terça-feira, 3 de março de 2015

Dúvida de origem étnico-linguística

No outro dia fomos jantar ao restaurante chinês mais afamado aqui da cidade. E ocorreu-me a seguinte questão, perante o facto de todos os funcionários que andavam por lá a cirandar serem de origem asiática: serão eles capazes de manter uma conversa em língua portuguesa, sobre um qualquer assunto - por exemplo, falar mal ou bem do S.C. Braga ou criticar o estacionamento selvagem nas ruas que ladeiam o restaurante - ou só proferem aquelas frases-chave necessárias ao seu trabalho na área da restauração: quer pedir? bebida? quer máquina?...

Bamo lá a saber

Quando suas excelências vão à farmácia comprar a pílula, o beneron, o griponal, os durex, a cera para o aparelho do moço, a escova XPTO que o senhor doutor dos dentes passou, um batom para os dias frios, uma coisa pouca, suas excelências pedem saco?? Aquele saquinho meia meia que não serve para o lixo, não serve para trazer medicamentos fora de prazo de volta, não serve para ir às compras ao pingo ou ao mini? Independentemente da conversa do ser de plástico e agora se pagar? 

Exaspero com pessoas.

Que ouves tu, Pseudo Maria?

Eu mostro...

Momento fútil d'A Chata no blogue da Pseudo #5

Agora que já não sinto metade da cara a latejar, deu-me para querer usar eyeliner. É uma luta. Alguém me dá dicas para não ficar com um risco grosso ou todo torto? 

Os meujóios agradecem.