultrapassar este desafio auto-proposto e proposto ao Pulha Garcia que, apesar de inicialmente desconfiado e cauteloso, não declinou o meu pedido.

Não me lembro exactamente em que blogue descobri o Pulha Garcia, mas foi, de certezinha, a saltitar de blogue em blogue que me deparei com a sua cara de cowboy rijo e atrevido e daí atraente q.b. Sim, porque é dos sacanas que elas gostam mais, generalização corrente válida no passado, no presente e nos próximos tempos, sejam eles de crise ou não. Até porque as primeiras impressões contam bastante. Daí até o ouvir diariamente foi apenas uma questão de minutos. Sim, porque o que me atraiu em primeiríssimo lugar não foram as suas palavras, mas a selecção musical apresentada, a tocar “randomly”, opção tão do meu agrado, que raramente repetia as faixas. Lembro-me de, em Abril / Maio passado, passar manhãs inteiras a deliciar-me com as músicas por ele escolhidas e de pensar “bolas, este gajo tem um excelente gosto musical. Eu já não ouvia isto há bué e continuo a gostar.” Entretanto, tive várias oportunidades de conversar com ele e de lhe dizer precisamente o quanto eu gostava de iniciar as minhas manhãs com as músicas dele. Entre outras conversas, adequadas a dois desconhecidos que se conheciam via internet.

São 15:30 e estou a ouvir “No Surprises”, dos Radiohead, enquanto discorro sobre o Bom Sacana e ponho no papel as minhas impressões dele e do que ele escreve.

É indiscutível que ele escreve muito, muito bem. Dos melhores que me aprazem ler na blogosfera de hoje em dia. Adoro o seu sarcasmo. Consigo mesmo vê-lo a escrevinhar as suas farpas críticas enquanto cofia o seu bigodinho e se ri baixinho, sob a luz do seu candeeiro de secretária, a altas horas de noites lisboetas chuvosas, sem mais ninguém em seu redor. As suas citações, as imagens que partilha e que descobre sei lá bem onde, as suas próprias reflexões sobre literatura, filmes, pintura, pessoas e personagens, locais, fotos por ele tiradas, são sempre um primeiro passo, às vezes novidade até, para os meus próprios pensamentos. Sei que gosto muito de passar pelo blogue dele e ler as sacanagens.

Também sei alguns factos sobre ele, que não revelarei, por respeito para com a sua vontade. Alguns deles já escritos por ele, de qualquer modo. Sei que ainda é um trintinha, (a minha definição de “trintinha” tem a ver com qualquer pessoa cuja idade se situe entre os 30 e os 35) mesmo que as suas teses pareçam pertencer a alguém bastante mais velho, como ele gosta de aparentar através da escrita. Deve ser um bon vivant, de bem com a sua vida e com os caminhos que percorre diariamente, que dá importância a pequenos prazeres, como andar de chanatas e gozar devidamente a noite e o dia do santo padroeiro da cidade onde vive. Imagino-o vestido de um modo bastante clássico, de fato e gravata diariamente, que tira mal chega a casa, para se acomodar aos tais chinelos de enfiar no dedo. Imagino-o acompanhado de um copo de uísque, enquanto folheia livros e revistas e jornais, as mais das vezes escritos em estrangeiro. Imagino-o embrenhado nos seus calhamaços profissionais, a queimar as pestanas, ajeitando os óculos de leitura, sem se dar conta do tempo a passar, ao som de Belle Chase Hotel, tal como eu, agora. Imagino-o a cantar na sua cozinha, enquanto brinca com os condimentos e prepara refeições para os seus amigos. Imagino-o totalmente alheado do que o rodeia, concentrado apenas naquele pormenor que lhe captou a atenção. Imagino que seja uma pessoa bastante interessante de se conhecer.

Ele avisou-me para não me deixar levar por generalizações e estereótipos. Só ele saberá da verdade deste texto.

P.S.: Atentem nas labels dos seus posts. Autênticas preciosidades!

P.S.2: Esqueci-me de dizer que é também um excelente benfiquista!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Eu, noviça

Acabei agora mesmo uma conversa animada e interessante, no facebook (imaginem só!!)  sobre personagens dos filmes infantis. Quando o meu interlocutor me recordou que estávamos a dialogar em público, eu recordei-me duma das razões que me levam a arredar pé daquela obra do demo! Felizmente, o nível não baixou como noutros tempos!

O Lobo Bom

Longe de imaginar que estava a ser observado, o Lobo deliciava-se com o banquete que as suas três companheiras, a Ratinha, a Rata e a Ratona, lhe serviam. É que além dos frutos silvestres, da água da nascente ainda a 6% de Iva, o mais importante era a sua boa companhia, sempre prontas a atenderem servilmente o bom Lobo.

