segunda-feira, 13 de julho de 2015

Olha, e não é que existe mesmo?

Na Livraria Bertrand. Esteve nas minhas mãos durante 5 minutos.
Acabei por adquirir outros dois, um da minha sueca preferida e outro de autor português emigrado. Agora estou indecisa, ainda mais que a pilha de livros na mesinha de cabeceira cresce a olhos vistos...

É oficial

Depois de alguma demanda internetica, sem resultados que nos agradassem, eu dei-me quase por vencida e atrevi-me a sugerir que fizéssemos campismo, após 14 anos sem montar uma tenda nem andar com os tachos atrás de nós. E depois dum telefonema muito simpático e popularucho ontem à noite, ainda não vai ser desta que levamos as estacas, os tachos e a tenda que não chegámos a comprar. De campismo, só vai a rede.

Eu tenho o melhor Anónimo do mundo e mais além

Isto é de sua autoria. Digam lá que não é um miminho giro! É, não é? 
(Apesar de nem tudo ser verdade, Anónimo. :P)

"Na rede sem ninguém
Anónimos e atrevidos
Teclamos só os dois
Descomprimindo dos dias vividos...

Teclamos por tudo e por nada
Aparvalhamos sem sentido
Facilitamos a digestão
Melhor que um "rennie" comprimido

Sei-te as origens e o poiso 
Sei-te o gosto musical
Só ainda não percebi
Porque ainda me tratas como um anormal

Sei que gosta de ovos moles
E Pudim Abade Priscos
Sei que fugiste ao perfume de Cacia
E preferes o cheiro dos Bispos

Sei isso tudo e muito mais
Muito mais do que possas imaginar
Só não te conto tudo agora
Porque tenho que ir lanchar

(tal como ao almoço, aqui no Centro de Dia lancha-se cedo)"
 

 
 

Cronologia fotográfica