quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Segredos - XV

Aquando dos tempos de faculdade, em Coimbra, cheguei a pernoitar muitas vezes, não só durante as Queimas e Enterros, em Braga. Os meus pais nunca souberam.

5 comentários:

  1. Acho que a construção gramatical do primeiro período corta o ante-clímax da coisa. Devias passar o "em Braga" para logo após o "pernoitar".

    Avanças logo com as excepções (queimas e enterros) antes de situares o leitor, quando a "punchline" nem é neste período... nem sequer a terra onde pernoitaste.

    Se a pernoita fosse, por exemplo, debaixo de um carro, aí já ficava giro, havia o elemento surpresa; agora uma localidade, meh... podia ser Braga ou Beja, enfraquece o post.

    A parte boa é aldrabar os pais - por isso convém manter o leitor na expectativa da, vá lá, explosão orgásmica do punchline até à última, não deixá-lo com a sensação de "foi só isto?".

    Mas pronto, o blogue é teu, fazes o que quiseres :-P

    ResponderEliminar
  2. Até já estranhava! Amanhã à tarde atendo-te, sim?

    ResponderEliminar
  3. Opá, estes teus segredos são uma treta...

    Se ainda contasses o que lá fazias, isso sim, é que eu suspeito que seria interessante de saber!

    Olha o único que foi interessante saber foi aquele do limpares o "bujão" com toalhetes, mas mesmo esse não é lá grande coisa enquanto segredo...

    ¦oD

    ResponderEliminar
  4. Alterego, passa à frente, volta cá no dia seguinte, eu não te obrigo a lê-los :)

    ResponderEliminar
  5. Homens! Pfff!
    Eu percebo perfeitamente o que queres dizer... Rais´ parta os gajos e ter de se lhes explicar tudo!

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.