Bom? - perguntam vocês.

Bom. - digo eu

Mas ele não era o Lobo Mau? - continuam vocês a questionar.

Era, mas já não é. - respondo eu novamente. - Agora ele é o que eu quiser que ele seja. E desde que foi afectado - digamos -  pelo caçador, na última história, começou a dar mais valor a certos buracos. Daí só desejar a companhia agradável, bem-cheirosa e jovial daquelas três. Que tratava sempre bem, acrescente-se, com a devida atenção e gestos dum verdadeiro cavalheiro.

(Mais pormenores acerca destes banquetes, só amanhã, se eu continuar deprimida com a realidade!)

domingo, 16 de outubro de 2011

A história das três porquinhas (sem jeito nenhum e possivelmente com bolinha vermelha no canto)

A Porquinha andava muito triste. As suas irmãs mais velhas, Porca e Porcalhona, além de já não brincarem com ela na lama, andavam a tramar alguma e não podia ser das boas. Muitas vezes, a Porquinha apanhava-as a sussurrar pelos cantos e mal se aproximava delas, ambas punham o seu ar sério e disfarçavam com conversa de chacha e sorrisos cândidos. Ela já não aguentava mais tanto segredinho. Tá bem que o seu rabinho rosa ainda não se enrolava como o delas, mas achava que já tinha idade suficiente para poder partilhar as conversas das fêmeas porcas da família. Assim pensou e assim  agiu, aproximando-se delas e, com ar muito repimpão, de Porquinha adulta, disse-lhes que gostaria muito de saber que raio de porcaria é que elas andavam a tramar. De certezinha absoluta que metia algum Lobo pelo meio, acrescentou ainda a Porquinha, cheia de coragem e com as bochechas rosadas, de tanto atrevimento perante as mais velhas!
A Porca e a Porcalhona, que de cândidas e inocentes já nada tinham, decidiram encostar a Porquinha contra a parede e fazer-lhes prometer que ela nunca contaria o que iria ver de seguida. Porque se tal acontecesse, alguém veria o seu rabinho deveras...afectado! Não querendo correr riscos desnecessários à conta duma Porquinha ingénua e tagarela, vendaram a pobre Porquinha e conduziram-na sem mais rodeios, na direcção da floresta, por entre carreiros já por elas pisados muitas vezes. Quando chegaram ao sítio, a Porca e a Porcalhona mais uma vez avisaram a Porquinha que ela não deveria abrir o focinho acerca do que iria presenciar. Desvendaram a curiosa Porquinha, que não se calou um minuto no caminho,  e o que viu ela?

O Lobo.

A fazer o quê? - perguntam vocês.

Não posso contar o resto, pois corria o risco de ser chamada um nome feio! Agora cada um que invente um final.

Perdoem-me, sim? Mas isto não me sai da cabeça!

Deixei Tudo Por Ela

Zé Cabra


Deixei tudo por ela, deixei, deixei

Deixei tudo por ela, eu sei, eu sei

Deixei a minha vida tão bonita e singela

Deixei tudo o que tinha, deixei tudo por ela

(bis)



Deixei de ir ao cinema, deixei de ir ao futebol

Deixei de ir à praia, deixei de ver o sol

Deixei de me divertir, porque ... também

Deixei ... porque ela achava bem

(este homem não existe!)

Great news: look who will be back!

É pena ter que esperar até Fevereiro de 2012!

sábado, 15 de outubro de 2011

Segredos - XIV

Um dia, enquanto adolescente, com 12/13 anitos, enquanto andava a bisbilhotar as mesinhas de cabeceiras no quarto dos meus pais, descobri uma Playboy e uma saqueta de preservativos. Fiquei boquiaberta, chocada, mas tal não me impediu de a ler e de o encher com água para ver que formato tinha o balão.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Péssima notícia



que, sem ser inesperada, terá consequências visíveis a curto prazo, mesmo antes de apertar o cinto, ou o que resta dele.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Braga is burning

Começou fará amanhã uma semana. Parece afectar a mesma zona geográfica da cidade, por onde, felizmente, eu não tenho que conduzir. No entanto, noto a cinza a pairar no ar e a assentar nos carros. O cheiro é desagradável, o céu azul é cinzento e o calor infernal. Os tinonis das ambulâncias e carros de bombeiros não têm descanso. Assim não gosto! Isto é Outubro? "Parece que estamos no pico do verão", só para citar o meu progenitor.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Excelente notícia

Mas que eu ainda não posso partilhar, pois não é oficial. Consequências? Espero que sejam visíveis a longo prazo, daqui a 2 anos.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Impressionante...

...o facto de duas pessoas que nunca se conheceram nem conhecerão encaixarem tão bem no que toca a rezingar uma com a outra, via respectivos blogues. Isto enquanto um deles não desaparece para ir comprar cigarros. De resto, é quase como um casamento!

