domingo, 10 de abril de 2016

Qual é o aroma da aspirina?

Para mim, que sou de letras e pouco tendente a coisas científicas, foi uma pergunta que me fez sorrir, pois mesmo já tendo tomado algumas, nunca me apercebi que soubesse a laranja. Sou mesmo insensível!
A quem teve que a responder - e fê-lo acertadamente - deu que supor, pensar, adivinhar, partilhar, puxar pela memória e acertar ao calhas.
Tenho esperança de que o rapaz tome o gosto a ver reconhecidos publicamente e inter-pares os pequenos sucessos que vai obtendo em determinadas áreas e que nunca a sua curiosidade esmoreça.
Neste momento oiço-o ali ao lado, no seu quarto, a murmurar os nomes dos elementos da tabela periódica, colada na parede em frente à cama.
Será que não há maneiras mais agradáveis de adormecer do que pensar em tungsténio e fleróvio e companhia? Há cada tara!