O post de baixo é um belo exemplo daquilo a que me refiro.

Desde já aviso que ...

...este vai ser longo!












































































































































































































































































































































 Eu avisei. :)

O bê-á-bá da nossa era

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Segredos - XIII

Eu ando a ler um livro sobre segredos. Prepararei uma surpresa a quem adivinhe o seu título.

Pista: a palavra aparece no título.

domingo, 9 de outubro de 2011

Que seca!

E esta moda do facebook que nunca mais passa ...É que eu ando ansiosa para poder ter outro ódio de estimação virtual!

Segredos - XII

Eu gosto de limpar o rabiosque com toalhetes de bébé. Não costumo ser esquisita com as marcas.

Suspeito ...

...que a conta de electricidade vai aumentar a partir de Dezembro apenas, ao contrário de anos anteriores. O que é bom. Mas estranho. Barriga à mostra, pés descalços, mangas à trolha, cabelo apanhado, óculos de sol que nunca mais saem da carteira nem da cara nem da cabeça. Nada normal mesmo.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Auto-retrato

O meu blogue é:
  •  fútil, pois não aborda questões deveras importante para a humanidade em geral e Portugal em particular;
  • superficial, pois não aborda nada em profundidade nem se aprende nada de útil por aqui;
  • levezinho, pois é de fácil leitura e pode ser lido por pessoas dos 6 anos aos 100 anos;
  • irónico, pois eu consigo gozar comigo própria, com certas situações e certas pessoas, sem ser ofensiva;
  • engraçado, pois às vezes tem mesmo alguma piada;
  • monótono, pois às vezes não tem piada nenhuma e só escrevo para encher chouriços;
  • genuíno, pois os pontos de vista, não sendo profundos nem aprofundados, são sempre os meus;
  • pessoal, pois é parte do que eu sou e como ajo no dia-a-dia;
  • intimista, pois às vezes, venho para aqui desabafar o que nem sempre consigo verbalizar em voz alta;
  • informativo, pois muito de vez em quando partilham-se notícias lidas e ouvidas por aí;
  • egocêntrico, como eu.
  • fiável  - Porquê? Terá que ser o Tio do Algarve a responder, pois foi ele que pediu para acrescentar. (Tio, toma lá mais trabalho :P)
E os vossos, como são, na vossa perspectiva (im)parcial?

Não, pois não?

Sou só eu a não achar piada nenhuma aos spots publicitários da MEO protagonizados pelos Gato fedorento?

Analisem-se, se faz favor - só para quem gosta de carteiras de mulher

Inspirada pelo último texto da AC, ponho aqui a minha mala a nu. Hoje, usei a tiracolo, a da Cavalinho, preta com cavalinhos beges. E lá dentro, eu tenho:
  • 1 telemóvel Nokia vermelho e preto
  • 1 carteira castanha, recheada de cartões, tickets de compras, cheques e algumas notas
  • 1 embalagem de pastilhas Trident Twist
  • 1 molho de chaves
  • a chave do meu carro
  • 2 embalagens de lenços de papel
  • 1 bolsa de protecção das cadernetas bancárias da CGD
  • 1 caneta azul
  • 3 pensos rápidos
  • 2 pensos higiénicos e 1 tampão
  • 1 embalagem de líquido cor-de-rosa limpa-óculos
  • 1 amostra de perfume "Amor Amor - Tentation", Cacharel
  • 1 lista das compras feitas hoje de manhã
  • 1 pente preto de dentes largos e longos
  • 1 Moleskine com cerca de 1/3 da minha idade, com moradas e telefones
  • 1 cópia da solicitação escrita à Zon, para alterarem a facturação e serviços
E o que é que anda pelas vossas bolsas / carteiras / malas?

Segredos - XI

Eu já fui co-autora dum blogue erótico. Nele foram escritos muitos textos sugestivos e publicadas apenas duas fotografias. O outro autor também anda por aí, mas bem menos trabalhador do que eu.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Passeios virtuais

Um destes dias andei a clickar nos blogues eróticos, cujos donos e donas partilham, normalmente, mas nem sempre, fotografias a preto e branco que legendam com uma frase de conteúdo bem sugestivo, sem ser demasiado badalhoco. Se visse estes sites, a minha avó diria que eram coisas do demo e que aquilo era só badalhoquices e que o mundo está perdido. Tudo coisas que todos nós já sabemos, pois já cá andamos há tempo suficiente para chegar a essa mesma conclusão e, ao contrário do que ela afirma em público, até gostamos dessas coisas que mais depressa nos levarão ao encontro agendado com belzebú do que a sair deste buraco financeiro onde os nossos filhos também já estão atolados.

Adiante, que a minha avó ainda vive e tem muito para contar!

Foram várias as conclusões a que cheguei quando finalmente me fartei de passear por aqueles lados:
  1. autores e autoras e comentadores e comentadoras fazem parte da mesma família, pois comentam-se entre eles (é assim como neste blogue, mas sem badalhoquices).
  2. normalmente, os autores são mais arrojados do que as autoras, no que toca a publicar fotos giras, logo os blogues deles são mais interessantes do que os delas.
  3. normalmente, a cor preta abunda, o que, se por um lado ajuda a realçar as fotos giras, por outro lado pode dificultar a leitura das legendas sugestivas.
  4. A minha mente reage muito bem a estímulos visuais, e mais não digo, senão a minha hora chega antes do tempo!
E vocês, o que acham?

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Hoje é só novidades!

Vocês sabiam que o nome do meu blogue, que nasceu em Dezembro de 2005, serviu de inspiração para uma categoria de blogues intitulada "blogues de brinquedos" (não, não é de brinquedos eróticos, é pior do que isso)? Eu até partilhava aqui o link do site (que pertence a um problogger brasileiro) onde descobri esta relíquia, que por acaso vi no Google, quando procurava o meu (não o tenho guardado nos favoritos, mas sim na "cloud") mas depois alguém poderia dizer que eu andava à cata de leitores e que só escrevia para as estatísticas e patati-patatá....e não é nada disso! Eu sou bem mais egocêntrica do que "stats whore". E esta, heim?

(Há mais 2 fresquinhos abaixo deste.)

Promessa (finalmente) cumprida

Quando comecei a ler o blogue do Tio do Algarve, lembro-me de ter pensado, à custa das imagens que ele colocou na barra lateral, que ele seria um adepto de astronomia e que os seus textos andariam à volta de tal. Redondamente enganada! Não que eu agora saiba do que é que ele gosta de ler e explorar nos tempos livres, continuo a não saber nada, mas já formei uma muito vaga ideia dele, e que passo a partilhar. Lembro-me de ter pensado, também, que ele seria um emigrante em terras de Sua Majestade. Mais uma vez, redondamente enganada. Eu engano-me muito, é possível que toda esta verborreia seja, mais uma vez, um disparate enorme. Mas apetece-me escrever, logo não há nada a fazer. E este texto já andava em águas de bacalhau desde Julho passado.

Aparte: Tal como com os eleitos anteriores, também o actual visado leu e aprovou este texto antes de ser publicado.

Na minha perspectiva, o Tio é detentor de uma bela barriga, ganha à custa das comezainas em que participa nas suas viagens (g)astronómicas, dentro e fora do nosso planeta. O Tio é um quarentão atento ao que se passa cá dentro, bastante crítico dos políticos contemporâneos, da comunicação social em geral e de situações de injustiça social. O Tio é um brincalhão, brinca com palavras e constrói analogias magníficas e satíricas que revelam as suas críticas e as suas ideias. É, inclusive, o único autor (que se saiba) dum dicionário original, o Ticionário, onde partilha telegraficamente e com muito humor as suas ideias. É um idiota assumido, portanto, e com muita graça!

O Tio é sociável e comunicativo, mas um pouco antiquado, pois é tão anti-facebook como eu. Prefere o contacto entre pessoas ou via blogues, outro local de leitura que ele e eu partilhamos. Não me parece é que ele tenha muito tempo para estas andanças, mais devido aos seus afazeres profissionais do que propriamente por falta de vontade. Também não consegui ainda descortinar se ele é um gajo da noite ou não, apesar das suas frequentes observações dos astros! Se calhar, o Tio é contabilista ou director financeiro ou gestor ou director de hotel ou vai fazendo uns biscates que envolvem dinheiro. Ou se calhar é apenas Professor, pois ensina aquilo que não sabe fazer. Não sei. E desconfio que ele também não o dirá publicamente, mas parece-me ser um gajo dado aos negócios, claros, porque dos escuros gosta ele de escrever, logo, por exclusão de partes, só poderia ser mesmo dos legais! E ainda bem que há pessoas assim: honestas e trabalhadoras e que escrevem coisas interessantes que me fazem sorrir e pensar “e não é que este gajo tem toda a razão?”.

E pronto…como diria a minha primeira vítima…”é isto”.

Já que não tenho conta no twitter

...tenho sono. Perceberam? :P

(If you don't have anything nice to say, tweet it. If you have something interesting to share, blog it? - Chris Pirillo)





domingo, 2 de outubro de 2011

Inglesices - I

Bloggers who write "há" instead of à" and vice-versa put me totally off. I seldom go back to those.

Segredos - X

Ando a fazer uma coisa às escondidas, mas não posso contar pois deixaria de ser segredo!